Agências da ONU participam de workshop para impulsionar produção de algodão sustentável

Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (WFP), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) participaram do evento organizado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO) para impulsionar produção de algodão sustentável em países da América Latina e África.

Workshop aconteceu em Santiago, no Chile, e teve como foco negociações estratégicas e modelos de negócios para mercados têxteis, focando em mercados para projetos de Cooperação Sul-Sul trilateral da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) que envolvem o algodão, dentre eles o Projeto Além do Algodão, do WFP Brasil.

O evento, que aconteceu em Santiago, no Chile, teve como foco negociações estratégicas e modelos de negócios para mercados têxteis. Crédito: WFP Brasil.

O evento, que aconteceu em Santiago, no Chile, teve como foco negociações estratégicas e modelos de negócios para mercados têxteis. Crédito: WFP Brasil.

O Centro de Excelência contra à fome das Nações Unidas (WFP Brasil) participou de um workshop para fortalecimento de capacidades na área de negócios e mercados para projetos de cooperação sul-sul trilateral da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) que envolvem o algodão, dentre eles o Projeto Além do Algodão, do WFP Brasil.

Também estiveram presentes representantes da Organização Internacional do Trabalho (OIT), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO), que organizou o workshop.

Workshop discutiu modelos sustentáveis de produção de algodão em países da América Latina e África. Crédito: WFP Brasil.

Workshop discutiu modelos sustentáveis de produção de algodão em países da América Latina e África. Crédito: WFP Brasil.

Os projetos, que cobrem países na América Latina e África, estão percebendo a necessidade de também dar visibilidade para as boas práticas que estão sendo introduzidas nas duas regiões e como, a partir delas, seria possível propor novas discussões com o setor têxtil sobre valorização das fibras, da produção por meio da agricultura familiar e modelos sustentáveis.

Em sua participação, o WFP Brasil evidenciou experiências registradas no âmbito do Projeto Além do Algodão para ajudar na construção de estratégias comuns, já que existem atores globais que poderiam atuar como compradores nesses mercados. Essa estratégia comum traria, consequentemente, benefícios para os projetos tanto na África quanto na América Latina.

A próxima etapa desse grupo de trabalho estará focada na elaboração dessa estratégia de valor e no construção de diálogos com potenciais mercados.

Sobre o projeto Além do Algodão

Projeto Além do Algodão, do WFP Brasil, contribui para a geração de renda dos agricultores familiares. Foto: Julie Krabbe Clausen/Pexels.

Projeto Além do Algodão, do WFP Brasil, contribui para a geração de renda dos agricultores familiares. Foto: Julie Krabbe Clausen/Pexels.

O projeto Além do Algodão apoia pequenos agricultores e suas famílias, bem como instituições públicas no Benin, Moçambique, Quênia e Tanzânia, em uma iniciativa conjunta do governo brasileiro, representada pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC / MRE) e pelo WFP, por meio dos escritórios nos países e do centro de excelência contra a fome.

O projeto conecta subprodutos de algodão, como óleo e farelo de algodão, e culturas consorciadas, como milho, sorgo e feijão, a mercados estáveis, incluindo programas de alimentação escolar. A iniciativa contribui para a geração de renda dos agricultores familiares e aumenta a segurança alimentar e nutricional nas áreas rurais.