Agências da ONU se mobilizam para apoiar Indonésia após terremoto e tsunami

Equipes de resgate tentam chegar a áreas de Sulawesi, na Indonésia, afetadas por um terremoto e um tsunami, afirmaram funcionários humanitários da ONU na sexta-feira (28), observando que mais de 840 pessoas morreram e mais de 600 foram gravemente feridas no desastre.

Menina de 15 anos é resgatada após deslizamento em Sulawesi em 30 de setembro de 2018. Foto: UNICEF

Menina de 15 anos é resgatada após deslizamento em Sulawesi em 30 de setembro de 2018. Foto: UNICEF

Equipes de resgate tentam chegar a áreas de Sulawesi, na Indonésia, afetadas por um terremoto e um tsunami, afirmaram funcionários humanitários da ONU na sexta-feira (28), observando que mais de 840 pessoas morreram e mais de 600 foram gravemente feridas no desastre.

A informação do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) se segue ao tremor de magnitude 7.4 que atingiu o centro de Sulawesi às 14h05, hora local, na última sexta-feira.

O terremoto causou um tsunami que atingiu áreas costeiras em Palu e Donggala, deixando mais de 48 mil pessoas desabrigadas, que foram reunidas em cerca de 200 abrigos.

No Twitter, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta segunda-feira (1) que ele estava “acompanhando a tragédia que se desenrolava”.

“Nossos corações vão para todos os afetados pelo terremoto e pelo tsunami. Minhas sinceras condolências a todos que perderam familiares e amigos”, disse ele, acrescentando que o Sistema ONU estava “se mobilizando para apoiar os esforços de resgate e socorro liderados pelo governo, conforme necessário”.

Antes do desastre de Sulawesi, em 7 de agosto, a ilha indonésia de Lombok foi abalada por um terremoto de magnitude 7, que deixou centenas de mortos.

Na ocasião, o terremoto deixou cerca de 80% dos edifícios danificados ou totalmente destruídos no norte da ilha, que abriga cerca de 200 mil pessoas.

Além das equipes nacionais de busca e resgate atuando em Sulawesi, o esforço de socorro inclui as forças armadas, a polícia e funcionários do governo, informou a atualização do OCHA.

A agência da ONU acrescentou que o governo da Indonésia “acolheu ofertas específicas” de assistência internacional que estejam de acordo com as necessidades atuais, que segundo a agência nacional de gestão de desastres (BNPB) incluem alimentos, materiais de abrigo, combustível e geradores, água limpa e assistência médica.

Este é o sexto tsunami a atingir o país desde o enorme tsunami de 2004 no Oceano Índico que matou 226 mil pessoas em 12 países, a maioria na Indonésia.