Previsão da FAO é de que a produção de milho para 2017 na América Latina e no Caribe se manterá em níveis altos como resultado do aumento da produção em Argentina e Brasil. Foto: EBC

FAO: Brasil e Argentina devem ter recorde de produção de milho em 2017

Uma maior produção de milho e uma queda da produção de trigo na América do Sul este ano são dois aspectos destacados pelo relatório “Perspectivas Alimentares”, divulgado no fim de novembro (21) pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o documento, a produção de milho do Brasil em 2017 deve alcançar novo recorde de 99,4 milhões de toneladas, aumento de 57% frente a 2016. A Argentina também registrou uma produção recorde de 49,5 milhões de toneladas, apontou.

Agricultores do Uzbequistão. Foto: FAO

Relatório da FAO revela problema da má nutrição em países de Europa e Ásia Central

Novo relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançado na segunda-feira (4) analisou o estado da segurança alimentar e da nutrição nos países na Europa e na Ásia Central.

Com uma nova metodologia, o documento afirma que 14,3 milhões de adultos da região enfrentaram insegurança alimentar grave entre 2014 e 2016. Segundo o relatório, a má nutrição em uma ou mais formas (desnutrição, sobrenutrição e carências de micronutrientes) está presente em todos os países das regiões analisadas.

Plantação de algodão em Catuti (MG). Foto: OIT

Em dia mundial dos solos, FAO lembra importância de modelos sustentáveis na produção de algodão

Neste 5 de dezembro, Dia Mundial do Solo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lembra que uma terra de qualidade é vital para garantir as condições produtivas adequadas de diferentes sistemas agrícolas e florestais. Na América Latina e no Caribe, a agência da ONU promove a conservação e uso sustentável dos solos utilizados nas culturas de algodão.

Relançamento da Natal Sem Fome lembra ativismo de Betinho contra a miséria. Imagem: Divulgação/Ação da Cidadania

Artistas brasileiros apoiam divulgação de Campanha Natal Sem Fome

Mais de 60 artistas brasileiros, entre eles Chico Buarque, Caetano Veloso, Daniela Mercury e Carlinhos Brown, participam este ano da divulgação da Campanha Natal Sem Fome, iniciativa da ONG Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo sociólogo Hebert de Souza (Betinho).

A campanha conta com parceria da representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

De acordo com o último relatório publicado por FAO e OPAS, a fome aumentou na América Latina e no Caribe pela primeira vez em mais de duas décadas. Foto: EBC

Agências da ONU unem esforços para erradicar fome e má nutrição na América Latina e no Caribe

As três agências das Nações Unidas com sede em Roma — Programa Mundial de Alimentos, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) — anunciaram nesta quinta-feira (30) uma nova aliança que permitirá unir esforços para apoiar os países latino-americanos e caribenhos na erradicação da fome, da má nutrição e da pobreza, impulsionar o desenvolvimento rural e avançar rumo aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Esta nova aliança responde ao momento crítico enfrentado por América Latina e Caribe. De acordo com o último relatório publicado pela FAO e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a fome aumentou na região pela primeira vez em mais de duas décadas.

Merendeiras brasileiras visitam escola no Senegal em uma iniciativa do Centro de Excelência da ONU contra a Fome, que impulsiona a cooperação Sul-Sul. Foto: PMA/Mariana Rocha

Agências da ONU combinarão estratégias de cooperação Sul-Sul para erradicar a fome

Agências da ONU anunciaram na terça-feira (28) um roteiro de ação para coordenar estratégias de cooperação Sul-Sul e fortalecer o combate à fome em países em desenvolvimento. Apresentado durante a Expo de Desenvolvimento Global Sul-Sul, em Antália, na Turquia, o planejamento orientará iniciativas do Programa Mundial de Alimentos (PMA), do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Na América Latina e Caribe, existem 16,5 milhões de fazendas de agricultura familiar. Foto: FAO

Apoio a agricultores familiares é fundamental na luta contra a fome, diz FAO

A luta contra a fome alcançou hoje um “ponto de inflexão”, e apoiar os agricultores familiares é fundamental para o sucesso, disse na segunda-feira (29) o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, em discurso a parlamentares britânicos.

É um paradoxo o fato de os agricultores familiares — que produzem a maior parte dos alimentos no mundo — serem os mais ameaçados pela insegurança alimentar, disse Graziano.

Para erradicar a pobreza e a fome até 2030, há uma necessidade urgente de canalizar esforços globais para onde os problemas “acontecem mais profundamente no mundo”, disse o presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Kanayo F. Nwanze. Em outubro, a ONU marcou o Dia Internacional das Mulheres Rurais (15) e o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza (17). De acordo com Nwanze, o mundo precisa investir na população rural pobre, bem como estimular a agricultura familiar para que ela se torne parte importante do sistema produtivo. Confira neste vídeo

FAO conclui campanha de promoção dos direitos das mulheres rurais no Brasil

“Eu sou uma Maria quarqué, uma dessas muié que vive na roça que viaja de carroça, de cavalo ou a pé”.

