Agência da ONU elogia Brasil por avanços na promoção do acesso à tecnologia e à internet

Novo relatório da União Internacional de Telecomunicações estima que 57,6% dos brasileiros utilizam a internet. Cerca de 89% da população e 68% dos municípios têm acesso ao sinal 3G. Avanços do país levaram o país a subir 12 posições no Índice de Desenvolvimento das TICs.

No Brasil, acesso à banda larga móvel já chegou a 78,1%. Foto: Pexels

No Brasil, acesso à banda larga móvel já chegou a 78,1%. Foto: Pexels

A União Internacional de Telecomunicações (UIT) destacou, nesta segunda-feira (30), os avanços do Brasil na promoção do acesso e uso das tecnologias de informação e comunicação (TICs). Em relatório onde avalia a penetração da internet e da telefonia em países de todo o mundo, a agência classificou o país como um dos dez que mais obteve progressos desde 2010.

A UIT estima que, atualmente, 57,6% dos brasileiros têm acesso à internet. Cerca de 89% da população e 68% dos municípios do país têm acesso ao sinal de internet móvel 3G. Entre 2010 e 2014, a penetração da banda larga móvel no Brasil passou de 10,6% para 78,1%, segundo a agência. Em 2014, 84% dos brasileiros possuíam um aparelho celular. No mesmo ano, 48% dos domicílios contavam com serviços de internet e 51,9% tinham um computador, em comparação com os valores respectivos de 27,1% e 34,9%, verificados em 2010.

Parte do avanço é devido a ações da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), que tem determinado, desde 2007, exigências de cobertura para companhias de telefonia móvel, as quais são obrigadas a levar serviços de internet para cidades com populações menores. O Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) também foi citado no relatório. A iniciativa pode ser associada à elevação do número de assinaturas de banda larga fixa, cuja penetração passou de 7,2% para 11,5%, na avaliação entre 2010 e 2015, realizada pela UIT.

Os progressos brasileiros tiveram reflexos no ranking da agência da ONU, que classifica os países segundo o Índice de Desenvolvimento das TICs (IDI). De 2010 para 2015, o Brasil subiu 12 posições, ocupando, agora, a 61ª posição. O IDI brasileiro desse ano foi calculado em 6,03. Em 2010, o índice era de apenas 4,29. O valor atual está acima da média global de 5,03 e da média para países em desenvolvimento, estipulada em 4,12.

Embora, nas Américas e no Caribe, o país ocupe a 8ª posição, ficando atrás de países como Argentina, Chile e Uruguai, os avanços recentes do Brasil colocaram o país entre os três mais dinâmicos da região, ao lado da Costa Rica e do Suriname. Entre as nações americanas, o Brasil, junto com os Estados Unidos, é a única onde o uso de internet por mulheres ultrapassa a conexão por homens. Em escala global, o Brasil foi considerado o décimo que mais evoluiu nos últimos cinco anos.

Apesar da avaliação positiva, a UIT destacou que, no país, os elevados custos de equipamentos e dos serviços ainda são alguns dos principais fatores pelos quais brasileiros não adquirem acesso à internet. De acordo com a agência, os avanços no aprimoramento das habilidades da população brasileira no manejo das TICs não foram tão significativos quanto os progressos na difusão do uso e na facilitação do acesso.


Comente

comentários