Agência da ONU pede fortalecimento da atenção primária de saúde no Brasil

Foto: EBC

Em visita ao Brasil, a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa Etienne, chamou gestores estaduais na quarta-feira (24) a fortalecer a atenção primária de saúde. Esse nível de atendimento é considerado pela agência da ONU como a base para promover a cobertura universal de saúde. A chefe do organismo regional pediu ainda que funcionários públicos promovam serviços acolhedores para os pacientes.

“Precisamos de uma atenção primária à saúde forte e transformadora. É necessária uma abordagem integrada, eficiente e organizada, com equipes de saúde interdisciplinares que se transformam em redes. Precisamos de um sistema onde o indivíduo esteja no centro de um atendimento acolhedor, respeitoso e de qualidade”, enfatizou Carissa na cerimônia de posse da nova diretoria do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), em Brasília (DF).

A chefe da OPAS lembrou a longa parceria entre a agência da ONU e o órgão brasileiro.

“Nossa relação já existia antes mesmo de firmarmos nossa primeira cooperação técnica. Através dos anos, temos trabalhado juntos, lado a lado, para fortalecer o Sistema Único de Saúde. Repito o que disse em visita ao Brasil no último ano: o SUS é um exemplo para o mundo. Vocês têm em suas mãos uma joia da qual todos nós devemos nos orgulhar”, disse Carissa, parabenizando os novos membros da instituição.

Durante sua viagem ao Brasil, a dirigente também se reuniu com o Conselho Nacional de Saúde (CNS), instância colegiada, deliberativa e permanente do SUS. Carissa renovou o compromisso da OPAS com a participação da sociedade na construção de sistemas e serviços que garantam o pleno direito à saúde para todas e todos, em todos os lugares.

Em encontro com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), a especialista ressaltou que a construção coletiva deve ser um fundamento do sistema de saúde. Num país continental como o Brasil, explicou Carissa, a participação da população permite garantir atendimento universal e integral, mas com respeito à diversidade regional e local.

Carissa também agradeceu ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, por sediar o lançamento da 17ª Semana de Vacinação nas Américas, que ocorreu na última segunda-feira (22), em Cuiabá (MT). A autoridade máxima da OPAS reafirmou o empenho da Organização em trabalhar com o Brasil para manter a população imunizada contra doenças perigosas como o sarampo e a pólio, um elemento básico para o alcance da saúde universal.

“É uma ótima oportunidade para trabalharmos juntos para aumentar as coberturas vacinais e proteger nossas comunidades, oferecendo às pessoas o mais alto nível de saúde e bem-estar”, disse a dirigente da agência da ONU.

Valorização das enfermeiras e enfermeiros

Também na quarta-feira (24), Carissa participou do lançamento da campanha Nursing Now Brasil, que busca valorizar os profissionais de Enfermagem, peças importantes para o cumprimento das metais globais, nacionais e locais de saúde.

“A OPAS reconhece que, para chegarmos à saúde universal, deve haver transformações nos sistemas de saúde com base na atenção primária de saúde. E digo que enfermeiras e enfermeiros são a chave para o alcance da saúde universal”, afirmou a chefe do organismo das Nações Unidas.

A diretora também defendeu mais oportunidades de capacitação para os profissionais de enfermagem, com base nos pilares previstos na Declaração de Alma-Ata: equidade, solidariedade e direitos humanos. Essa declaração foi firmada em 1978 entre os países e tornou-se um marco para o consenso internacional sobre os princípios da atenção primária à saúde.

No Brasil, a campanha Nursing Now Brasil é encabeçada pelo Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) e pelo Centro Colaborador da OPAS para o desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem, vinculado à Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Em nível global, a iniciativa é executada em colaboração com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Conselho Internacional de Enfermeiros. O objetivo da estratégia é melhorar a saúde das populações, fortalecendo o perfil e o status da enfermagem em todo o mundo.