Assim escreve Gracivan da Silva Santos Pereira, poeta natural de Xinguara (PA), uma das vencedoras do Concurso Vozes, Imagens, Histórias e Experiências das Mulheres Rurais do Brasil, promovido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

O concurso fez parte da campanha “#Mulheres Rurais, mulheres com direito”, lançada em março e concluída agora pela agência da ONU.

O Nepal é um dos países mais atingidos pelas mudanças climáticas. Os agricultores são os mais afetados, levando mais pessoas a migrar. No sul do país, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia cerca de 3 mil agricultoras e agricultores por meio de 120 escolas agrícolas, para que as famílias possam ser reunidas e os agricultores possam continuar a viver de suas terras. Confira neste vídeo

No Nepal, FAO apoio milhares de agricultores a se adaptar às mudanças climáticas

O Nepal é um dos países mais atingidos pelas mudanças climáticas. Os agricultores são os mais afetados, levando mais pessoas a migrar. No sul do país, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia cerca de 3 mil agricultoras e agricultores por meio de 120 escolas agrícolas, para que as famílias possam ser reunidas e os agricultores possam continuar a viver de suas terras. Confira neste vídeo.

Premiação reconheceu tecnologias sociais alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Foto: FAO

ONU e Fundação Banco do Brasil premiam projetos sociais da Bahia, Ceará, Paraíba, São Paulo e DF

Durante cerimônia na noite de quinta-feira (23), em Brasília, foram revelados os vencedores do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais 2017, uma iniciativa apoiada pela ONU. Neste ano, as categorias da premiação foram concebidas com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS). A competição também foi aberta, pela primeira vez, para projetos da América Latina, que concorreram num segmento internacional. Lista de ganhadores tem programas da Bahia, Ceará, Paraíba, São Paulo e Distrito Federal.

Durante cinco décadas de guerra, milhões de colombianos abandonaram suas casas para fugir da violência. Para ajudar na reconstrução das áreas destruídas, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desenvolveu um projeto – com apoio do governo da Suécia – que fornece treinamento e equipamento para os agricultores familiares. A iniciativa colaborou também para estreitar os vínculos da comunidade.

Na Colômbia, FAO ajuda agricultores familiares a retomar suas vidas; vídeo

Durante cinco décadas de guerra, milhões de colombianos abandonaram suas casas para fugir da violência. Para ajudar na reconstrução das áreas destruídas, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) desenvolveu um projeto – com apoio do governo da Suécia – que fornece treinamento e equipamento para os agricultores familiares. A iniciativa colaborou também para estreitar os vínculos da comunidade.

Projetos de Argentina e El Salvador concorrem ao Prêmio de Tecnologia Social na categoria internacional. Foto: Fundação Banco do Brasil.

ONU apoia premiação que reconhece soluções para desafios sociais na América Latina

Com o apoio de agências das Nações Unidas, a Fundação Banco do Brasil promove nesta quinta-feira (23) a entrega do Prêmio de Tecnologia Social, um dos principais do terceiro setor. A premiação tem como objetivo identificar e reconhecer soluções para desafios sociais, e este ano incluiu uma categoria para projetos desenvolvidos na América Latina.

Realizado a cada dois anos, o prêmio tem a cooperação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil e o apoio de Banco Mundial, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), entre outros parceiros.

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic (centro), recebe o presidente do Fida, Gilbert F. Houngbo (direita), em café da manhã em Brasília (DF). Foto: PNUD

Presidente de fundo agrícola da ONU é recebido com café da manhã em Brasília (DF)

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, recebeu na segunda-feira (20) o presidente do Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola das Nações Unidas (FIDA), Gilbert F. Houngbo, em café da manhã na Casa da ONU em Brasília (DF).

Houngbo está na capital brasileira para a conferência internacional “Cooperação Triangular e Sul-Sul — Impulsionando Inovações do Sul Global para Apoio à Transformação Rural”, que tem por objetivo identificar soluções inovadoras para aumento da produção e da produtividade agrícola.

Mais países se mobilizam para combater a resistência antimicrobiana na alimentação e na agricultura. Foto: EBC

Países se mobilizam para combater resistência a antibióticos na alimentação e na agricultura

Os esforços para interromper a propagação de patógenos resistentes a antibióticos nas atividades agrícolas e nos sistemas alimentares ganharam impulso graças a um forte apoio dos governos e de técnicos que está potencializando a capacidade dos países de responder ao problema, disse a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Os antimicrobianos são muito utilizados nos setores pecuário, avícola e aquícola para tratar ou prevenir doenças. Seu uso excessivo e indevido impulsiona a aparição e propagação de patógenos causadores de doenças que são resistentes aos medicamentos e, por isso, cada vez mais difíceis de tratar.

