Agências da ONU visitam Acre para discutir parcerias em saúde e empreendedorismo sustentável

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Em visita ao Acre dos dias 15 a 17 de fevereiro, agências das Nações Unidas discutiram futuras parcerias com o estado para promover o crescimento econômico sustentável, bem como o acesso a educação, serviços de saúde e medicamentos. Organismos da ONU querem inserir unidade federativa no mercado internacional de preservativos e fármacos, além de estimular participação de jovens em negócios ecologicamente responsáveis.

Representantes de agências da ONU e do governo do Acre discutiram possíveis parcerias em saúde, educação de jovens e empreendedorismo sustentável. Foto: SECOM/Sérgio Vale

Representantes de agências da ONU e do governo do Acre discutiram possíveis parcerias em saúde, educação de jovens e empreendedorismo sustentável. Foto: SECOM/Sérgio Vale

Em visita ao Acre dos dias 15 a 17 de fevereiro, agências das Nações Unidas discutiram futuras parcerias com o estado para promover o crescimento econômico sustentável, bem como o acesso a educação, serviços de saúde e medicamentos. Organismos da ONU querem inserir unidade federativa no mercado internacional de preservativos e fármacos.

Durante encontro com o governador Tião Viana na sexta-feira (17), na Casa Civil, o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Jaime Nadal, disse esperar que a fabricante acreana de camisinhas, a Natex, seja incluída no grupo global de empresas que fornecem preservativos para projetos da agência. Em outubro do ano passado, uma missão do UNFPA já havia visitado a companhia para avaliar as possibilidades de cooperação.

“Queremos também apoiar o estado na redução de custos na produção por meio do fornecimento de algumas matérias-primas, como o látex”, garantiu Nadal.

Funcionários do UNFPA e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) também participaram na quarta-feira (15) de reuniões sobre parcerias na área de saúde. Um dos projetos discutidos com autoridades do governo foi o Programa Primeira Infância Acreana (PIA).

Recém-implementada, a iniciativa prevê a mobilização de 80 equipes de saúde da família e de 735 agentes comunitários. Os profissionais levarão atendimento a 48 mil famílias e quase 54 mil crianças de Rio Branco, Assis Brasil, Rodrigues Alves, Marechal Thaumaturgo, Jordão, Porto Walter e Santa Rosa do Purus.

O objetivo é instituir um novo modelo de atenção integral, que acompanha meninos e meninas desde o pré-natal das gestantes até os seis primeiros anos de idade das crianças.

Fábrica da Natex, em Xapuri, no Acre. Foto: SECOM/Sérgio Vale

Fábrica da Natex, em Xapuri, no Acre. Foto: SECOM/Sérgio Vale

Outro projeto debatido foi o “Se Liga Aí”, projeto que tem como proposta a formação de 500 jovens para a divulgação de conteúdos sobre saúde sexual e reprodutiva, combate ao uso de álcool e outras drogas e questões de gênero e etnia.

Na sexta-feira (17), as duas agências da ONU participaram de reunião sobre o “Mulher Cidadã”, criado pelo governo do estado para levar saúde a locais de difícil acesso — onde o atendimento é insuficiente ou mesmo inexistente. Programa foi desenvolvido para garantir que mulheres e suas famílias sejam inseridas no Sistema Único de Saúde (SUS).

“A ideia é potencializar mais ainda os resultados e alcance do Mulher Cidadã no Acre. Este é um projeto que tem feito muito progresso no estado e melhorado a vida de milhares de acreanos”, afirmou a oficial de programa do UNFPA, Anna Cunha, sobre possíveis parcerias do organismo da ONU.

Fornecimento de remédios

A agenda do UNICEF e do UNFPA também incluiu um encontro com o Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (DAFI) do Acre.

“Na logística de aquisição de medicamentos, temos problemas porque somos um estado pequeno. Muitas vezes, as indústrias não têm interesse em vender uma quantidade ínfima de determinados medicamentos”, explicou a gerente do DAFI, Ludmila Tavares.

A expectativa do governo é de que a ONU ajude o estado a acessar mercados internacionais de fornecedores, que podem preencher lacunas na provisão de remédios.

