Jerônimo Villas-Bôas, ecólogo, trabalha com o resgate da produção de mel de espécies nativas de abelhas. Ele foi um dos palestrantes do evento em São Paulo. Foto: PMA/Isadora Ferreira

Evento em SP discute formas de garantir alimentação de qualidade para todos

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Centro de Excelência contra a Fome apoiaram no fim de janeiro (26 e 27) a realização de evento em São Paulo para debater possíveis caminhos para alimentar melhor uma população global que deve chegar a quase 9 bilhões de pessoas até 2030.

O seminário “Fruto — Diálogos do Alimento” reuniu 30 especialistas e 300 convidados, contando com palestras sobre os aspectos culturais, biológicos e sociais da alimentação, tendo como objetivo consolidar o Brasil como principal celeiro dessa discussão.

Colheita de soja em fazenda localizada no município mato-grossense de Rondonópolis, um dos principais pólos produtivos do país. Na década de 1990, a cidade chegou a ser denominada capital nacional do agronegócio Foto: EBC/Roosewelt Pinheiro

FAO: agricultura amorteceu crescimento fraco da economia brasileira

O representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, defendeu nesta semana (23) o papel central do setor agrícola para as atividades produtivas do Brasil. Em 2017, a colheita de grãos do país alcançou a marca de 232 milhões de toneladas. Em um ano de fraco crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a agricultura funcionou como um “amortecedor” para a economia nacional.

Crianças da Mongólia, no condado de Dadal, zona rural. Foto: Banco Mundial/Khasar Sandag

Agências da ONU defendem investimento no meio rural para lidar com migrações

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciaram nesta semana (24) uma nova parceria para auxiliar países na criação de políticas que combinem gestão migratória e desenvolvimento agrícola. Para agências da ONU, países devem compreender as causas dos deslocamentos humanos, preservar direitos de migrantes e explorar seu potencial.

Especialistas se reúnem em São Paulo para debater como levar alimentação de qualidade para toda a população mundial. Foto: PEXELS

ONU participa de seminário em São Paulo sobre alimentação, gastronomia e sustentabilidade

Em São Paulo, o seminário FRUTO – Diálogos do Alimento reunirá a partir de amanhã (26) 30 especialistas brasileiros e estrangeiros para responder à pergunta “como levar comida de qualidade para todos os habitantes do planeta?”. Organizado pelo chef Alex Atala e pelo produtor Felipe Ribenboim, evento terá a participação do Centro de Excelência contra a Fome das Nações Unidas. Atividades serão transmitidas ao vivo e com tradução pela internet. Acompanhe.

Uso indiscriminado de antibióticos na pecuária pode favorecer desenvolvimento de resistência de bactérias e micróbios a medicamentos. Foto: Departamento dos Estados Unidos para Agricultura/Ryan Thompson

Produtos de origem animal têm ‘impacto excessivo’ para meio ambiente e clima, diz FAO

Em fórum realizado em Berlim, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, ressaltou neste mês (20) que a pecuária continua sendo um dos pilares da segurança alimentar mundial.

Mas alertou que expansão do setor ameaça proteção da biodiversidade, o acesso sustentável a água e, principalmente, o cumprimento dos objetivos do Acordo de Paris — limitar a elevação da temperatura média do planeta.

Pescadores em lago no México. Foto: Banco Mundial/Curt Carnemark

ONU e América Latina discutem estratégias de pesca continental e aquicultura para 2018-2019

Delegações de países da América Latina e do Caribe reuniram-se nesta semana com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para discutir o futuro da pesca continental e da aquicultura na região. Encontro definiu estratégias para os próximos dois anos da comissão da FAO sobre o tema. Embora tenha crescido nos últimos 50 anos, a pesca continental em território latino-americano representa apenas 5,12% da captura a nível mundial.

Mulher indígena no Brasil. Foto: Banco Mundial/Yosef Hadar

FAO critica preconceito de gênero, classe e etnia enfrentado por mulheres indígenas

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, pediu nesta sexta-feira (12) o fim da “discriminação tripla” enfrentada pelas mulheres indígenas, suscetíveis a preconceito e exclusão por seu gênero, por serem de povos originários e por serem pobres. Em fórum regional, no México, chefe da agência da ONU defendeu o empoderamento social e econômico desse grupo.

