Agência da ONU lista 3 maneiras de dar presentes de forma sustentável

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) sugere formas criativas de oferecer lembranças de final de ano, sem danos ao planeta; entre ideias estão compras em lojas de produtos usados ou reciclagem e embalagens com jornais ou revistas.

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) pergunta: por que não pensar no meio ambiente na hora de dar presentes? Foto: Unsplash/Nathan Lemon

Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) pergunta: por que não pensar no meio ambiente na hora de dar presentes? Foto: Unsplash/Nathan Lemon

Dependendo de onde a pessoa more, as férias de final de ano podem ser um momento para estar com a família e os amigos, e essas tradições geralmente incluem dar presentes.

Desde levar flores e chocolates até comprar presentes para crianças, familiares, amigos e colegas de trabalho, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) pergunta: por que não pensar no meio ambiente na hora de dar presentes?

Criatividade

A agência da ONU lembra que existem muitas ideias de presentes que não têm um custo para o planeta. Desde produzir os próprios presentes até selecionar aqueles que não consomem muita eletricidade.

A diretora de gestão em rotulagem ecológica e informações ao consumidor do PNUMA, Beatriz Martins Carneiro, destaca que “estratégias de negócios como mercado de segunda mão, reciclagem e reparo são essenciais.” Ela aponta que isso permite “que produtos e materiais sejam mantidos no mercado pelo maior tempo possível.”

A sugestão de Carneiro é: “em vez de comprar produtos novos, por que não procurar peças únicas e exclusivas em mercados de segunda mão ou lojas de reciclagem?”

Jovens Campeões da Terra

O PNUMA destaca que entre aqueles que estão trabalhando com ideias de inovação estão jovens empreendedores, vencedores e finalistas do prêmio anual Jovens Campeões da Terra. Os projetos desenvolvidos por eles vão desde embalagens ecológicas a produtos para cuidados com a pele.

Para promover essa ideia, o PNUMA preparou uma lista com três sugestões criativas de presentes especiais e ecológicos.

Presentes da natureza

De alimentos à base de plantas a desodorantes e cremes faciais orgânicos, uma ideia é se inspirar na natureza na hora de comprar os presentes.

A agência dá o exemplo da jovem executiva americana Lisa Curtis, que decidiu começar a fazer suplementos nutritivos com a planta moringa oleifera, rica em nutrientes. Ela trabalha com agricultores de moringa no Gana, no Haiti e na Nicarágua para disponibilizar seus produtos para clientes em nível global.

Já Celine Jennison se inspirou na natureza para produzir uma série de artigos ricos em nutrientes para cuidados com a pele. Do sabão de cedro preto aos óleos e desodorantes, todos os produtos artesanais usam árvores e plantas perenes orgânicas.

Indústria da Moda

A indústria da moda é responsável por 8% a 10% das emissões globais de carbono. De acordo com o PNUMA, isso é mais do que todos os voos internacionais e transporte marítimo combinados.

A agência diz que estudos indicam que nove em cada 10 consumidores nascidos entre 1994 e 2014 acreditam que as empresas têm a responsabilidade de abordar questões ambientais e sociais.

Nesse sentido, jovens estão liderando o caminho na reciclagem de roupas. Um exemplo é o Jovem Campeão da Terra Omar Itani, do Líbano. A empresa dele, a FabricAID, leva o conceito de reciclagem para o próximo nível, ajudando as comunidades vulneráveis ​​a comprar roupas de segunda mão de qualidade.

Embalagens Ecológicas

O PNUMA também cita o caso de Alhaji Siraji Bah, de 19 anos, de Serra Leoa. Quando perdeu tudo em um deslizamento de lama, ele decidiu usar a experiência que viveu para aprender sobre as causas desse tipo de desastre.

A pesquisa que fez mostrou que o desmatamento e grandes quantidades de resíduos estavam levando à degradação ambiental.

Bah diz que no Oriente Médio e na África, quase 1 mil toneladas de resíduos são produzidas todos os dias, sendo que cerca de 50% destes são predominantemente de plástico e de biomassa. Ele conta que a equipe dele se perguntou como seria possível reduzir esse desperdício e, ao mesmo tempo, criar uma oportunidade viável de negócios.

A empresa de Bah enfrenta a crise de resíduos na Serra Leoa produzindo sacos de papel biodegradáveis ​​a partir de folhas de bananeira para reduzir a poluição por plásticos. A equipe do jovem já fez mais de 250 mil sacolas.

Embalagens

Na Índia, o papel reutilizável criado por Nitish Singh pode ser usado mais de 100 vezes. É possível escrever no papel com canetas convencionais, esferográfica, caneta de desenho e caneta marcador e a tinta é removida com um pano úmido.

Singh aponta que a fabricação de papeis exige cerca de cinco litros de água doce para produzir apenas uma folha A4. Ele observa que até 2020, a produção global de folhas A4 deve exceder 25 trilhões por ano, exigindo a destruição de 60 milhões de hectares de floresta, o equivalente à área da França.

A responsável por estilos de vida sustentáveis ​​do PNUMA, Garrette Clark, enfatiza que essas são apenas algumas das maneiras pelas quais todos podem fazer a diferença nas festas de final de ano. Ela acredita que é importante que todos repensem a forma de dar presentes e que o embrulho não é necessário.

Uma das recomendações de Clark é que todos tentem “usar sacolas reutilizáveis, decoradas, revistas, jornais, mapas ou tecidos desatualizados para embrulhar.”