Funcionários do Google se voluntariam para compartilhar conhecimentos e contribuir para que refugiados aperfeiçoem seus currículos, na sede da empresa em São Paulo. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Refugiados aperfeiçoam currículo em oficinas da Google e ONU

Em parceria com a Google, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) promoveu em São Paulo três oficinas para orientar mais de 30 refugiados na preparação dos seus currículos. Realizadas na semana passada, atividades buscaram aperfeiçoar o modo como os estrangeiros apresentam suas experiências profissionais, talentos e conhecimentos em diferentes idiomas. Objetivo da iniciativa é ampliar a inserção desses profissionais no mercado brasileiro.

“Nunca poderíamos imaginar que eles sequestrariam nossos filhos”, diz Faiza (no centro, de saia vermelha), sentada com outras mães que tiveram suas crianças raptadas. “Eles devem estar mortos agora”. Foto: ACNUR/Colin Delfosse

Mães de crianças desaparecidas quebram silêncio na República Democrática do Congo

“Os rebeldes invadem as nossas aldeias, levam nossos filhos e desaparecem com eles”, conta Augustine. “Eles estupram as meninas e as cortam em pequenos pedaços com facões.”

Há seis anos, a congolesa não vê sua filha. No província de Tanganyika, na República Democrática do Congo, a história se soma a de outras mães que tiveram seus filhos raptados. O relato é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Desde agosto de 2017, mais de 650 mil refugiados rohingya deixaram Mianmar rumo a Bangladesh em busca de segurança. Ali, vivem em condições precárias nos campos de refugiados superlotados e carecem de necessidades básicas. Foto: ACNUR/Roger Arnold

Em São Paulo, agência da ONU inaugura exposição fotográfica sobre refugiados

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) inaugura amanhã (10), em São Paulo, a exposição fotográfica “Faces do Refúgio”. Mostra apresenta 52 fotografias que retratam as principais crises de deslocamento forçado da atualidade, causadas por conflitos em países como Síria, Sudão do Sul, República Democrática do Congo e Mianmar. Imagens serão exibidas na loja-conceito da Mitsubishi Motors, no Shopping JK Iguatemi.

Famílias deslocadas da área rural de Quneitra, sudoeste da Síria, para áreas próximas às colinas de Golã. Famílias estão buscando abrigo em áreas abertas e passam por necessidade de abrigo. Foto: UNICEF/Alaa Al-Faqir

Síria: ONU pede que Jordânia abra suas fronteiras para proteger civis do fogo cruzado

O chefe da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) apelou na quinta-feira (5) para que a Jordânia abra sua fronteira com o sudoeste da Síria para ajudar a proteger cerca de 750 mil civis que estão em meio ao fogo cruzado e a ataques aéreos.

“Mais de 320 mil pessoas estão desalojadas e a maioria vive em condições precárias e inseguras, incluindo cerca de 60 mil pessoas acampadas na fronteira entre Nasib e Jaber, na Jordânia”, disse Filippo Grandi, alto-comissário das Nações Unidas para os refugiados.

O casal de venezuelanos Ernesto e Nancy busca oportunidade no Rio de Janeiro para se recolocar no mercado de trabalho, preferencialmente dentro da suas áreas de formação. Foto: ACNUR/Diogo Felix

Rio aprova isenção de taxas para revalidação de diplomas de refugiados

Foi promulgada na quarta-feira (4) a lei 8.020, que isenta refugiados residentes no estado do Rio de Janeiro do pagamento de taxas para revalidação de diplomas de graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado nas universidades estaduais.

A iniciativa foi elogiada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), assim como por organizações da sociedade civil, por beneficiar pessoas em situação de refúgio que buscam vagas de trabalho condizentes com suas formações e/ou desejam prosseguir suas trajetórias acadêmicas no Brasil.

A venezuelana Yelitza Paredes chegou há quase seis meses no Brasil. Foto: UNIC Rio/Luise Martins

Venezuelanos deixam histórias de fome e pobreza para recomeçar a vida no Rio

“Todos viemos com uma mala cheia de roupa. Mas trazemos uma outra mala ou mochila, cheia de sonhos e esperança”. No Brasil há quase seis meses, a venezuelana Yelitza Paredes tira o otimismo e o sorriso no rosto da vontade de buscar um futuro melhor para a família. Mãe de cinco filhos, a professora de Biologia chegou ao Rio de Janeiro na terça-feira (3), com outros 49 venezuelanos vindos de Roraima.

