Agências da ONU apoiam governo brasileiro em campanha de doações para crianças venezuelanas

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A Casa Civil da Presidência da República lançou nesta semana (12) uma campanha de doações de fraldas e leite em pó para crianças venezuelanas que vivem como refugiadas no Brasil. Iniciativa é desdobramento das ações humanitárias do Governo Federal para ajudar os migrantes do país vizinho. Arrecadação acontece em Brasília, com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Funcionários do ACNUR entregam assistência humanitária para venezuelanos em Roraima. Foto: ACNU/Reynesson Damasceno

Funcionários do ACNUR entregam assistência humanitária para venezuelanos em Roraima. Foto: ACNU/Reynesson Damasceno

A Casa Civil da Presidência da República lançou nesta semana (12) uma campanha de doações de fraldas e leite em pó para crianças venezuelanas que vivem como refugiadas no Brasil. Iniciativa é desdobramento das ações humanitárias do Governo Federal para ajudar os migrantes do país vizinho. Arrecadação acontece em Brasília, com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

“Com este acolhimento, o Brasil reafirma mais uma vez sua liderança na defesa das populações emigradas”, elogiou a representante do ACNUR no país, Isabel Marquez, durante a cerimônia de apresentação da campanha, no Palácio do Planalto.

Durante o evento, foi exibido o documentário “Venezuela: Um irmão que pede socorro”. A obra traz imagens e depoimentos sobre a situação que famílias venezuelanas, especialmente de classe média, enfrentam hoje. Muitas delas foram obrigadas a abandonar lares, parentes, amigos e emprego. Desde 2014, cerca de 1 milhão de pessoas precisou deixar o país.

“São pessoas como nós, que chegam por via terrestre. Não vêm por vontade própria, mas porque encontram no Brasil talvez a única chance de sobrevivência para si e suas famílias”, disse a assessora da Subchefia Adjunta de Políticas Sociais da Casa Civil, Larissa Araújo. A gestora esteve em Boa Vista para acompanhar o trabalho de interiorização dos venezuelanos, acolhidos inicialmente em Roraima.

A subchefe de Articulação da Casa Civil, Maria do Socorro Tabosa, explicou que a assistência emergencial aos migrantes e refugiados está dividida em três eixos: o ordenamento da fronteira; a acolhida; e a integração social dos venezuelanos no Brasil, por meio da interiorização. Segundo a dirigente, existem 4 mil pessoas abrigadas em Roraima — 3,5 mil em Boa Vista e 500 em Pacaraima. Por dia, são servidas 7,6 mil refeições e realizados 70 atendimentos médicos. Mais de 500 venezuelanos já foram interiorizados.

“Temos necessidade crescente de itens específicos. Por isso, a importância dessa campanha que estamos lançando”, ressaltou Tabosa. A representante da Casa Civil inaugurou oficialmente a iniciativa, depositando um pacote de fraldas na caixa de coleta, uma das 41 espalhadas pela Esplanada dos Ministérios. A arrecadação de donativos se encerra em 6 de julho.

O PNUD apoia a campanha, inclusive por meio do recolhimento de doações na própria da Casa da ONU em Brasília, onde também foi instalado um repositório para contribuições.

“Essa iniciativa se insere em um contexto mais amplo, que envolve a participação ativa do PNUD no programa Viva Voluntário, somada ao esforço pela reinserção de venezuelanas e venezuelanos no mercado de trabalho e na sociedade, de maneira que possam seguir suas vidas com dignidade e perspectivas”, disse o diretor de país do programa da ONU no Brasil, Didier Trebucq.

Durante o lançamento, a assessora especial da Casa Civil, Verônica Sanchez, divulgou o programa “Viva Voluntário”, uma estratégia nacional da Presidência da República para fomentar o voluntariado em nível nacional. Dentre as atividades já realizadas pelo projeto, está a criação de um aplicativo para ajudar pessoas interessadas a encontrar oportunidades de colaboração. A servidora também lembrou que o governo realiza o “Prêmio Viva Voluntário”, cujas inscrições estão abertas até o próximo dia 29.


Mais notícias de:

Comente

comentários