Infância e juventude

Também na sexta-feira, Anna Cunha reuniu-se com representantes do Instituto Socioeducativo do Estado (ISE) para avaliar cooperações voltadas para a ressocialização de adolescentes em conflito com a lei.

“A parceria propõe que esta seja uma experiência que venha tratar a socioeducação como um período em que o jovem possa reconstruir sua vida, ser responsabilizado pelos seus atos e também tenha uma chance de ressocialização”, destacou a funcionária da agência da ONU.

“Isso contribui para que se chegue a um modo de vida seguro e saudável e contribua para o fortalecimento das famílias e comunidade, alcançando todo o seu pleno potencial”, acrescentou.

Projeto 'Mulher Cidadã' insere mulheres e suas famílias no Sistema Único de Saúde (SUS). Foto: SECOM/Val Fernandes

Projeto ‘Mulher Cidadã’ insere mulheres e suas famílias no Sistema Único de Saúde (SUS). Foto: SECOM/Val Fernandes

Durante a missão ao Acre, o UNICEF parabenizou o estado pelo melhor desempenho regional na iniciativa Selo UNICEF, certificação internacional concedida pela agência da ONU para reconhecer os esforços de cidades que promovem os direitos das crianças e dos adolescentes nas áreas de saúde, educação e outras.

“Proporcionalmente, dentro da Amazônia legal, em relação aos nove estados que participam da aprovação do Selo UNICEF, o Acre foi o estado que teve o melhor desempenho, porque dos 22 municípios, nove participaram, e nove receberam o Selo UNICEF. Então, proporcionalmente, foi o melhor desempenho, chegando quase a 50% de aprovação”, destacou a representante da agência da ONU, Eliana Almeida.

Atualmente, a proporção de nascidos vivos de gestantes com sete ou mais consultas de pré-natal aumentou 35,7% para os municípios inscritos no Selo UNICEF e 36,5% para os reconhecidos entre 2011 e 2014.

Quase a metade dos municípios do estado (45%) promoveu ações de assistência ao pré-natal, parto e pós-parto. O percentual de crianças de até um ano de idade com registro civil, do total de nascidos vivos, aumentou 10,8% entre os municípios inscritos. De 2011 a 2015, o índice passou de 78,7% para 87,2%.

FAO e PNUD elogiam empreendimentos sustentáveis

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) também participaram da missão da ONU ao Acre.

O representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, parabenizou os esforços do governo para garantir o uso sustentável dos recursos naturais.

“Ficamos muito impressionados com os avanços. É impressionante como o governo articula as questões relacionadas à erradicação da pobreza com conservação ambiental e crescimento econômico. As parcerias público-privado-comunitário são modelos muito bem-sucedidos. Além de permitir atingir objetivos voltados para o desenvolvimento sustentável”, afirmou.

A FAO expressou interesse um projetos de culinária social do estado, que vai inaugurar uma Escola de Gastronomia e Hospitalidade.

“Tenho certeza que podemos promover algo neste sentido no Acre. Importante lembrar que o 18 de junho foi escolhido pela ONU como o Dia da Gastronomia Sustentável. Vamos ver o que podemos fazer juntos. Isso é muito importante, pois não estamos falando somente de arte, mas de inclusão social, geração de emprego e de promover alimentos saudáveis. Seria uma ótima oportunidade”, acrescentou Bojanic.

A funcionária do PNUD, Luciana Aguiar, lembrou da parceria entre a agência da ONU e o Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Micro Empresas (SEBRAE).

“Junto com o Sebrae temos um projeto de estímulo aos pequenos negócios para que consigam perceber que agregam valor ao gerar impacto social e ambiental”, explicou. Luciana afirmou que a Escola de Gastronomia pode ser uma oportunidade para incluir jovens no setor produtivo e incentivá-los a terem o próprio negócio.

“Aqui falamos sobre o modelo de negócio e desenvolvimento voltado para a conservação da natureza e desenvolvimento social no estado. Os grupos presentes garantiram apoio aos projetos na área de segurança alimentar e mudanças climáticas no Acre, que vêm resultando em um salto qualitativo no desenvolvimento, na qualidade de vida e na sustentabilidade do Acre”, explicou Tião Viana sobre os encontros com as agências da ONU.


Mais notícias de:

Comente

comentários