Agricultores semeando alface crespa. Foto: Flickr/ Orgânicos do Pivas (Creative Commons)

Concurso irá escolher práticas agrícolas tradicionais de destaque no Brasil

Foram prorrogadas até 20 de fevereiro as inscrições para o prêmio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais (SAT). O objetivo é reconhecer 15 iniciativas brasileiras, bem como incentivar e fortalecer a articulação, mobilização e formação de redes comunitárias em torno desses sistemas.

O prêmio é uma parceria entre BNDES, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), com o apoio da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD).

Plantações de arroz em Bangladesh. Foto: Banco Mundial/Thomas Sennett

ONU usará tecnologia nuclear para produzir arroz resistente às mudanças climáticas na Ásia

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) aplicará tecnologia nuclear para tornar as plantações de arroz na Ásia resistentes às futuras alterações dos padrões climáticos. Iniciativa beneficiará agricultores de Bangladesh, Camboja, Laos e Nepal. Os quatro países são responsáveis por 90% do arroz produzido no mundo. Projeto visa aprimorar gestão de recursos hídricos e otimizar uso de fertilizantes.

Mulheres da comunidade Batwa em Gashikanwa, Burundi, cultivam o solo para plantar batatas. Foto: FAO

Mapa de agência da ONU mostra quantidade de reservas de carbono nos solos do mundo

Coincidindo com as celebrações do Dia Mundial do Solo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apresentou no início de dezembro (5) um mapa detalhado sobre as reservas de carbono nos solos do mundo.

Como sistema fundamental de armazenamento de carbono, a conservação e restauração dos solos são essenciais tanto para a sustentabilidade da agricultura como para a mitigação da mudança climática.

Superciclo das commodities impulsionou crescimento do Brasil no passado. Foto: EBC

Países dependentes de matérias-primas precisam diversificar economia, diz relatório

Sem uma decidida vontade de realizar mudanças de política econômica até 2030, os países em desenvolvimento que dependem de produtos básicos serão superados por economias mais diversificadas em termos de conquistas sociais e econômicas, segundo relatório publicado em dezembro (11) por Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o relatório, entre as medidas econômicas que podem promover o crescimento inclusivo nos próximos 15 anos, estão a diversificação econômica, a ampliação dos vínculos entre o setor de produtos básicos e a economia nacional, a adoção de políticas de gasto de caráter anticíclico que permitam constituir reservas durante os períodos de preços altos e utilizá-las durante os períodos de redução de preços, a geração de valor agregado nas matérias-primas e o investimento em proteção social, saúde e educação.

Reverter o processo de desertificação por meio de ações que enfrentem a degradação do solo, da água e a perda de biodiversidade nos ecossistemas da Caatinga é o principal objetivo do Projeto Redeser. Foto: EBC

FAO e Ministério do Meio Ambiente firmam parceria para ações de sustentabilidade no semiárido

Reverter o processo de desertificação por meio de ações que enfrentem a degradação do solo, da água e a perda de biodiversidade nos ecossistemas da Caatinga é o objetivo do Projeto Redeser.

A iniciativa é fruto de parceria entre a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA), oficializada na semana passada (20), em Brasília (DF). O projeto será desenvolvido em seis estados do semiárido brasileiro e beneficiará 18 municípios.

Em 2010, o Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro foi registrado pelo Iphan como Patrimônio Cultural do Brasil. Foto: Iphan

Prorrogada inscrição de prêmio para boas práticas de proteção dos sistemas agrícolas tradicionais

As inscrições para o Prêmio BNDES de Boas Práticas para Sistemas Agrícolas Tradicionais foram prorrogadas até 20 de fevereiro. Serão contempladas 15 ações de salvaguarda do patrimônio cultural imaterial e conservação dinâmica, que dividirão o prêmio de 925 mil reais.

A iniciativa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), tem como objetivo reconhecer boas práticas presentes nos Sistemas Agrícolas Tradicionais (SATs) no Brasil.

Espécie de sempre-viva típica dos campo de altitude da Serra do Cipó (MG). Foto: Wikimeadia Commons/Antonio José Maia Guimarães (CC)

Comunidade tradicional brasileira se prepara para receber certificação internacional da FAO

Reconhecido mundialmente, o título de “Sistema Agrícola Tradicional Globalmente Importante”, já concedido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) a 41 sítios em 18 países do mundo, está mais perto de ser dado a comunidades e povos tradicionais do Brasil. Isso porque foi criado, em Diamantina, interior de Minas Gerais, o primeiro grupo de trabalho brasileiro que facilitará a obtenção do reconhecimento às comunidades de apanhadoras de flores sempre-vivas da região.

