Alicia Bárcena, secretária-executiva da CEPAL. Foto: CEPAL

CEPAL elogia compromisso da América Latina e Caribe com objetivos da ONU, mas cobra mudanças tributárias

Dezenove dos 33 países da América Latina e Caribe possuem instituições intersetoriais de alto nível para coordenar o cumprimento da Agenda 2030 das Nações Unidas. Também na região, 14 Estados já apresentaram informes nacionais voluntários sobre progressos obtidos no biênio 2016-2017. Mas para avançar, nações precisam aumentar carga tributária para mobilizar recursos, defendeu a CEPAL em Nova Iorque, durante o Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável (HLPF).

Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

Cidades latino-americanas lideram taxas de homicídios no mundo

Desigualdade social, urbanização não planejada, políticas antidrogas falhas, impunidade, disponibilidade de armas e cultura machista. Esses são alguns dos fatores que contribuem para que cidades latino-americanas liderem ranking mundial de homicídios, segundo especialistas.

A América Latina e o Caribe concentram apenas 8% da população global, mas respondem por mais de 33% dos homicídios do mundo, de acordo com o Observatório de Homicídios, do Instituto Igarapé. Quatorze dos 20 países com as maiores taxas de assassinato globalmente estão localizados na região. Leia a reportagem completa.

Mulheres representam 20% da mão de obra do setor agrícola na América Latina e Caribe. Foto: Banco Mundial/Romel Simon

Especialistas defendem inclusão financeira para maior autonomia das mulheres latino-americanas

A inclusão financeira e a igualdade de gênero são ferramentas fundamentais para alcançar a autonomia econômica das mulheres e avançar para o desenvolvimento sustentável, afirmaram na segunda-feira (10) autoridades e especialistas reunidos na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, no Chile, para apresentação do relatório “Gênero no Sistema Financeiro”.

Segundo dados da CEPAL, uma em cada três mulheres na América Latina e no Caribe não tem renda própria, enquanto uma em cada quatro possui renda inferior a um salário mínimo. Além disso, oito em cada dez estão empregadas majoritariamente em setores de baixa produtividade e, apesar de seus níveis de escolaridade mais elevados, continua persistindo uma desigualdade salarial importante.

O presidente da FNP e prefeito de Campinas, Jonas Donizzete, e o coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, firmaram acordo de parceria em Brasília. Foto: PNUD/Vivian Doherty

ONU Brasil e Frente Nacional dos Prefeitos reforçam parceria pelo desenvolvimento sustentável

O coordenador-residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, e o presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette, firmaram na terça-feira (4) um memorando de entendimento com o objetivo de criar um marco de cooperação, além de facilitar e fortalecer a colaboração para promoção e alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Encontro no Chile abordou desafios de saúde das mulheres, crianças e adolescentes. Foto: UNFPA

Políticas públicas devem ter perspectiva de gênero para garantir direitos das mulheres, diz CEPAL

Em evento no Chile para discutir desafios de saúde do público feminino e infanto-juvenil, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, alertou que na região “a pobreza tem o rosto de mulher”.

Segundo a dirigente, mulheres representam uma parcela desproporcionalmente maior dos segmentos de menor renda. Miséria também afeta o bem-estar das crianças e adolescentes.

A feira também foi uma oportunidade de promover interação entre refugiados, migrantes e brasileiros. Foto: ACNUR/Diogo Félix.

Migrantes são grupo prioritário da agenda de desenvolvimento sustentável, diz CEPAL

Os migrantes sofrem simultaneamente diversas carências e discriminações, sendo um grupo prioritário da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, disse a diretora da divisão de desenvolvimento social da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Laís Abramo.

A diretora chamou a atenção para os fatores estruturais que estão na origem dos diferentes fluxos migratórios na América Latina, como a pobreza e as múltiplas dimensões da desigualdade, assim como a precariedade dos mercados de trabalho e os déficits de trabalho decente.

Os países da América Latina e do Caribe reafirmaram seu compromisso de promover, proteger e respeitar os direitos humanos, a dignidade e as liberdades fundamentais dos idosos. Foto: Allan Rostron/CC

Países latino-americanos e caribenhos reafirmam compromisso com direitos dos idosos

Os países da América Latina e do Caribe reafirmaram seu compromisso de promover, proteger e respeitar os direitos humanos, a dignidade e as liberdades fundamentais dos idosos, durante o encerramento da quarta conferência regional sobre envelhecimento, ocorrida em Assunção, no Paraguai.

