Foto: GEPR

CEPAL defende diversificação de cadeias produtivas de América Latina e Caribe

Segundo secretário-executivo adjunto da Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL), para a criação das cadeias de valor inclusivas é necessário implementar políticas macroeconômicas que fomentem o acesso de pequenas e médias empresas a financiamento, mudanças que promovam a competitividade e taxas reduzidas de inflação, além de políticas comerciais e de facilitação pró-cadeias de valor.

O Dia Mundial do Meio Ambiente em 2017 ganha o tema “Conectando as pessoas à natureza” e será comemorado mundo afora com mais de 1 mil eventos. Foto: CIAT/Neil Palmer

Democracia ambiental precisa avançar na América Latina e Caribe, dizem especialistas em evento da CEPAL

Segundo Antonio Prado, secretário-executivo adjunto da CEPAL, a democracia ambiental — ou seja, o direito de acessar a informação, a tomada de decisões e a justiça em temas ambientais — está no coração da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, aprovada pelos Estados-membros das Nações Unidas em 2015.

“A região da América Latina e Caribe é rica em recursos naturais, especialmente mineiros. É nossa convicção profunda que nessa região a governança dos recursos naturais é uma alavanca para o cumprimento da Agenda 2030”, afirmou.

A rápida disseminação da COVID-19 e as medidas tomadas pelos governos tiveram graves consequências nas principais economias mundiais, o que provocou uma queda significativa no comércio global. Foto: APPA

CEPAL chama Alemanha a investir em países de América Latina e Caribe

A secretária-executiva da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, pediu que a Alemanha aproveite as oportunidades e vantagens oferecidas pela região aos investidores estrangeiros, e lançou uma iniciativa de cooperação com empresários alemães para gerar uma plataforma exportadora com a América Latina, durante encontros ocorridos em Berlim na semana passada.

Os maiores parceiros comerciais da Alemanha em 2015 foram Brasil, México, Argentina, Chile e Colômbia, com comércio de produtos como café, ferro, soja, autopeças, materiais eletroeletrônicos e máquinas.

Reunião na sede da CEPAL tratou de igualdade de gênero na América Latina e Caribe. Foto: CEPAL

Ministras reúnem-se na CEPAL para discutir igualdade de gênero na América Latina

Ministras e representantes dos mecanismos para o avanço das mulheres na América do Sul reúnem-se esta semana na sede da Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (CEPAL), em Santiago (Chile), para examinar os desafios da agenda de gênero na região. A reunião de dois dias é uma preparação para a 13ª Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe, que ocorrerá em outubro.

“O desenvolvimento sustentável sem igualdade de gênero não é desenvolvimento sustentável”, disse no encontro a secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena.

A mineração de ouro em Paracatu, em Minas Gerais, é liderada pela empresa canadense Kinross Gold Corporation. Foto: José Cruz / Agência Brasil

CEPAL: América Latina e Caribe não aproveitaram valorização dos minérios para desenvolver indústria

Embora tenha desempenhado papel importante no período de alta dos preços dos minerais metálicos, ao longo dos últimos 15 anos, região não buscou alternativas para agregar valor aos minérios.

América Latina e Caribe abrigam 47% de todo o cobre do mundo, mas sua participação no mercado de cobre refinado é de 16%, enquanto a produção da China, com reservas inferiores, representa quase 35%.

UNCTAD prevê que multinacionais norte-americanas repatriação recursos aos Estados Unidos após reforma tributária. Foto: EBC

Novas emissões de bônus de América Latina e Caribe têm em março maior volume mensal desde junho de 2014

A melhora da confiança do mercado e dos fluxos de capitais para América Latina e Caribe contribuiu para que o primeiro trimestre de 2016 terminasse com um tom mais otimista, com as novas emissões de bônus da região alcançando quase 14 bilhões de dólares em março, a maior emissão mensal desde junho de 2014, segundo relatório da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL).

