Agências da ONU com sede em Roma ampliam colaboração na América Latina e no Caribe

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Programa Mundial de Alimentos (PMA) — as três agências das Nações Unidas com sede em Roma — estão preparando planos de trabalho conjunto para Haiti, Guatemala e Colômbia que incluem a erradicação da pobreza e da fome, a promoção do desenvolvimento rural e agrícola e a prevenção e gestão de desastres naturais.

A Colômbia será um dos primeiros países onde as três agências das Nações Unidas com sede em Roma coordenarão seus planos de ação. Foto: FIDA

A Colômbia será um dos primeiros países onde as três agências das Nações Unidas com sede em Roma coordenarão seus planos de ação. Foto: FIDA

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Programa Mundial de Alimentos (PMA) — as três agências das Nações Unidas com sede em Roma — estão preparando planos de trabalho conjunto para Haiti, Guatemala e Colômbia que incluem a erradicação da pobreza e da fome, a promoção do desenvolvimento rural e agrícola e a prevenção e gestão de desastres naturais.

Esses planos são parte da estratégia de trabalho conjunto para o biênio 2018-2019, uma demonstração de sua ativa colaboração na América Latina e no Caribe, com o objetivo de utilizar experiência acumulada, capacidades e recursos para enfrentar a magnitude dos desafios representados pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030.

Mais de 42 milhões de pessoas permanecem malnutridas na região, segundo o Panorama da Segurança Alimentar 2017 da FAO, enquanto 5,9 milhões de crianças sofrem de desnutrição crônica (baixa estatura para a idade) e 3,7 milhões têm sobrepeso.

A fome e a pobreza se concentram de forma extrema nas áreas rurais da região: 48% da população rural da América Latina e do Caribe estão na pobreza (contra 27% da população urbana). Os dois problemas afetam particularmente agricultores familiares, mulheres rurais, indígenas e afrodescendentes.

A FAO, o FIDA e o PMA compartilham uma missão em comum: erradicar a pobreza e a fome, promover o desenvolvimento rural e garantir a segurança alimentar e a nutrição nos países da região.

Como parte desses esforços de colaboração, o FIDA e o PMA assinaram recentemente um acordo regional que se seguiu a outros dois acordos similares firmados por FAO-FIDA e FAO-PMA em outubro do ano passado para definir um marco de colaboração regional. Esse acordo regional complementar outro assinado pelos três chefes globais das agências, assinado em 6 de junho em Roma.

Trabalho conjunto

As três agências estão preparando um relatório sobre as experiências em projetos compartilhados e suas melhores práticas na região para identificar gargalos, desafios e oportunidades, e assim maximizar a cooperação entre agências e prestação de contas.

“Com o aumento da fome e da pobreza afetando a metade de todos os moradores rurais, não há tempo a perder: este encontro nos permite criar sinergias e ajudar estrategicamente os países para avançar para o desenvolvimento sustentável”, disse o representante regional da FAO, Julio Berdegué.

“Estamos convencidos de que o cumprimento das ambiciosas, necessárias e irrevogáveis metas da Agenda 2030 requer uma atuação conjunta e coordenada das três agências, buscando complementariedades e sinergias no nível regional, nacional e sub-nacional, que contribuam para um maior impacto de nossas operações”, disse Joaquín Lozano, diretor regional do FIDA para a América Latina.

“Estamos reforçando nosso compromisso de apoiar as pessoas mais vulneráveis da região, especialmente mulheres e crianças, a fim de aliviar a fome e eliminar a raiz de sua insegurança alimentar”, afirmou Miguel Barreto, diretor regional do PMA.

Em abril de 2018, FAO, FIDA e PMA participaram juntas do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, realizado em Santiago (Chile) e que é organizado anualmente pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), para pedir aos presentes concentrar esforços nas áreas rurais e entre os pequenos agricultores da região.

Os diretores regionais das agências organizaram um evento paralelo a esse fórum, onde se ressaltou a importância de priorizar e concentrar esforços no desenvolvimento das comunidades rurais e pequenos produtores como única via efetiva para alcançar os ODS na região.

Os três chefes regionais também realizaram exposições em outros eventos do fórum e entregaram uma declaração conjunta à secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena.


Mais notícias de:

Comente

comentários