No final do evento, os países adotaram uma declaração que reconhece a persistência de obstáculos que prejudicam a participação dos idosos na vida política, social, econômica e cultural da região. O documento exorta os governos a incorporar o tema do envelhecimento em suas políticas, planos e programas de forma transversal, adotando políticas específicas para idosos.

Menino em favela no Rio de Janeiro. Foto: EBC

CEPAL vê com preocupação congelamento do gasto público brasileiro

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) vê com preocupação a iniciativa do governo brasileiro de congelar seus gastos públicos para os próximos 20 anos, e sugere, pelo contrário, mais investimentos públicos e proteção do gasto social no país, de forma a evitar aumento da pobreza e das desigualdades.

As declarações foram feitas pela diretora da divisão de desenvolvimento social da CEPAL, Laís Abramo, durante evento de lançamento do relatório “Panorama Social da América Latina” 2016, realizado no BRICS Policy Center, no Rio de Janeiro, na última segunda-feira (26). O documento indicou desaceleração da queda da desigualdade na região, especialmente a partir de 2012.

O encontro promoveu um debate sobre o acesso ao diagnóstico, prevenção, tratamento e cuidado em HIV/Aids. Foto: Imprensa MG/Adair Gomes

UNAIDS apoia cooperação entre jovens da África e da América Latina que vivem com HIV

Com apoio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), a iniciativa 10 Questions Project (Projeto 10 Perguntas, em tradução livre para o português) vai conectar jovens soropositivos da América Latina, Caribe e África para fortalecer a cooperação global entre pessoas vivendo com HIV. Participantes avaliarão atuação de redes que lutam para levar mais serviços de saúde aos afetados pela epidemia.

Mulheres representam 20% da mão de obra do setor agrícola na América Latina e Caribe. Foto: Banco Mundial/Romel Simon

CEPAL chama mulheres a se emancipar política, física e economicamente

As mulheres devem buscar a emancipação e a autonomia política, física e econômica, afirmou na terça-feira (20) a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), durante uma apresentação no Fórum Forbes Mulheres Poderosas 2017, realizado na Cidade do México.

Em seu discurso, Alicia Bárcena afirmou que as mulheres da região têm de alcançar a igualdade, mas com titularidade de direitos, “não por ter mais dinheiro ou menos, nem por ter mais ou menos meios, nem apenas por vontade individual”.

Moradores da favela da Babilônia, no Rio de Janeiro. Foto: ONU/Evan Schneider

Elevada desigualdade na América Latina constitui obstáculo para desenvolvimento sustentável, diz CEPAL

Entre 2008 e 2015, a desigualdade na distribuição de renda diminuiu na América Latina graças à prioridade que os países deram ao desenvolvimento social. No entanto, o ritmo de declínio desacelerou entre 2012 e 2015, e os níveis atuais seguem muito altos para alcançar o desenvolvimento sustentável. O alerta foi feito nesta terça-feira (30) pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Menino durante ato contra a violência nas favelas do Rio de Janeiro. Foto: Mídia Ninja

CEPAL lança relatório sobre desenvolvimento social da América Latina e Caribe na terça-feira (30)

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) divulgará na próxima terça-feira (30) a nova edição de seu principal relatório anual sobre temas de desenvolvimento social. O documento ‘Panorama Social da América Latina 2016’ será lançado pela secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, em coletiva de imprensa na sede do organismo regional, em Santiago do Chile.

Segundo a CEPAL, a evasão de impostos sobre a renda pessoal, corporativa e dos impostos sobre o consumo custam à América Latina e o Caribe mais de US$320 bi por ano. Foto: EBC.

Imposto de renda não gera receita suficiente para redistribuir recursos pela sociedade, alerta CEPAL

Em relatório que avalia quanto os países terão de investir para cumprir a Agenda 2030 da ONU, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) aponta que seus Estados-membros precisam ampliar a arrecadação de impostos se quiserem realmente acabar com a pobreza e promover o desenvolvimento sustentável nos próximos 13 anos. Organismo critica políticas de incentivo fiscal e falta de taxação progressiva sobre a renda.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) publicou no início deste mês (3) uma avaliação sobre a transparência fiscal do Brasil. Foto: Agência Brasil

Países latino-americanos e caribenhos defendem fortalecer institutos de estatística

Os países da América Latina e do Caribe devem priorizar o fortalecimento de seus sistemas nacionais de estatísticas para que melhorem a construção e medição de indicadores, assim como a provisão de financiamento, para a conquista dos objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A estratégia foi defendida por representantes governamentais latino-americanos e caribenhos presentes em evento organizado pela CEPAL na semana passada na Cidade do México.

