O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

Vista do Cairo, no Egito, durante hora do rush. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

É necessário repensar as formas de se governar as cidades, diz chefe do ONU-Habitat

No Dia Mundial das Cidades, um oficial das Nações Unidas enfatizou na terça-feira (31) a necessidade de encontrar formas inovadoras de governar as cidades, enquanto mais da metade da população mundial vive em áreas urbanas.

“O escopo e a velocidade com as quais as pessoas acessam informações e interagem entre si não têm precedentes na história, e as instituições precisam reagir a essas novas formas de exercício da cidadania”, disse o chefe do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), Joan Clos.

Equipe do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA) esteve presente no show de aniversário de 72 anos da ONU no Rio. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário dá visibilidade ao trabalho da ONU no Brasil

O show para comemorar o aniversário das Nações Unidas, realizado na terça-feira (24) na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, contribuiu para divulgar o trabalho da ONU localmente e para integrar a Organização à vida cultural da cidade, na avaliação das agências que contribuíram para que o evento acontecesse.

O encontro reuniu cerca de 200 pessoas e contou com a apresentação musical da banda Bomoko, formada por refugiados de Angola e da República Democrática do Congo, e de representantes do coletivo Baixada Nunca se Rende, composto por mais de 100 artistas da Baixada Fluminense.

Grupo Bomoko. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Show de aniversário da ONU reúne 200 pessoas no Rio de Janeiro

Cerca de 200 pessoas reuniram-se na Fundição Progresso, no centro do Rio de Janeiro, na terça-feira (24), para o aniversário de 72 anos das Nações Unidas, celebrado com o show de uma banda de refugiados africanos e outra de artistas da Baixada Fluminense. O evento teve como foco a Década Internacional de Afrodescendentes, adotada em 2015 pelos Estados-membros da ONU, entre eles o Brasil, para enfrentar o racismo.

“A grande participação neste evento mostra que a ONU pode ter uma imagem menos formal, menos protocolar”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano, organizador da festa. “Precisamos estar mais perto dos jovens, das pessoas para as quais trabalhamos, abraçando suas diversidades de opiniões, raças, culturas”.

Crianças do Botafogo entraram em campo com símbolos dos ODS. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

Agência da ONU e Botafogo começam parceria com ação sobre sustentabilidade

O Botafogo fechou a 30ª rodada do Brasileirão com uma vitória e uma ação de conscientização especial. Na noite da segunda-feira (23), ao enfrentar — e vencer por 2×1 — o Corinthians, o time carioca abriu as portas do Estádio Nilton Santos para a ONU.

Em iniciativa para marcar o início de uma parceria entre o clube e o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), crianças botafoguenses entraram em campo carregando os símbolos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os jogadores exibiam a marca da agência nas mangas.

VÍDEO: México um mês após os terremotos

Há um mês, no dia 19 de setembro de 2017, um terremoto de de magnitude 7.1 sacudiu o centro do México, 12 dias depois após outro movimento telúrico ter atingido o sudeste do país, especialmente as regiões de Oaxaca e Chiapas – e exatos 32 anos depois do terrível terremoto de 1985.

Os terremotos recentes deixaram um saldo de pelo menos 400 pessoas mortas, danos a mais de 150 mil habitações, 12 escolas e 1,5 mil monumentos históricos. Os tremores foram seguidos de um imenso impulso de solidariedade – por parte da população, da comunidade internacional e das Nações Unidas. Confira nesse vídeo do Centro de Informação da ONU na região.

Banda Bomoko reúne refugiados de Angola e da RD Congo. Foto: divulgação

No Rio, ONU comemora aniversário com banda de refugiados e coletivo da Baixada Fluminense

A Década Internacional de Afrodescendentes será celebrada com música e festa no dia da ONU, em 24 de outubro. O Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC Rio) realiza evento cultural com apresentação de uma banda de refugiados africanos e um grupo musical da Baixada Fluminense. As apresentações acontecem na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, com entrada franca.