São Paulo, capital econômica do Brasil. Foto: Diego Torres Silvestre/Flickr/CC

CEPAL: investimento estrangeiro direto na América Latina e Caribe cai 9,1% em 2015, para US$179 bi

Segundo a Comissão Econômica da ONU para a América Latina e o Caribe (CEPAL), por meio de políticas ativas e integradas os países podem aproveitar o investimento estrangeiro direto para diversificar suas economias, potencializar a inovação e responder aos desafios da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Resultado é explicado pela queda do investimento em setores vinculados aos recursos naturais, principalmente mineração e hidrocarbonetos, e à desaceleração do crescimento econômico, sobretudo no Brasil, informou o organismo da ONU.

O IPM global de 2019 traça um quadro detalhado da pobreza para 101 países e 1.119 regiões subnacionais, cobrindo 76% da população global e indo além de medidas simples baseadas na renda para observar como as pessoas vivenciam a pobreza todos os dias. Foto: ONU/Kibae Park

Em reunião da CEPAL, autoridades defendem igualdade no centro do desenvolvimento sustentável

Chanceleres e outros ministros de América Latina e Caribe aprovaram propostas apresentadas pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em seu documento “Horizontes 2030: a igualdade no centro do desenvolvimento sustentável”, cujas principais diretrizes são reduzir os desequilíbrios econômicos, sociais e ambientais que hoje afetam a região, de modo a alcançar um desenvolvimento baseado na igualdade e na sustentabilidade.

Vista da Favela Jaqueline, no distrito de Vila Sônia (São Paulo, Brasil). Foto: Wikicommons/Dornicke

Evento no México discute proposta da CEPAL para novo estilo de desenvolvimento em América Latina e Caribe

Documento “Horizontes 2030: a Igualdade no Centro do Desenvolvimento Sustentável” será eixo dos debates entre países-membros e associados no 36º Período de Sessões, evento do organismo da ONU realizado na capital mexicana de 23 a 27 de maio. Evento terá transmissão ao vivo pela Internet.

No documento, a CEPAL explica que o sistema atual de desenvolvimento é insustentável, pois se baseia em três desequilíbrios: o viés recessivo na economia internacional, o aumento da desigualdade e a deterioração ambiental.

O Dia Mundial do Meio Ambiente em 2017 ganha o tema “Conectando as pessoas à natureza” e será comemorado mundo afora com mais de 1 mil eventos. Foto: CIAT/Neil Palmer

CEPAL destaca planejamento como ferramenta para a Agenda 2030 na América Latina e Caribe

Organismo das Nações Unidas realiza seminário sobre perspectivas para o desenvolvimento sustentável às vésperas de seu 36º período de sessões, que ocorrerá no México de 23 a 27 de maio.

Evento da semana que vem será aberto pelo presidente do México, Enrique Peña Nieto, e reunirá mais de 30 ministros da região, assim como pesquisadores e acadêmicos, representantes da sociedade civil e do Sistema ONU.

Desemprego é mais alto entre mulheres do que entre os homens. Foto: Agência Brasil

Desemprego deve continuar subindo na América Latina e no Caribe em 2016, preveem CEPAL e OIT

A taxa média de desemprego urbano na região teve seu primeiro aumento desde 2009, passando de 6% em 2014 para 6,5% em 2015, de acordo com relatório da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

A previsão é que o indicador suba mais 0,5 ponto percentual este ano, diante de uma contração de 0,6% da economia regional prevista para 2016.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Participação e direito a informação em temas ambientais será discutido no Uruguai

Países da América Latina e Caribe buscam acordo sobre o Princípio 10 da Declaração do Rio sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, que busca assegurar que toda pessoa tenha acesso a informação, participe na tomada de decisões e tenha acesso a justiça em assuntos ambientais, com o fim de garantir o direito a um meio ambiente saudável e sustentável às gerações presentes e futuras; evento promovido pela CEPAL será de 5 a 8 de abril em Montevidéu.

Lançamento de Estudo Econômico será transmitido online e por videoconferência para o escritório da CEPAL no Brasil. Foto: Carlos Vera/CEPAL

Seminário da CEPAL discutirá no Chile desafios da política fiscal em cenário de baixo crescimento

Em sua 28ª edição, evento discutirá, entre outros temas, os desafios da política fiscal nos países da América Latina e Caribe diante da atual conjuntura de menor crescimento econômico. Também serão avaliados os progressos na região em matéria de reformas tributárias e de distribuição de renda. Durante o seminário, será apresentado o relatório “Estatísticas tributárias na América Latina e Caribe 2016”.