Durante a reunião, representantes de Antígua e Barbuda, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Guatemala, Panamá, Trinidad e Tobago e Estados Unidos também abordarão uma política de etnicidade e saúde e a Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030. Foto: Banco Mundial

Desigualdade e exclusão social são desafios para saúde nas Américas, diz agência da ONU

Os desafios mais importantes para a saúde e o bem-estar nas Américas estão enraizados na desigualdade e na exclusão social. A afirmação foi feita pela diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, durante a primeira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, ocorrido na semana passada na Cidade do México.

Relatório da UIT ainda vê profundas desigualdade no acesso às tecnologias de informação e comunicação entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento. Foto: EBC

Países latino-americanos e caribenhos avaliam impactos socioeconômicos das novas tecnologias

Para aproveitar a chamada quarta revolução industrial e evitar serem arrasados pelo “tsunami” tecnológico, os países latino-americanos e caribenhos devem entender primeiro do que se trata esse processo global, identificar os setores que podem se nutrir das novas tecnologias e avaliar os possíveis benefícios e custos de sua utilização.

A análise foi feita por autoridades e especialistas no Fórum de Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, realizado na Cidade do México, e que teve a participação da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Acesso direto a mercados pode promover autonomia econômica de mulheres que trabalham na produção agrícola. Foto: FAO

CEPAL defende emancipação econômica das mulheres e alerta para trabalho doméstico não remunerado

Em evento paralelo ao primeiro Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável, a secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, defendeu na quinta-feira (27) a emancipação econômica das mulheres, que ainda ocupam os piores empregos na região e vivem sobrecarregadas com atividades domésticas não remuneradas. Em média, oito em cada dez trabalhadoras estão nos setores de baixa produtividade.

Carissa Etienne, da OPAS (à esquerda), e Alicia Bárcena, da CEPAL (à direita). Foto: CEPAL

Agências da ONU firmam acordo para melhorar coleta de estatísticas sobre saúde na América Latina e Caribe

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) assinaram na quinta-feira (27) um novo acordo de cooperação para melhorar sistemas de informação sobre o bem-estar da população da região. Parceria entre as duas agências da ONU foi formalizada na Cidade do México, em meio aos eventos do primeiro Fórum regional sobre Desenvolvimento Sustentável.

Alicia Bárcena e Enrique Peña Nieto no Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável, na Cidade do México. Foto: Presidência do México

CEPAL: América Latina e Caribe precisam superar fragmentação para buscar crescimento sustentável

Ao lado do presidente do México, Enrique Peña Nieto, a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, deu início na quarta-feira (26) às atividades do primeiro Fórum sobre Desenvolvimento Sustentável da região. A dirigente do organismo da ONU defendeu que países revigorem a integração regional como ferramenta “diversificação produtiva”. Multilateralismo foi descrito como necessário para o cumprimento das metas das Nações Unidas.

Países latino-americanos e caribenhos defenderam fortalecimento dos institutos de estatística. Foto: EBC

CEPAL reduz previsão de crescimento da economia latino-americana e caribenha

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) atualizou as projeções de crescimento da atividade econômica da região para 2017, e espera uma expansão média de 1,1% durante este ano. A projeção está levemente abaixo da estimativa feita em dezembro de 2016, de 1,3%.

Para o Brasil, a previsão é de avanço de 0,4% este ano, o segundo pior desempenho na região, depois da Venezuela (-7,2%).

Número de pesquisadores na América Latina e no Caribe é bem inferior ao de países desenvolvidos. Foto: EBC

América Latina e Caribe têm até 90% menos pesquisadores do que países desenvolvidos, diz CEPAL

A América Latina e o Caribe têm apenas 520 pesquisadores por 1 milhão de habitantes, proporção bem inferior da verificada em países desenvolvidos — onde, em média, o número varia de 2 mil a 8 mil. Disparidades foram tema de palestra dada na quinta-feira (20) pela secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, Alicia Bárcena, durante evento de abertura do ano letivo da Universidade do Chile.

Segundo a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o Brasil pretende desenvolver estratégia global de Cooperação Sul-Sul em segurança alimentar e nutricional. Foto: PMA/Isadora Ferreira

América Latina, Caribe e ONU discutem alimentação escolar em seminário no México

De 24 a 26 de abril, a Cidade do México sediará o VIII Seminário de Alimentação Escolar para a América Latina e o Caribe. Representantes de 15 países, incluindo do Brasil, e da ONU participarão do evento para compartilhar seus conhecimentos na área. O Programa Mundial de Alimentos (PMA), um dos organizadores, lançará durante o encontro uma nova publicação sobre o fornecimento de refeições em centros de ensino de 16 Estados-membros.