O conflito na Síria tem afetado severamente a população do país – e também a pecuária que garante sua subsistência. Nos últimos anos, o número de cabeças de gado diminuiu mais de 30%, enquanto o número de ovelhas e carneiros caiu mais de 40%. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Associação Médica Veterinária da Síria realizaram uma campanha de saúde animal no início deste ano para proteger 1,3 milhão de ovelhas e cabras e 65 mil bovinos de doenças altamente contagiosas. A campanha de três meses beneficiou mais de 200 mil criadores, com apoio dos EUA. Confira mais neste vídeo

Com apoio da FAO, pecuaristas retomam produção na Síria

O conflito na Síria tem afetado severamente a população do país – e também a pecuária que garante sua subsistência. Nos últimos anos, o número de cabeças de gado diminuiu mais de 30%, enquanto o número de ovelhas e carneiros caiu mais de 40%.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Associação Médica Veterinária da Síria realizaram uma campanha de saúde animal no início deste ano para proteger 1,3 milhão de ovelhas e cabras e 65 mil bovinos de doenças altamente contagiosas. A campanha de três meses beneficiou mais de 200 mil criadores, com apoio dos EUA. Confira mais neste vídeo.

Foto: FIDA

Campanha pelos direitos das mulheres rurais é encerrada com evento em Florianópolis

A campanha internacional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) “Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos” concluiu as ações deste ano com a premiação das vencedoras dos concursos culturais regional e brasileiro. O evento foi realizado durante a 27ª Reunião Especializada em Agricultura Familiar no Mercosul (REAF), realizada na semana passada (8), em Florianópolis (SC).

Região do Caribe é particularmente vulnerável a desastres naturais, ciclones, inundações e terremotos. Foto: MINUSTAH / Logan Abasse

Países de América Latina e Caribe criam estratégia para enfrentar risco de desastres

A Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) aprovou na quarta-feira (13) uma estratégia regional elaborada com apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para enfrentar o risco de desastres no setor agrícola e na segurança alimentar e nutricional.

Segundo a FAO, a região latino-americana e caribenha é altamente sujeita a desastres, e alguns de seus países estão entre os mais expostos ao risco climático.

Previsão da FAO é de que a produção de milho para 2017 na América Latina e no Caribe se manterá em níveis altos como resultado do aumento da produção em Argentina e Brasil. Foto: EBC

FAO: Brasil e Argentina devem ter recorde de produção de milho em 2017

Uma maior produção de milho e uma queda da produção de trigo na América do Sul este ano são dois aspectos destacados pelo relatório “Perspectivas Alimentares”, divulgado no fim de novembro (21) pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Segundo o documento, a produção de milho do Brasil em 2017 deve alcançar novo recorde de 99,4 milhões de toneladas, aumento de 57% frente a 2016. A Argentina também registrou uma produção recorde de 49,5 milhões de toneladas, apontou.

Agricultores do Uzbequistão. Foto: FAO

Relatório da FAO revela problema da má nutrição em países de Europa e Ásia Central

Novo relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançado na segunda-feira (4) analisou o estado da segurança alimentar e da nutrição nos países na Europa e na Ásia Central.

Com uma nova metodologia, o documento afirma que 14,3 milhões de adultos da região enfrentaram insegurança alimentar grave entre 2014 e 2016. Segundo o relatório, a má nutrição em uma ou mais formas (desnutrição, sobrenutrição e carências de micronutrientes) está presente em todos os países das regiões analisadas.

Plantação de algodão em Catuti (MG). Foto: OIT

Em dia mundial dos solos, FAO lembra importância de modelos sustentáveis na produção de algodão

Neste 5 de dezembro, Dia Mundial do Solo, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lembra que uma terra de qualidade é vital para garantir as condições produtivas adequadas de diferentes sistemas agrícolas e florestais. Na América Latina e no Caribe, a agência da ONU promove a conservação e uso sustentável dos solos utilizados nas culturas de algodão.

Relançamento da Natal Sem Fome lembra ativismo de Betinho contra a miséria. Imagem: Divulgação/Ação da Cidadania

Artistas brasileiros apoiam divulgação de Campanha Natal Sem Fome

Mais de 60 artistas brasileiros, entre eles Chico Buarque, Caetano Veloso, Daniela Mercury e Carlinhos Brown, participam este ano da divulgação da Campanha Natal Sem Fome, iniciativa da ONG Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo sociólogo Hebert de Souza (Betinho).

