Agências da ONU intensificam assistência ao Paquistão

Elevou-se o número de pessoas afetadas pelas várias inundações na sequência das chuvas de monções torrenciais no noroeste do Paquistão. O número de mortos passa de mil e a maioria das zonas atingidas estão isoladas, limitando o acesso e os esforços de assistência.

Elevou-se o número de pessoas afetadas pelas várias inundações na sequência das chuvas de monções torrenciais no noroeste do Paquistão. O número de mortos passa de mil e a maioria das zonas atingidas estão isoladas, limitando o acesso e os esforços de assistência.

O número de mortos na Província Khyber Pakhtunkhwa é de mais de 290 e centenas de outros ficaram feridos, afirmou o Escritório da ONU para a Coordenação da Ajuda Humanitária (OCHA). Já a Organização Mundial de Saúde das Nações Unidas (OMS ou WHO, na sigla em inglês) informou que cerca de 27 mil pessoas ainda estão esperando serem evacuadas das áreas inundadas da província.

As inundações causaram graves danos à infraestrutura, incluindo estradas e pelo menos 45 pontes, isolando algumas áreas fortemente afetadas, além de milhares de casas. O Governo paquistanês está liderando os esforços de assistência, com apoio das forças armadas e as autoridades das províncias afetadas.

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA ou WFP, na sigla em inglês) começou a distribuir alimentos para mais de 35 mil famílias afetadas. De acordo com a Diretora-Executiva Josette Sheeran, o PMA está mobilizando todos os recursos possíveis para garantir que as necessidades dessas pessoas sejam satisfeitas tão rapidamente quanto é humanamente possível. A OMS providenciou kits médicos para o Departamento de Saúde e estabeleceu uma unidade de emergência em Peshawar.

As partes do Paquistão mais afetadas pelas inundações estão também entre as mais pobres do país, onde o PMA já ajuda cerca de três milhões de pessoas deslocadas pela violência ao longo da fronteira com o Afeganistão. A agência planeja aumentar sua assistência de modo a alimentar mais 150 mil famílias, pelos próximos dois ou três meses.

Um armazém do PMA para o abastecimento de alimentos para o Paquistão e o Afeganistão também sofreu danos, o que pode complicar ainda mais os esforços para distribuir os suprimentos urgentemente necessários.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e seus parceiros criaram nove centros médicos em Swat e estão fornecendo medicamentos, tabletes de tratamento de água e enlatados. A agência também está ajudando as autoridades locais no fornecimento de água potável.

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados (ACNUR) enviou a primeira remessa de material de socorro para ajudar os distritos afetados pelas inundações no Baluchistão, particularmente Sibi.

Domingo (1°), o Secretário-Geral Ban Ki-moon disse em declaração que está “profundamente entristecido pela significativa perda de vidas, moradias e infra-estrutura no Paquistão”. Ele também anunciou que além da ajuda que o organismo mundial já está fornecendo, serão desembolsados 10 milhões de dólares do Fundo Central de Resposta à Emergência (CERF) para ajudar a sanar as necessidades do Paquistão na sequência das inundações.