Participam da apresentação a banda de congoleses e angolanos Bomoko, que significa união em lingala. O coletivo Baixada Nunca se Rende reunirá 13 artistas que tocarão reggae, rock e rap e inclui nomes conhecidos como Renato Biguli (Monobloco e Cabeça de Nego) e Eddi Mc (Nocaute).

Enquanto mais de 1 bilhão de pessoas carecem de moradias adequadas no mundo, o estoque de moradias desocupadas está gradualmente aumentando, lembrou o diretor-executivo do ONU-Habitat. Foto: EBC

Em dia mundial, ONU-Habitat defende políticas habitacionais e moradias acessíveis

No Dia Mundial do Habitat, lembrado na primeira segunda-feira de outubro, o diretor-executivo do ONU-Habitat, Joan Clos, afirmou que o acesso a moradias é essencial para uma nova visão da urbanização como motor do desenvolvimento sustentável.

“Hoje, 1,6 bilhão de pessoas vivem em moradias inadequadas, das quais 1 bilhão vive em favelas e assentamentos informais”, afirmou. “Assegurar a acessibilidade das moradias é, portanto, um desafio complexo de importância estratégica para desenvolvimento, paz e igualdade”, completou.

Vista da cidade de Bogotá, na Colômbia. Foto: Dominic Chavez/Banco Mundial

ONU debate mudanças na agência especializada em questões urbanas

Vice-secretária-geral das Nações Unidas disse que a Organização está falhando em promover temas relacionados às cidades, enquanto seu trabalho em áreas urbanas deve ser revigorado. Amina Mohammed fez a fala na Assembleia Geral, durante uma reunião de alto nível sobre uma nova abordagem da ONU para a rápida urbanização mundial – incluindo a revisão do trabalho do ONU-Habitat, agência especializada no tema.

Projeto visa ao desenvolvimento sustentável das grotas de Maceió. Foto: Agência Alagoas

Programa apoiado pela ONU visa a melhorar condições de vida em comunidades pobres de Maceió

Fruto de uma parceria firmada em julho entre o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e o governo de Alagoas, o programa Vida Nova nas Grotas já foi adotado em 24 comunidades da capital alagoana e deve chegar a 40 até o fim deste ano.

Na iniciativa, o ONU-Habitat trabalha com cinco eixos de atuação: catalogação de dados; aproveitamento dos espaços públicos e prevenção da criminalidade; melhorias em habitação e mobilidade urbana; desenvolvimento econômico e social; e difusão do conhecimento.

A Iniciativa dos Jardins de Alimentos da ONU (‘UN Food Gardens’), em parceria com a ONU-Habitat, está organizando uma mostra de iniciativas de agricultura urbana de pequena escala nas Américas.

Mostra de iniciativas de agricultura urbana de pequena escala recebe propostas até 10 de setembro

A Iniciativa dos Jardins de Alimentos da ONU (‘UN Food Gardens’), em parceria com a ONU-Habitat, está organizando uma mostra de iniciativas de agricultura urbana de pequena escala nas Américas.

A mostra tem como objetivo compartilhar experiências, conscientizar sobre a agricultura urbana na região, bem como incentivar a ação política em apoio desta importante atividade nos contextos da Nova Agenda Urbana adotada na conferência Habitat III e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Da esquerda para a direita: João Carlos Jarochinski, da Rede Sul-Americana para as Migrações Ambientais (RESAMA) e Organização Internacional para as Migrações (OIM); Isabel Marquez, representante da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR); Rayne Ferretti, Oficial Nacional da ONU-Habitat; Ana Toni, do Instituto Clima e Sociedade, moderadora do debate. Foto: UNIC Rio/Julia De Cunto

Acordos climáticos ajudarão a conter crise migratória, dizem especialistas em evento da ONU

A crise migratória está atrelada ao comprometimento com os acordos climáticos e a criação de políticas de proteção para populações em maior situação de vulnerabilidade.