A viagem foi a quarta etapa do processo de interiorização de venezuelanos, uma estratégia do governo federal para realocar do Norte do Brasil estrangeiros em situação de vulnerabilidade. O Sistema das Nações Unidas apoia as autoridades no encaminhamento de venezuelanos para outras partes do país.

Dezenas de migrantes dormem em instalações apertadas no centro de detenção Tariq al-Sikka em Trípoli, Líbia. Foto: ACNUR/Iason Foounten

Agência da ONU alerta sobre situação humanitária em centro de detenção na Líbia

Mais de uma dúzia de pessoas foram mortas ou feridas por traficantes de pessoas ao tentar escapar de um centro de detenção na Líbia em maio, segundo informações da Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), que descreveu o acontecimento como a “mais recente história de horror” a acontecer no país.

O porta-voz do ACNUR, William Spindler, afirmou a jornalistas em Genebra que os sobreviventes relataram a forma como “pessoas levaram tiros enquanto tentavam escapar, e durante tentativas de recaptura”. Sobreviventes foram transferidos para um centro de detenção próximo a Trípoli, onde receberam utensílios de primeiros socorros e apoio psicossocial.

Menina segura brinquedo ao buscar abrigo com outros refugiados afegãos em centro de recepção de Tabanovce, na Macedônia, após terem entrada negada na Sérvia. Foto: UNICEF/Tomislav Georgiev

Agências da ONU elogiam acordo da União Europeia sobre migração

As agências humanitárias da ONU elogiaram na sexta-feira (29) um acordo recém-assinado por líderes da União Europeia, que pede maior responsabilidade dos Estados-membros na proteção de migrantes e refugiados, em meio a um endurecimento das políticas de algumas nações europeias desde 2015.

Em uma declaração conjunta, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) disseram que, embora os detalhes mais precisos do acordo ainda devam ser examinados, elas “estão prontas para apoiar uma abordagem comum”.

Chefe da ONU ouve relatos de sofrimento de refugiados rohingya durante visita a Bangladesh

O secretário-geral da ONU, António Guterres, visitou campos de refugiados rohingya em Bangladesh nesta segunda-feira (2), declarando que não estava preparado para a escala da crise e a extensão do sofrimento que presenciou no local.

Falando à imprensa em Cox’s Bazar, região do sul de Bangladesh onde aproximadamente 1 milhão de rohingya estão vivendo sob constante risco de inundações e deslizamentos, Guterres disse que a violência que enfrentaram em Mianmar desde agosto do ano passado foi uma das histórias mais trágicas de “violação sistemática” dos direitos humanos já registradas.

Interiorização de venezuelanos no Brasil. Foto: Casa Civil/governo federal

Em busca de oportunidades, venezuelanos são transferidos para PB, PE e RJ

O governo federal, com apoio do Sistema ONU no Brasil, realiza nesta terça-feira (3) nova etapa do processo de interiorização de venezuelanos. Está previsto o embarque de 164 solicitantes de refúgio e migrantes em Boa Vista (RR), que serão transferidos para as cidades de Igarassu (PE), Conde (PB) e Rio de Janeiro (RJ).

A interiorização é uma iniciativa criada para ajudar venezuelanos em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida em outros Estados brasileiros.

Menino venezuelano mostra seu desenho no mural produzido no abrigo São Vicente. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

Mural conta histórias e memórias de venezuelanos vivendo nos abrigos de Boa Vista

Nos abrigos que acolhem venezuelanos em Boa Vista, verdadeiras obras de arte chamam a atenção de moradores, visitantes e funcionários de agências humanitárias e órgãos governamentais que atuam nestes locais.

São murais de tecido costurados a partir de desenhos que representam lembranças e sentimentos dos venezuelanos que foram forçados a deixar seu país em busca de proteção no Brasil.

A atividade, que contou com a participação de crianças, jovens e mulheres, foi conduzida pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) nos abrigos Jardim Floresta, São Vicente e Nova Canaã.

Embaixador da boa vontade do ACNUR, Ben Stiller visita refugiados na Guatemala. Foto: ACNUR/Michael Muller

Ator norte-americano Ben Stiller é nomeado embaixador de Agência da ONU para Refugiados

A Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR) anunciou nesta segunda-feira (2) que o ator, diretor, produtor e filantropo norte-americano Ben Stiller foi nomeado embaixador da boa vontade da agência. O ator fez um apelo por mais ações em benefício daqueles forçados a deixar suas casas no mundo todo.

Stiller visitou a Guatemala, onde se reuniu com refugiados, incluindo crianças desacompanhadas, e presenciou o trabalho do ACNUR, do governo e de seus parceiros.

