Agência industrial da ONU e parceiros lançam iniciativa global de ‘química verde’

Em um esforço para disseminar ideias sobre a “química verde” — produtos e processos químicos que reduzem ou eliminam o uso de substâncias químicas nocivas —, a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e parceiros lançaram uma iniciativa global para aumentar a conscientização sobre o tema.

Muitos governos nacionais aprovaram leis e estabeleceram estruturas institucionais com o objetivo de reduzir o volume de químicos utilizados, nas cadeias de produção industrial. Foto: EBC

Muitos governos nacionais aprovaram leis e estabeleceram estruturas institucionais com o objetivo de reduzir o volume de químicos utilizados, nas cadeias de produção industrial. Foto: EBC

Em um esforço para disseminar ideias sobre a “química verde” — produtos e processos químicos que reduzem ou eliminam o uso de substâncias químicas nocivas —, a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e parceiros lançaram uma iniciativa global para aumentar a conscientização sobre o tema.

Muitos governos nacionais aprovaram leis e estabeleceram estruturas institucionais com o objetivo de reduzir o volume de utilização de químicos químicos tóxicos, e muitas companhias começaram a adotar programas de gestão de químicos com o objetivo de reduzir o uso de produtos perigosos no ciclo de produção industrial.

No entanto, a crescente variedade e complexidade dos químicos e das cada vez mais longas e complexas cadeias de suprimentos e de fluxos de dejetos expõem sérias falhas e inconsistências nas políticas governamentais e internacionais, assim como nas práticas corporativas, de acordo com a UNIDO.

A química verde reduz a poluição em suas causas, ao minimizar ou eliminar químicos perigosos das matérias-primas, reagentes, solventes e produtos; ou encorajando a invenção e a inovação de novos solventes não perigosos, surfactantes, materiais, processos e produtos.

A iniciativa da UNIDO, realizada em parceria com o Instituto SENAI de Inovação em Química Verde, reúne um amplo consórcio de pesquisa liderado pelo Centro de Química Verde e Engenharia Verde da Universidade de Yale, a Fundação Federal Ambiental Alemã e a petroquímica Braskem, além de diversos centros de produção limpos de América Latina, África, Ásia e Leste da Europa.

O projeto de três anos é financiado pelo fundo Global Environment Facility, ou GEF, parceria global criada na Rio 92 para apoiar ações ambientais.

Saiba mais sobre a iniciativa clicando aqui.