Agências da ONU firmam parceria com FIFA para impulsionar acesso de crianças ao futebol

Paralelamente ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, o presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Gianni Infantino, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, e o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, David Beasley, assinaram carta de intenções para impulsionar o acesso de crianças ao esporte e promover importantes habilidades para a vida.

O programa “Football for Schools” (“futebol para as escolas”, em tradução livre) da FIFA visa tornar o futebol mais acessível para meninos e meninas em todo o mundo, incorporando atividades de futebol em currículos de educação física (ou como uma atividade extracurricular), contribuindo para educação, desenvolvimento e empoderamento das crianças.

O novo programa "Futebol para as escolas" da FIFA visa tornar o futebol mais acessível para meninos e meninas em todo o mundo. Foto: ONU/David Mutua

O novo programa “Futebol para as escolas” da FIFA visa tornar o futebol mais acessível para meninos e meninas em todo o mundo. Foto: ONU/David Mutua

Paralelamente ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, o presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Gianni Infantino, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, e o diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, David Beasley, assinaram carta de intenções para impulsionar o acesso de crianças ao esporte e promover importantes habilidades para a vida.

O programa “Football for Schools” (“futebol para as escolas”, em tradução livre) da FIFA visa tornar o futebol mais acessível para meninos e meninas em todo o mundo, incorporando atividades de futebol em currículos de educação física (ou como uma atividade extracurricular), contribuindo para educação, desenvolvimento e empoderamento das crianças.

A implementação do programa deve ocorrer em meados de 2019, com a implantação de projetos-piloto em África, Ásia e América Latina, com base no interesse manifestado pelas associações nacionais e pelas condições específicas de esportes e futebol locais nos países envolvidos. Um orçamento de 100 milhões de dólares foi alocado pela FIFA para o programa, que será implementado até 2022.

Como parte do roteiro estratégico da FIFA — “FIFA 2.0: A Visão para o Futuro” —, o design e a implementação do programa contribuem para o desenvolvimento do futebol nos países, colocando-o a serviço das comunidades locais. A iniciativa terá ações e ferramentas tangíveis, como o fornecimento de materiais educacionais e instrucionais (incluindo aplicativos e uma plataforma on-line) para professores.

Por meio dessa iniciativa, 11 milhões de bolas de futebol serão distribuídas para escolas nos territórios das 211 federações filiadas da FIFA, atingindo mais de 700 milhões de crianças. Uma plataforma online também será criada para informar os professores sobre como incorporar o futebol à educação.

Em particular, o programa se beneficiará do extenso histórico da FIFA no desenvolvimento do futebol técnico, da longa experiência da UNESCO em educação e esporte e no sucesso do programa de alimentação escolar do PMA, que ocorre em mais de 100 países.

A alimentação escolar ajuda a garantir que todas as crianças tenham acesso à educação, saúde e nutrição, proporcionando a elas refeições na escola, uma base importante para o esporte e a educação física.

Os três representantes das organizações parceiras enfatizaram a importância de parcerias entre organizações internacionais, governos, associações nacionais de futebol e FIFA para melhorar o acesso ao esporte, bem como aumentar a contribuição deste — e principalmente do futebol — para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Durante a cerimônia de assinatura, o presidente da FIFA, Gianni Infantino declarou: “após minha primeira reunião com o secretário-geral da ONU, António Guterres, no início de 2018, durante a qual concordamos em trabalhar juntos na promoção de valores positivos através do futebol, a formalização da nossa parceria é um marco importante e é ponto de partida para uma nova era de cooperação entre FIFA, UNESCO e PMA”.

“Usar o poder do futebol para promover a mudança social e a educação é o nosso interesse comum e as três organizações que agora unem forças estão em uma posição única para trazer esse potencial”, disse ele.

“A UNESCO tem orgulho de fazer parte dessa parceria inovadora com a FIFA e o PMA. Esta iniciativa destaca o poderoso papel desempenhado pelo esporte como uma ferramenta fundamental para a educação”, disse a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay.

“Ensinar futebol nas escolas ajudará a disseminar valores esportivos como espírito de equipe e respeito. Este programa também ajudará a desenvolver habilidades para a vida, como autoconfiança, e promover a igualdade entre meninas e meninos. Promover a educação por meio do esporte contribui para a missão da UNESCO, como a agência da ONU para a educação”, salientou.

“Que diferença hoje fará para o futuro de meninos e meninas ao redor do mundo”, disse o diretor executivo do Programa Mundial de Alimentos, David Beasley. “A FIFA aproveitará a expertise em logística do PMA para levar o esporte mais popular do mundo a mais escolas, ajudando meninos e meninas a desenvolver importantes habilidades para a vida. Essa parceria do PMA-FIFA melhorará o perfil de nosso programa de alimentação escolar, e acreditamos que isso signifique estudantes mais bem preparados, que estarão prontos para aprender e em seu caminho para criar um futuro melhor para eles mesmos, suas comunidades e suas nações”.