No Chile, cerca de 30 crianças refugiadas e solicitantes de refúgio viveram a experiência de serem jogadores de futebol da equipe da Universidade Católica. Atividade fez parte das celebrações do Dia Mundial do Refugiado, lembrado em 20 de junho. Foto: ACNUR/Eugenia Paz

No Chile, crianças refugiadas viram jogadores de futebol profissionais por um dia

“Gosto de jogar futebol desde pequeno! Quando eu crescer, quero ser muito bom nesse esporte, eu gostaria de jogar no exterior!”, conta Einer Felipe, um menino colombiano de 12 anos, enquanto brinca com uma bola de futebol. No Dia Mundial do Refugiado, lembrado em 20 de junho, o garoto e outras crianças da Colômbia, Venezuela, Síria e Iraque tiveram a oportunidade de se tornarem futebolistas profissionais da Universidad Católica do Chile.

Mulher rohingya atravessa fronteira entre Mianmar e Bangladesh, próximo ao vilarejo de Anzuman Para, em Palong Khali. Foto: ACNUR/Roger Arnold

ONU mobiliza esforços para apoiar refugiadas rohingya vítimas de violência sexual

No Dia Internacional para Eliminação da Violência Sexual em Conflito, lembrado na semana passada (19), as agências das Nações Unidas em Bangladesh alertaram para a situação dos refugiados rohingya de Mianmar, incluindo milhares de vítimas de violência sexual.

Pessoas da etnia rohingya, formada principalmente por muçulmanos, começaram a fugir do estado de Rakhine, em Mianmar, em agosto do ano passado, após uma onda de repressão militar do exército birmanês, que incendiou vilarejos, matou civis e estuprou meninas e mulheres.

Mohamed e Issam são refugiados sírios no Líbano que nasceram surdos. Para que pudessem escutar, era necessária uma cirurgia que a família não tinha condições de pagar. Graças a uma visita organizada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a história dos irmãos se popularizou e Crescente Vermelha se ofereceu para custear as operações. Os procedimentos foram um sucesso. Hoje, os irmãos estão aprendendo a se comunicar verbalmente. Confira nesse vídeo

Com apoio de agência da ONU, irmãos sírios surdos adquirem audição; vídeo

Mohamed e Issam são refugiados sírios no Líbano que nasceram surdos. Para que pudessem escutar, era necessária uma cirurgia que a família não tinha condições de pagar. Graças a uma visita organizada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a história dos irmãos se popularizou e Crescente Vermelha se ofereceu para custear as operações.

Os procedimentos foram um sucesso. Hoje, os irmãos estão aprendendo a se comunicar verbalmente. Confira nesse vídeo.

Tapete com os dizeres “Refugiados, bem-vindos” recebeu atrações culturais de refugiados no Sesc Avenida Paulista. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Dia Mundial reafirma São Paulo como cidade solidária aos refugiados

O Dia Mundial do Refugiado, celebrado globalmente em 20 de junho, contou com vários eventos na cidade de São Paulo, envolvendo iniciativas da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), de parceiros da sociedade civil, do setor privado e órgãos públicos municipais e estaduais.

Por todas as atividades realizadas, considerando o histórico de São Paulo pelas medidas adotadas em prol das pessoas em situação de refúgio, o ACNUR reconheceu os esforços dos diferentes setores para posicionar a capital paulista como uma cidade solidária aos refugiados.

O sírio Khaled, terceiro da direita para a esquerda, foi recebido por uma família brasileira para assistir ao jogo de estreia da seleção na Copa do Mundo da Rússia. Foto: ACNUR/Miguel Pachioni

Refugiados são recebidos por brasileiros e torcem pela seleção durante jogos da Copa

O sírio Khaled, de 42 anos, torceu pelo Brasil na casa de Vanessa, uma paulistana de 31 anos que mora na zona sul de São Paulo e o acolheu em sua casa para assistir aos jogos da Copa do Mundo 2018.

Khaled se inscreveu na plataforma “Meu Amigo Refugiado”, um projeto desenvolvido pela ONG Migraflix, parceira da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), que promove o encontro entre brasileiros e pessoas refugiadas em datas especiais, como o Natal e o Ano Novo. A iniciativa tem repetido a dose durante os jogos da seleção brasileira no Mundial.

Foto: Ana Rosa Alves/UNIC Rio

Festival celebra o Dia Mundial do Refugiado no Rio de Janeiro

O Rio Refugia, festival gastronômico, cultural e social, aconteceu pela segunda vez no Rio de Janeiro no final de junho (23).

O evento – que promoveu o intercâmbio entre brasileiros e pessoas em situação de refúgio de mais de 10 países diferentes – é uma oportunidade para que pessoas em situação de refúgio compartilhem sua cultura com os brasileiros e incrementem sua renda.

