Agência da ONU para refugiados da Palestina pede acesso a famintos e desesperados sitiados na Síria

Em Yarmouk, há desnutrição generalizada e mulheres morrem no parto por falta de médicos. Multidão aguarda ajuda alimentar. UNRWA entrega de 700 cestas básicas para alimentar até 5,6 mil por dez dias.

Multidão aguarda ajuda humanitária no campo de refugiados palestinos Yarmouk, em Damasco, Síria. Foto: UNRWA

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) confirmou no domingo (2) a entrega de mais de 700 cestas básicas a civis em uma área de difícil acesso fora de Damasco, capital síria, e reiterou seu apelo por acesso de longo prazo para atender às necessidades dos afetados pelos três anos de guerra civil no país.

“Hoje a UNRWA distribuiu 715 cestas básicas em Yarmouk, o campo de refugiados palestinos em Damasco, elevando o número para 3.709 de cestas distribuídas desde que tivemos acesso ao campo em 18 de janeiro”, disse o porta-voz da agência, Chris Gunness.
Gunness relatou que multidões esperam pelas cestas do UNRWA, que alimentam uma família entre cinco e oito pessoas por dez dias.

O porta-voz destacou a necessidade humanitária e o desespero de um grande número de civis, ressaltando a necessidade de apoio de longo prazo para Yarmouk.

Há aproximadamente 18 mil palestinos no campo, onde antes a população era de 160 mil pessoas. A UNRWA confirmou relatos de desnutrição generalizada e a morte de mulheres em trabalho de parto por falta de serviços médicos e estima que há civis não palestinos presos em Yarmouk.

“Para fazer qualquer progresso atendendo a essas necessidades, a presença e o trabalho de ajuda humanitária da UNRWA precisa ser autorizado a continuar e se expandir por um período de meses, não dias”, disse Gunness. “Precisamos acelerar o ritmo de distribuição.”

Apesar de agradecer os esforços das autoridades que permitiram à agência aumentar o número de distribuição de cestas para uma média de 900 famílias por dia, Gunness destacou que outras melhorias são necessárias para alcançar mais famílias todos os dias e que a entrega de ajuda em Yarmouk mostra ser possível chegar a outras áreas onde civis estão presos ou cercados.