A campanha conta com parceria da representação no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

De acordo com o último relatório publicado por FAO e OPAS, a fome aumentou na América Latina e no Caribe pela primeira vez em mais de duas décadas. Foto: EBC

Agências da ONU unem esforços para erradicar fome e má nutrição na América Latina e no Caribe

As três agências das Nações Unidas com sede em Roma — Programa Mundial de Alimentos, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) — anunciaram nesta quinta-feira (30) uma nova aliança que permitirá unir esforços para apoiar os países latino-americanos e caribenhos na erradicação da fome, da má nutrição e da pobreza, impulsionar o desenvolvimento rural e avançar rumo aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Esta nova aliança responde ao momento crítico enfrentado por América Latina e Caribe. De acordo com o último relatório publicado pela FAO e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a fome aumentou na região pela primeira vez em mais de duas décadas.

Merendeiras brasileiras visitam escola no Senegal em uma iniciativa do Centro de Excelência da ONU contra a Fome, que impulsiona a cooperação Sul-Sul. Foto: PMA/Mariana Rocha

Agências da ONU combinarão estratégias de cooperação Sul-Sul para erradicar a fome

Agências da ONU anunciaram na terça-feira (28) um roteiro de ação para coordenar estratégias de cooperação Sul-Sul e fortalecer o combate à fome em países em desenvolvimento. Apresentado durante a Expo de Desenvolvimento Global Sul-Sul, em Antália, na Turquia, o planejamento orientará iniciativas do Programa Mundial de Alimentos (PMA), do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Na América Latina e Caribe, existem 16,5 milhões de fazendas de agricultura familiar. Foto: FAO

Apoio a agricultores familiares é fundamental na luta contra a fome, diz FAO

A luta contra a fome alcançou hoje um “ponto de inflexão”, e apoiar os agricultores familiares é fundamental para o sucesso, disse na segunda-feira (29) o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, em discurso a parlamentares britânicos.

É um paradoxo o fato de os agricultores familiares — que produzem a maior parte dos alimentos no mundo — serem os mais ameaçados pela insegurança alimentar, disse Graziano.

Foto: FIDA

FAO conclui campanha de promoção dos direitos das mulheres rurais no Brasil

“Eu sou uma Maria quarqué, uma dessas muié que vive na roça que viaja de carroça, de cavalo ou a pé”.

Assim escreve Gracivan da Silva Santos Pereira, poeta natural de Xinguara (PA), uma das vencedoras do Concurso Vozes, Imagens, Histórias e Experiências das Mulheres Rurais do Brasil, promovido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

O concurso fez parte da campanha “#Mulheres Rurais, mulheres com direito”, lançada em março e concluída agora pela agência da ONU.

O Nepal é um dos países mais atingidos pelas mudanças climáticas. Os agricultores são os mais afetados, levando mais pessoas a migrar. No sul do país, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia cerca de 3 mil agricultoras e agricultores por meio de 120 escolas agrícolas, para que as famílias possam ser reunidas e os agricultores possam continuar a viver de suas terras. Confira neste vídeo

No Nepal, FAO apoio milhares de agricultores a se adaptar às mudanças climáticas

O Nepal é um dos países mais atingidos pelas mudanças climáticas. Os agricultores são os mais afetados, levando mais pessoas a migrar. No sul do país, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apoia cerca de 3 mil agricultoras e agricultores por meio de 120 escolas agrícolas, para que as famílias possam ser reunidas e os agricultores possam continuar a viver de suas terras. Confira neste vídeo.

Premiação reconheceu tecnologias sociais alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Foto: FAO

ONU e Fundação Banco do Brasil premiam projetos sociais da Bahia, Ceará, Paraíba, São Paulo e DF

Durante cerimônia na noite de quinta-feira (23), em Brasília, foram revelados os vencedores do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais 2017, uma iniciativa apoiada pela ONU. Neste ano, as categorias da premiação foram concebidas com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS). A competição também foi aberta, pela primeira vez, para projetos da América Latina, que concorreram num segmento internacional. Lista de ganhadores tem programas da Bahia, Ceará, Paraíba, São Paulo e Distrito Federal.