Confira nesse vídeo do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio).

Passaportes de diferentes países. Foto: Flickr (CC)/Baigal Byamba

Brasil reconhece pessoas apátridas pela 1ª vez

Pela primeira vez, o governo brasileiro reconhecerá a condição de apátrida — quando o indivíduo não tem nacionalidade — de duas pessoas. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, assinará nesta segunda-feira (25) o reconhecimento das irmãs Maha e Souad Mamo, durante a abertura da Semana do Refugiado no Ministério da Justiça. Com a decisão, elas poderão conseguir a naturalização simplificada, um procedimento específico para os apátridas.

Visita do presidente Michel Temer ao abrigo Nova Canaã em Boa Vista (RR). À extrema esquerda da foto, o coordenador-residente da ONU Brasil, Niky Fabiancic, e à sua direita, a representante do ACNUR no Brasil, Isabel Marquez. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

ONU participa de visita do presidente brasileiro a venezuelanos em Roraima

O coordenador-residente do Sistema ONU no Brasil, Niky Fabiancic, acompanhou a visita do presidente Michel Temer ao abrigo Nova Canaã, em Boa Vista, que acolhe 403 venezuelanos. Na visita, realizada no dia 21, foi sancionada a lei que dispõe sobre medidas de assistência emergencial aos imigrantes em situação de vulnerabilidade.

Atualmente, nove abrigos em Roraima acolhem cerca de 4 mil venezuelanos, oferecendo atendimento médico e cerca de 7,6 mil refeições diárias. Agências das Nações Unidas apoiam governo, sociedade civil e setor privado para garantir a integração dos venezuelanos no novo país.

Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília. Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues

Memorial dos Povos Indígenas em Brasília recebe 4ª edição do festival MigrArte

O Memorial dos Povos Indígenas, no Eixo Monumental, em Brasília, será neste sábado (23) ponto de encontro de diversas culturas e nacionalidades que vivem no Distrito Federal. Reunidos para lembrar o Dia Mundial do Refugiado (20 de junho) e a Semana do Migrante, o MigrArte 2018 será uma celebração intercultural por meio da integração de brasileiros com pessoas de países como Síria, Bangladesh, República Democrática do Congo e Venezuela.

Na ocasião, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) fará o pré-lançamento do documentário “Zaatari, Memórias do Labirinto”, selecionado para o Festival Internacional de Documentários “É Tudo Verdade” de 2018. A obra mostra a pior crise de migração da história da humanidade desde a Segunda Guerra Mundial, provocada pelo conflito na Síria.

Claudine, estilista da República Democrática do Congo, participou da primeira edição da feira do Rio Refugia. Foto: ACNUR/Luciola Villela

Festival Rio Refugia celebra Dia Mundial do Refugiado no Sesc Tijuca, no Rio

O Rio Refugia, festival gastronômico, cultural e social, chega ao seu segundo ano em um novo espaço: a unidade do Sesc Tijuca, na zona norte do Rio de Janeiro. O evento reunirá brasileiros e pessoas em situação de refúgio de cerca de 11 nacionalidades no próximo sábado (23), das 10h às 17h. Com entrada gratuita, o festival é uma realização conjunta do Programa de Atendimento a Refugiados da Cáritas RJ, do Abraço Cultural, do Chega Junto e do Sesc RJ.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) apoia a celebração.

Venezuelanos caminham pela estrada de Pacaraima até Boa Vista, capital de Roraima. Aqueles que não podem pagar o transporte público fazem a viagem de mais de 200 quilômetros a pé. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

ACNUR: acordos de cooperação vão acelerar integração de venezuelanos em Roraima

No Dia Mundial do Refugiado, lembrado na quarta-feira (20), acordos de cooperação assinados entre a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e o Tribunal de Justiça de Roraima vão contribuir para a integração de venezuelanos e para a garantia dos direitos civis das pessoas mais vulneráveis entre essa população.

Por meio do convênio de cooperação técnica e pedagógica assinado com o SENAC, cursos de português e de qualificação profissional serão oferecidos para refugiados, solicitantes de refúgio e imigrantes em Roraima, principal porta de entrada de venezuelanos no Brasil. Já o acordo de cooperação com o Tribunal de Justiça prevê o atendimento judicial itinerante aos venezuelanos em Roraima para evitar a violação de seus direitos fundamentais.

Com maior contingente de pessoas deslocadas da história, mulheres sofrem violação de direitos

Situações de crise, como perseguições e violência, levam ao deslocamento forçado de milhares de pessoas em todo o mundo. Segundo relatório global divulgado pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), 68,5 milhões de pessoas foram deslocadas até o final de 2017.