Países latino-americanos e caribenhos defenderam fortalecimento dos institutos de estatística. Foto: EBC

Cenário econômico é oportunidade de ampliar integração latino-americana, diz CEPAL

A secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, afirmou que o atual cenário econômico apresenta a oportunidade de fortalecer a integração regional, e destacou que esta deve ser promovida para além do comércio.

“Propomos que seja fortalecida a integração para além da troca de mercadorias. Devemos avançar na facilitação do comércio, na participação em cadeias de valor, na integração da infraestrutura e da energia, assim como na área tecnológica e digital”, disse Bárcena.

México sediará Fórum da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável

Primeira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável será realizada no México entre 26 e 28 de abril. Organizado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), o encontro reunirá representantes de governos, instituições internacionais, setor privado, academia e sociedade civil para revisar os avanços e desafios da implementação da Agenda 2030 na região.

VÍDEO: O que é desenvolvimento sustentável?

Países latino-americanos e caribenhos reúnem-se no México para discutir adoção da Agenda 2030

O México receberá de 26 a 28 de abril a primeira reunião do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável, em que representantes de governos, instituições internacionais, setor privado, academia e sociedade civil se encontrarão para revisar os avanços e desafios da implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável na região.

Para Banco Mundial, países latino-americanos e caribenhos precisam intensificar a integração regional para retomar o crescimento. Foto: APPA

Menos de 1% das empresas latino-americanas realizam exportações, diz CEPAL

Em seminário em Tegucigalpa, em Honduras, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) defendeu na terça-feira (28) a participação mais igualitária de empresas de pequeno e médio porte da região no mercado de exportações. Segundo a agência da ONU, isso poderia fortalecer a presença de companhias latino-americanas no comércio internacional. Menos de 1% do setor privado regional realiza vendas ao exterior.

Chefe da CEPAL alertou que parcerias público-privadas não devem gerar passivos contingentes para as finanças públicas dos países latino-americanos e caribenhos. Foto: EBC

CEPAL pede transparência em parcerias público-privadas na região latino-americana e caribenha

As parcerias público-privadas nos países latino-americanos e caribenhos precisam ser instrumentos de desenvolvimento, e não de privilégios, atendendo a sistemas de governança e transparência. A declaração foi feita pela secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, durante a 16ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Mecanismo de Diálogo de Tuxtla em San José, na Costa Rica.

“Não queremos que as parcerias público-privadas gerem passivos contingentes para as finanças públicas, mas que potencializem o investimento, contribuam para a diversificação produtiva”, disse Bárcena.

Representantes de 23 países da América Latina e do Caribe finalizaram reunião de negociação para acordo regional sobre direitos de acesso à informação, participação e Justiça ambientais. Foto: FAO/L. Dematteis

Negociação para o acordo regional sobre assuntos ambientais continuará na Argentina

Representantes de 23 países da América Latina e do Caribe finalizaram na semana passada em Brasília reunião de cinco dias com a finalidade de negociar um acordo regional sobre os direitos de acesso à informação, participação e Justiça ambientais, com o compromisso de dar sequência às conversações em julho na Argentina.

A 6ª Reunião do Comitê de Negociação do Acordo Regional sobre o Acesso à Informação, à Participação Pública e o Acesso à Justiça em Assuntos Ambientais na América Latina e no Caribe (Princípio 10) foi realizada na capital brasileira e organizada pelo governo do país e pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL).

Mudanças climáticas devem provocar importantes alterações no padrão da chuva nos países. Foto: EBC

CEPAL: fundo brasileiro para o clima cumpre seu papel, mas demanda ferramentas de monitoramento

Em relatório, Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e parceiros avaliaram o Fundo Nacional sobre Mudança do Clima, criado em 2009 e vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. O instrumento tem como objetivo fortalecer ações que promovam uma economia de baixo carbono.

Segundo a agência a ONU, o Fundo Clima cumpre seu papel de financiar a Política Nacional sobre Mudança do Clima, mas ainda carece de ferramentas de monitoramento para aferir os impactos dos projetos financiados. A agência também destacou a necessidade de diversificar as fontes dos recursos.

Foto: CEPAL

ONU divulgará novas estatísticas tributárias e fiscais da América Latina e Caribe na próxima semana

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) lançará na próxima semana dois documentos com os mais recentes dados tributários e fiscais dos países da região. Relatórios serão divulgados no XXIX Seminário Regional de Política Fiscal, que acontece nos dias 23 e 24 de março, na sede da agência da ONU, em Santiago, no Chile. Evento poderá ser acompanhado pela internet.