Agência da ONU e governo brasileiro debatem em evento modelos de políticas de desenvolvimento social

Países em desenvolvimento que reduziram a extrema pobreza a quase zero, como o Brasil, agora enfrentam o desafio de suprir as novas demandas das pessoas que se beneficiaram com as políticas de transferência de renda.

Centro de Educação Infantil Professor Paulo Cesar dos Santos Mortari em São José dos Campos – SP. Foto: Sérgio Amaral/MDS

Centro de Educação Infantil Professor Paulo Cesar dos Santos Mortari em São José dos Campos – SP. Foto: Sérgio Amaral/MDS

Países em desenvolvimento que reduziram a extrema pobreza a quase zero, como o Brasil, agora enfrentam o desafio de suprir as novas demandas das pessoas que se beneficiaram com as políticas de transferência de renda. Políticas públicas bem elaboradas e eficientes em educação, saúde, saneamento, moradia e segurança ainda são necessárias para garantir que estas pessoas desfrutem da plena cidadania.

Questões relacionadas com o futuro das políticas sociais serão pauta do primeiro seminário Internacional ‘Um mundo sem pobreza’, que terá lugar em Brasília entre 18 e 19 de novembro.

O evento é organizado pela  Iniciativa Brasileira de Aprendizagem por um Mundo sem Pobreza – World without Poverty (WWP), com o apoio do Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE).

O encontro visa a estimular o debate sobre a agenda de superação da pobreza e da desigualdade e os desafios enfrentados na construção de um mundo mais equitativo, bem como discutir as metas que para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e as discussões mais recentes sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Contando com especialistas de vários ramos, a lista de palestrantes inclui representantes do Banco Mundial, do PNUD, o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Econômica Aplicada (IPEA), o Instituto Brasileiro de Análise Social e Econômica (Ibase) e acadêmicos de instituições renomadas, como as universidades da Cidade do Cabo, Tulane e George Washington.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome do Brasil, Tereza Campello, vai apresentar no dia 18 de outubro  a experiência em termos de formulação, implementação e monitoramento do “Plano Brasil Sem Miséria” e seus principais resultados, seguida pela avaliação crítica dos comentaristas.