Por dia, há 44,5 mil deslocamentos forçados, o que corresponde a uma pessoa a cada dois segundos. Neste contexto, mulheres e meninas são as que acabam em situação de maior vulnerabilidade e de risco de violação de direitos, alertou o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Menina refugiada em São Paulo. Foto: IKMR / André Teller

ARTIGO: Estamos #ComOsRefugiados

Em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo, a representante da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) no Brasil, Isabel Marquez, afirma que o país não deve se assustar com a chegada de refugiados em seu território.

“Quem chega traz na bagagem capacidades, conhecimento e um tremendo potencial de integração para seguir adiante. Com o devido apoio, podem contribuir com as comunidades e o país de acolhida”, declarou. Leia o artigo completo.

Refugiados e migrantes no Mediterrâneo são resgatados pela Aquarius, embarcação operada pelo ONG SOS Mediterranée. Foto: Karpov/SOS MEDITERRANEE

ACNUR: é hora de mostrar solidariedade com refugiados e comunidades de acolhida

É hora de mostrar solidariedade com os refugiados e as comunidades que os acolhem, disse nesta quarta-feira (20), Dia Mundial do Refugiado, o alto-comissário da ONU para o tema, Filippo Grandi, em comunicado.

“À medida que os conflitos surgem, reaparecem, persistem e se aprofundam, 68,5 milhões de pessoas estão deslocadas em todo o mundo. Nove entre dez pessoas estão nos seus próprios países ou países vizinhos, e o impacto é enorme – para os refugiados e as comunidades que abrem suas portas para eles”, disse.

A enviada especial do ACNUR, a atriz norte-americana Angelina Jolie, visita o oeste de Mossul. Residentes contaram que os corpos de diversos militantes terroristas estão enterrados nos destroços dos edifícios da cidade. O cobertor vermelho atrás dela cobre um artefato explosivo não detonado. Foto: ACNUR/Andrew McConnell

Angelina Jolie visita famílias iraquianas que tentam reconstruir suas vidas no oeste de Mossul

A atriz norte-americana Angelina Jolie, enviada especial da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), visitou no sábado (16) o oeste de Mossul, uma área urbana controlada pelo Estado Islâmico por três anos até 2017.

Após caminhar entre edifícios bombardeados, ruas desertas e se reunir com algumas das primeiras famílias a retornar à região, a atriz pediu que o mundo não se esqueça da agonia que essas pessoas passaram — e não ignore as dificuldades que enfrentam agora.

“Esta é a pior devastação que presenciei em todos os meus anos no ACNUR”, disse Jolie, falando em frente às ruínas da mesquita de al-Nuri, na cidade velha. “Essas pessoas perderam tudo, e o trauma e a perda que sofreram é sem paralelos”.

O chefe de direitos humanos da ONU, Zeid Ra'ad Al Hussein, também manifestou profunda preocupação com a política de proteção de fronteiras adotada recentemente pelos Estados Unidos, que forçou milhares de crianças migrantes a serem separadas de seus pais. Foto: UNICEF

ONU diz que as crianças migrantes não podem ser separadas de seus pais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta segunda-feira (18) que os refugiados e migrantes devem ser tratados com respeito e dignidade, criticando políticas migratórias que separam crianças de seus pais.

“Como questão de princípio, o secretário-geral (da ONU) acredita que os refugiados e migrantes devem ser sempre tratados com respeito e dignidade, e de acordo com a lei internacional existente. As crianças não podem ser traumatizadas ao serem separadas de seus pais. A unidade familiar precisa ser preservada”, disse o porta-voz do secretário-geral da ONU.

Filme selecionado para a mostra de cinema do ACNUR aborda a vida de sírios no maior campo de refugiados do mundo, Zaatari, na Jordânia. Imagem: GRIFA FILMES/NÓS/Gebrueder Beetz Filmproduktion/Globo Filmes/Globo News/Canal Brasil/ZDF/Arte

Mostra de cinema chega a Boa Vista e Manaus para celebrar Dia Mundial do Refugiado

Em Boa Vista e Manaus, tem início na próxima quarta-feira (20), Dia Mundial do Refugiado, a  mostra de filmes “Olhares sobre o Refúgio”. Com títulos inéditos e outros já consagrados pela crítica, festival promove exibições gratuitas até sábado (23). Sessões acontecem no SESC Roraima (em Boa Vista) e no Casarão de Ideias (em Manaus). Iniciativa é da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e parceiros.