Agência da ONU pede que solicitantes de refúgio nas ilhas gregas sejam transferidos para o continente

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) destacou na sexta-feira (6) a necessidade urgente de acelerar a transferência de solicitantes de refúgio das ilhas gregas para o continente, citando a superlotação de instalações e a expectativa de que as temperaturas cairão nos próximos dias.

Crianças refugiadas na Grécia. Foto: UNICEF/Tomislav Georgiev

Crianças refugiadas na Grécia. Foto: UNICEF/Tomislav Georgiev

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) destacou na sexta-feira (6) a necessidade urgente de acelerar a transferência de solicitantes de refúgio das ilhas gregas para o continente, citando a superlotação de instalações e a expectativa de que as temperaturas cairão nos próximos dias.

De acordo com o ACNUR, atualmente, a transferência só é permitida após os migrantes concluírem processo de registro ou em casos específicos de vulnerabilidade.

“A lentidão no registro ou na identificação de pessoas vulneráveis, bem como a falta de espaço para abrigar os requerentes no continente, foram fatores que atrasaram os movimentos”, disse o porta-voz do ACNUR, Adrian Edwards, a jornalistas em Genebra.

“Entre outras coisas, isso contribuiu para uma séria superlotação de instalações, que foram construídas para abrigar menos pessoas, e para o aumento dos riscos de proteção”, acrescentou Edwards, observando que a situação é especialmente preocupante nas ilhas de Samos, Chios e Lesbos.

O ACNUR e seus parceiros distribuíram cobertores térmicos, sacos de dormir, combustível para aquecimento e kits de proteção para o inverno, entre outros itens normalmente usados em situações de emergência.

Edwards disse ainda que, durante o período de festas, a agência concluiu as preparações para o inverno em todos os locais designados pelas autoridades gregas, e está prestes a concluir melhorias de infraestrutura em outros locais.

No total, a agência já criou cerca de 21 mil vagas em apartamentos, com famílias anfitriãs, ou em edifícios, além de 700 vagas para crianças desacompanhadas.

O ACNUR também lembrou os países da União Europeia sobre a necessidade de ajudar a resolver a situação na Grécia por meio da transferência de requerentes de asilo para outros países. Até o dia 4 de janeiro, apenas 7.760 estavam programados ou já haviam deixado a Grécia sob o Mecanismo de Realojamento da UE acertado no fim de 2015.

“O número representa cerca de 12% dos 66,4 mil acordados, e é inaceitavelmente baixo. O ACNUR faz um apelo aos países do bloco europeu para que respeitem seus compromissos anteriores e ofereçam espaços adicionais sem demora”, concluiu Edwards.