É o que defendem os especialistas que discutiram, nesta terça (05), os deslocamentos causados por questões climáticas durante o “Seminário Vidas Deslocadas – diálogos sobre Mudanças Climáticas e Mobilidade Humana”, no Museu do Amanhã. Confira matéria e vídeo sobre o debate.

ONU e Museu do Amanhã promovem diálogo sobre efeitos de mudanças climáticas no deslocamento humano

O impacto das alterações climáticas nos movimentos migratórios globais e a capacidade de resposta das cidades são o tema do evento “Seminário Vidas Deslocadas — diálogos sobre Mudanças Climáticas e Mobilidade Humana”, que acontece na terça-feira (5) das 15h às 17h30 no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

O encontro terá a presença de representantes de Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Organização Internacional para as Migrações (OIM) e ONU-Habitat. Também estarão presentes o coordenador-residente da ONU Brasil, Niky Fabiancic, a representante da ONU Meio Ambiente, Denise Hamú, além de representantes do governo brasileiro e da sociedade civil.

Vista de Busan, segunda maior cidade da Coreia do Sul. Foto: ONU/Kibae Park

Secretário-geral recebe propostas para reforma e fortalecimento do ONU-Habitat

Um painel independente propôs a remodelação do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e a criação de um mecanismo de coordenação para complementar seu trabalho e reunir todas as agências da ONU e parceiros em torno da sustentabilidade urbana.

O painel, nomeado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, recomenda que seja criada a “UN Urban”, um mecanismo de coordenação similar à ONU-Água ou à ONU-Energia, como parte de uma reforma mais ampla do Sistema das Nações Unidas.

Alain Grimard, do ONU-HABITAT, no lançamento do projeto 'Vida Nova nas Grotas'. Foto: Agência Alagoas

ONU-Habitat e Alagoas firmam parceria pelo desenvolvimento de zonas urbanas com assentamentos informais

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) e Alagoas iniciaram um projeto que inclui a elaboração conjunta de estratégias de desenvolvimento urbano, com foco na produção de dados de qualidade, sobretudo de assentamentos informais localmente conhecidos como “grotas”. Com uma duração de dois anos, iniciativa será implementada em regiões de Maceió e abordará temas como infraestrutura, inclusão social e prevenção da violência.

Com tantos jovens nas cidades, são necessárias medidas urgentes para reverter o efeito “nem nem” e garantir a igualdade de oportunidades, inclusão e desenvolvimento. Foto: Flickr/Ricardo Flores (CC)

ONU-Habitat pede investimento na juventude para impulsionar economia das cidades

A crise econômica mundial, iniciada em 2008, contribuiu para criar um fenômeno global: a geração “nem nem”. Um em cada cinco jovens entre 15 e 29 anos na América Latina não estuda nem trabalha, uma condição que afeta mais de 30 milhões de jovens na região e mais de 260 milhões no mundo.

Segundo o ONU-Habitat, em 2030, cerca de 60% da população urbana nas cidades terá menos de 18 anos. Com tantos jovens nas cidades, são necessárias medidas urgentes para reverter o efeito “nem nem” e garantir a igualdade de oportunidades, inclusão e desenvolvimento.

Representantes da ONU debateram novos e antigos desafios que países precisam enfrentar para promover o desenvolvimento sustentável. Foto: UNIC Rio/Pedro Andrade

No Rio, representantes da ONU alertam para mudanças climáticas e pedem compromisso com sustentabilidade

‘O nosso problema está na área de desmatamento.’ O diagnóstico é da representante da ONU Meio Ambiente no Brasil, Denise Hamú, que chamou a atenção na terça-feira (6) para os desafios que o país tem de enfrentar para combater as mudanças climáticas. Em simpósio realizado no Museu do Amanhã, a dirigente e outros especialistas das Nações Unidas defenderam políticas econômicas, ambientais e urbanas mais sustentáveis.