Crianças se banham em um lago formado por poços de escavação em Bentiu, Sudão do Sul. Em todo o país, apenas 41% das crianças têm acesso a água segura e limpa. Foto: UNICEF / Hatcher-Moore

Papa Francisco faz doação para ajudar 30 mil pessoas no Sudão do Sul

Cerca de 5 mil famílias vivendo no Sudão do Sul são as beneficiárias de uma doação de 25 mil euros feita neste mês pelo Papa Francisco. A verba foi doada para a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que usou o montante para fornecer sementes e outros insumos agrícolas para pequenos produtores da região de Yei, na província de Equatoria Central. Financiamento está melhorando a vida de 30 mil pessoas.

Mulher trabalha em plantação de chá no Sri Lanka. Foto: FIDA/G.M.B.Akash

Empoderamento das mulheres é requisito para o fim da fome, defende FAO

Sem igualdade de gênero e sem o empoderamento social, econômico e político das mulheres, o mundo não conseguirá eliminar a fome. A avaliação é do representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic. Dirigente lembrou que as mulheres são responsáveis pela produção de mais da metade dos alimentos consumidos no planeta. Seu protagonismo, porém, nem sempre se traduz em acesso justo a direitos e recursos.

Papa Francisco discursa na 2ª Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2) na sede da FAO, em Roma. Foto: FAO / Giulio Napolitano

Papa Francisco critica gastos com armas nucleares e pede mais investimentos para combate à pobreza

Investimentos em armas nucleares poderiam ser redirecionados para resolver os reais problemas do mundo, como a pobreza, a falta de educação e a proteção ambiental. A avaliação é do papa Francisco, que se pronunciou neste mês (10) contra o que chamou de “corrida armamentista”. Segundo o pontífice, armamentos atômicos “não podem constituir a base de uma coexistência pacífica” entre os povos.

Uso indiscriminado de antibióticos na pecuária pode favorecer desenvolvimento de resistência de bactérias e micróbios a medicamentos. Foto: Departamento dos Estados Unidos para Agricultura / Ryan Thompson

FAO: produção agrícola responde por pelo menos 20% das emissões de gases do efeito estufa

Em pronunciamento na 23ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP23, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, alertou que as transformações do clima poderão arrastar milhões de pessoas para um ciclo vicioso de pobreza e má nutrição. Dirigente cobrou adoção de padrões mais sustentáveis na produção agrícola.

Relatório da FAO destacou desafios para garantia de direitos de mulheres rurais latino-americanas e caribenhas. Foto: EBC

Nova publicação da FAO destaca desafios para garantia de direitos das mulheres rurais

Segundo nova publicação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), um dos elementos mais comuns que caracteriza a vida das mulheres rurais latino-americanas e caribenhas é a sobrecarga de atividades, devido a uma divisão sexual do trabalho que deixa nas mãos delas o cuidado dos filhos, dos anciãos e dos enfermos.

A “invisibilização” do trabalho que realizam no âmbito reprodutivo, produtivo e para o autoconsumo é outro fator-chave que se soma ao baixo acesso que têm aos meios de produção. O relatório também destaca dificuldades que enfrentam para a participação política e autonomia econômica.

Vanuatu, no Pacífico. Foto: Vanuatu Helicopters/Andy Martin

Líderes do Pacífico pedem à comunidade internacional que restrinja o aquecimento global a 1,5º C

Para os representantes de nove nações insulares, o restante do mundo precisa aumentar a ambição dos compromissos firmados no âmbito do Acordo de Paris e limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC até 2100. A meta já consta no tratado internacional, mas um levantamento recente revelou que os compromissos voluntários de cada Estado-parte não seriam suficientes para bater o objetivo — ao contrário, promessas são insuficientes e, caso não sejam aprimoradas, abririam margem para uma elevação de 3ºC na temperatura média global.

Vista aérea da Amazônia. Foto: Flickr/CIAT/ Neil Palmer (cc)

Especialistas reúnem-se em Brasília para discutir agricultura de baixo carbono na região amazônica

Especialistas e técnicos da área ambiental reuniram-se em Brasília (DF) na sexta-feira (10) para um seminário que discutiu balanços e perspectivas de projeto da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e parceiros que dissemina práticas de Agricultura de Baixo Carbono (ABC) na região amazônica.

