Agência da ONU oferece assistência alimentar a atingidos por conflitos na Ucrânia

Iniciativa do Programa Mundial de Alimentos da ONU já enviou o suficiente para alimentar 2 mil pessoas por cinco dias e será ampliada até o final do mês.

Diversas famílias ucranianas tiveram suas casas destruídas nos conflitos de julho de 2014. Foto: ACNUR/Iva Zimova

Diversas famílias ucranianas tiveram suas casas destruídas nos conflitos de julho de 2014. Foto: ACNUR/Iva Zimova

As populações afetadas pelos recentes conflitos no leste da Ucrânia vêm recebendo assistência alimentar do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas desde o início deste mês pela primeira vez.

A iniciativa é uma parceria entre o PMA e parceiros locais e atende principalmente aos povos deslocados em condições médicas graves, mulheres grávidas, mães de recém nascidos, idosos e famílias numerosas e vulneráveis. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) contabilizou oficialmente mais de 310 mil pessoas deslocadas dentro do país; porém, o número total pode ser até duas vezes maior.

O PMA vem distribuindo alimentos enlatados prontos para consumo, como carne, peixe, vegetais, biscoitos, geleia e chá. Até agora, segundo comunicado da agência, os produtos enviados são suficientes para alimentar 2 mil pessoas por cinco dias.

A pedido do governo da Ucrânia, as operações serão ampliadas para suprir as necessidades do equivalente a 18 mil pessoas por cinco dias até o final deste mês.

O PMA planeja uma operação de emergência no país, capaz de alimentar 120 mil pessoas pelos próximos seis meses, o que representa custo de 15 milhões de dólares.

O momento atual é extremamente imprevisível e volátil, segundo a agência, por conta do frágil cessar-fogo estabelecido, dos recentes conflitos na costal sul ucraniana e da perspectiva da chegada do inverno.