Trecho do Parque Rachel de Queiroz, em Fortaleza. Foto: Prefeitura de Fortaleza/Kaio Machado

Banco Mundial ajuda Fortaleza a revitalizar áreas degradadas e melhorar mobilidade urbana

Em Fortaleza, o Banco Mundial se uniu à Prefeitura para reabilitar as áreas da Bacia de Vertente Marítima e do Parque Rachel de Queiroz. A iniciativa é parte do esforço do organismo financeiro para enfrentar alguns dos problemas trazidos pela urbanização acelerada e não planejada no Brasil. Projeto foi premiado pelo Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) em janeiro deste ano.

Projetos urbanos premiados pela ONU valorizam espaços públicos e mobilidade não motorizada

Os projetos premiados pela Convocação Pública de Práticas Inovadoras da Nova Agenda Urbana priorizaram o equilíbrio entre o urbano e a natureza, o desenho de espaços públicos que valorizem a convivência urbana e o incentivo à mobilidade não motorizada e pública.

Uma das iniciativas premiadas durante cerimônia organizada pelo ONU-Habitat e parceiros em Medellín, na Colômbia, foi o Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo, apresentado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano.

Secretário-geral da ONU se reúne com jovens líderes e mulheres na favela de Mathare, em Nairóbi, no Quênia. Foto: ONU-Habitat/Julius Mwelu

Em Nairóbi, chefe da ONU celebra Dia das Mulheres e elogia Quênia por multilateralismo

A riqueza, o bem-estar e a prosperidade dos países dependem da plena integração das mulheres no processo de desenvolvimento, disse o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em visita a Nairóbi, no Quênia, onde celebrou o Dia Internacional das Mulheres (8).

O chefe da ONU também visitou a Somália, expressando “profunda solidariedade com o povo somali”. No país africano, cerca de 6,2 milhões de pessoas precisam de assistência humanitária, incluindo 330 mil crianças que sofrem de desnutrição aguda.

Quase metade das crianças de Mossul estão sem acesso a água potável. Foto: UNICEF / Anmar

Fórum Mundial da Água abre consulta pública online com participação de agência da ONU

Em 2018, Brasília sediará o 8º Fórum Mundial da Água, evento que reunirá os principais especialistas, gestores e organismos envolvidos na gestão e preservação dos recursos hídricos do planeta. A organização do evento deu início nesta semana (13) a uma consulta pública que receberá contribuições online de qualquer pessoa interessada em debater os temas do encontro.

A Cap-Net, rede de capacitação em gestão da água do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), atuará como moderadora dos debates sobre desenvolvimento.

Evento no Rio de Janeiro sobre políticas de desenvolvimento conta com o apoio do Centro RIO+, vinculado ao PNUD, e é organizado pela Rio Academy, dedicada à pesquisa e debate sobre cidades emergentes. Foto: WikiCommons/chensiyuan

Nova edição da Policy in Focus destaca desafios do desenvolvimento urbano sustentável

Vivemos em um século urbano. Atualmente, 54,5% da população mundial vive em áreas urbanas, de acordo com as Nações Unidas. Em 2050, espera-se que esse percentual atinja 70%.

Atento ao tema, o Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG) da ONU lançou a nova edição da revista Policy in Focus, cujo título é “A New Urban Paradigm: Pathways to sustainable development” (Um novo paradigma urbano: caminhos para o desenvolvimento sustentável), disponível gratuitamente em inglês.

Mercado Ver-o-Peso em Belém do Pará. Foto: EBC

Governo do Pará e ONU-Habitat promovem capacitação de funcionários públicos em Belém

O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) e o governo do Pará organizam uma série de encontros de capacitação de funcionários públicos tendo em vista a implementação do Plano Estratégico Pará Sustentável (PEPS), cujo objetivo é reduzir a pobreza e a desigualdade no estado, garantindo a proteção ambiental. As atividades começaram na primeira quinzena de janeiro em Belém.