Agências da ONU selecionam boas práticas para tornar alimentação mais sustentável e saudável na América Latina

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) abriram nesta semana uma convocatória para selecionar boas práticas que ajudam a América Latina e o Caribe a tornar seus sistemas alimentares mais sustentáveis e saudáveis. Experiências escolhidas serão analisadas em simpósio regional sobre o tema. Encontro acontece em setembro, em El Salvador. Prazo para envio de inscrições é 30 de julho.

Parceria entre FIDA e governo de Pernambuco vai beneficiar produtores da agricultura familiar. Foto: SECOM de Ipojuca / Danilo Luiz

Foto: SECOM de Ipojuca / Danilo Luiz

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) abriram nesta semana uma convocatória para selecionar boas práticas que ajudam a América Latina e o Caribe a tornar seus sistemas alimentares mais sustentáveis e saudáveis. Experiências escolhidas serão analisadas em simpósio regional sobre o tema. Encontro acontece em setembro, em El Salvador. Prazo para envio de inscrições é 30 de julho.

As duas agências da ONU chamam instituições públicas e acadêmicas, empresas e organizações da sociedade civil a apresentar projetos capazes de transformar o modo como alimentos são produzidos e consumidos nos países latino-americanos e caribenhos. Segundo a FAO e a OPAS, mudanças nos sistemas alimentares estão entre as causas da obesidade na região. O problema já afeta 140 milhões de pessoas.

As boas práticas serão discutidas no Simpósio Regional sobre Sistemas Alimentares Sustentáveis para uma Alimentação Saudável, marcado para os dias 5, 6 e 7 de setembro, em Sal Salvador. Iniciativas também poderão ser incluídas numa plataforma virtual sobre políticas da área.

Para participar da seleção, clique aqui. É possível enviar a experiência concorrente em português, espanhol ou inglês. Também é permitido o envio de material visual ou audiovisual sobre o projeto participante.

A OPAS e a FAO esclarecem que serão aceitas políticas e práticas relativas a:

  • Produção, transformação, armazenamento, transporte, comercialização e consumo de alimentos;
  • O direito à alimentação e à segurança alimentar e à nutrição;
  • Governança participativa dos sistemas alimentares;
  • Os efeitos das mudanças climáticas e outros fatores ambientais;
  • A igualdade de gênero e a centralidade das mulheres na promoção de sistemas alimentares sustentáveis e da alimentação saudável;
  • A contribuição dos povos indígenas e afrodescendentes ;

A escolha das experiências ficará a cargo de um comitê técnico composto por especialistas com trajetórias diversas nas áreas de desenvolvimento rural sustentável, sistemas alimentares e segurança alimentar e nutricional.