O “Seminário PRADAM: balanços e perspectivas” discutiu iniciativa desenvolvida pela FAO em parceria com Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), Ministério da Agricultura e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Ao todo, mais de 1,6 mil produtores rurais e técnicos em assistência já participaram das atividades desenvolvidas pelo Projeto de Recuperação das Áreas Degradadas da Amazônia (PRADAM).

Plantação de algodão em Catuti (MG). Foto: OIT

Estudo mapeia informações sobre setor algodoeiro em seis países da América Latina

O algodão é um dos produtos agrícolas mais importantes do mundo. Estima-se que haja cerca de 35 milhões de hectares no produto plantados em 60 países. Na América Latina e no Caribe, esta cultura representa 80% das unidades produtivas da agricultura familiar.

A partir deste contexto, o projeto regional +Algodão publicou estudo que busca analisar a cadeia de valor do algodão em seis países da América Latina, a partir de um conjunto de marcos regulatórios para o seu desenvolvimento. O relato é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, cobrou uma resposta da sociedade e do poder público à dura realidade enfrentada pela juventude afrodescendente. Foto: UNFPA/Agnes Sofia Guimarães

‘O racismo mata e não podemos ser indiferentes’, diz ONU Brasil em lançamento da campanha #VidasNegras

A ONU Brasil lançou na terça-feira (7) a campanha #VidasNegras, iniciativa de conscientização nacional pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Em cerimônia que reuniu em Brasília cerca de cem autoridades públicas e representantes da sociedade civil e do corpo diplomático, dirigentes das Nações Unidas alertaram que cinco jovens negros morrem a cada duas horas no país. Por ano, o número chega a 23 mil.

O organismo internacional fez um apelo à sociedade brasileira e ao poder público por repostas ao racismo e à discriminação. Um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos no Brasil.

O Centro de Excelência contra a Fome contribuiu para mudar o entendimento de governos de cerca de 30 países sobre o potencial da alimentação escolar. Foto: Jaelson Lucas/SMCS

Políticas agrícolas devem melhorar qualidade dos alimentos, diz FAO

Para enfrentar a má nutrição — seja sob a forma da fome ou da obesidade —, países terão de implementar políticas agrícolas para garantir o abastecimento da população com produtos nutritivos. É o que defende a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Segundo a ONU, problemas como o sobrepeso colocaram em evidência a necessidade de fornecer alimentos saudáveis para as pessoas.

Plantação de cana-de-açúcar no Brasil. Foto: Agência Brasil/Elza Fiúza

Real enfraquecido leva a queda dos preços do açúcar no mundo, aponta FAO

Os preços globais dos alimentos caíram em outubro deste ano, chegando a um índice 27% abaixo da máxima registrada para o mês, em 2011. O cálculo é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que atribui a queda de 1,3% na comparação com setembro a oscilações do setor de laticínios. A agência da ONU citou ainda o enfraquecimento do real brasileiro como uma das causas da queda no preço mundial do açúcar.

José Graziano da Silva, diretor-geral da FAO, em encontro de ministros do G7. Foto: FAO

Má nutrição poderá afetar mais da metade população mundial até 2030, alerta FAO

Em reunião de ministros dos países do G7, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, alertou para as múltiplas formas de má nutrição afetando a população mundial. Atualmente, mais de 2 bilhões de pessoas sofrem de alguma forma de deficiência nutricional e cerca de 1,9 bilhão de indivíduos têm sobrepeso — desses, 600 milhões são obesos.

Joyce é uma pescadora que superou muitos desafios. Ela é uma das centenas de empreendedoras que atualmente se beneficiam do Fundo Fiduciário de Solidariedade para a segurança alimentar da África. O fundo apoia programas de aquicultura no Quênia com o objetivo de aumentar a produção local de peixes e criar oportunidades de emprego decente para mulheres e homens jovens. Saiba mais neste vídeo da FAO

Empodere uma mulher e ela vai empoderar uma geração inteira: a história de Joyce

Joyce é uma pescadora que superou muitos desafios. Ela é uma das centenas de empreendedoras que atualmente se beneficiam do Fundo Fiduciário de Solidariedade para a segurança alimentar da África. O fundo apoia programas de aquicultura no Quênia com o objetivo de aumentar a produção local de peixes e criar oportunidades de emprego decente para mulheres e homens jovens. Saiba mais neste vídeo da FAO.

FAO, Bolívia e Brasil promovem oficina sobre agricultura familiar e comércio bilateral

Com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a Embaixada da Bolívia no Brasil e o Ministério das Relações Exteriores promovem nos próximos dias 7 e 8 de novembro, na cidade boliviana de Puerto Suarez, uma Oficina Técnica Preparatória para a Reunião do Comitê Binacional de Integração Bolívia-Brasil. Evento discutirá a criação de um programa de produção de vegetais e leguminosas, tendo em vista o fortalecimento da agricultura familiar e da comercialização entre os dois países.