Agência da ONU para refugiados palestinos pede fim de combates em áreas civis da Síria

Intensificação de confrontos no bairro residencial Yarmouk, ao sul de Damasco, afetaram mais de 150 mil palestinos. UNRWA também pede preservação das instalações das Nações Unidas.

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA) pediu, nesta quarta-feira (16), que todos os envolvidos no conflito na Síria evitem se posicionar ou conduzir batalhas em áreas civis.

Em um comunicado, a agência apelou às partes “para assegurar a proteção dos refugiados palestinos, outros civis e suas propriedades e para cumprir com suas obrigações sob o direito internacional”. Destacou ainda que “a integridade, a inviolabilidade e a neutralidade das instalações, veículos e outros bens das Nações Unidas devem ser respeitadas e protegidas por todos”.

A UNRWA está particularmente preocupada com o conflito incessante e crescente e seu impacto devastador sobre os refugiados palestinos que vivem na Síria.

Em meados de dezembro de 2012, intensos combates armados ocorreram dentro Yarmouk, um subúrbio ao sul de Damasco, onde viviam mais de 150 mil palestinos. Desde então, opositores armados ocuparam posições nesta área residencial civil, o que atraiu uma resposta militar mais intensa por parte do Governo.

Isso trouxe novos picos de sofrimento para palestinos e sírios residentes de Yarmouk que já sofriam, desde julho de 2012, o trauma do conflito prolongado em seu bairro. A experiência Yarmouk também tem se repetido em outras áreas rurais de Damasco.