Agência da ONU e autoridades brasileiras discutem agenda de luta contra a aids

Diretor executivo adjunto do UNAIDS, Luiz Loures disse que epidemia pode acabar e destaca papel pioneiro do Brasil.

Reunião do Grupo Temático Ampliado das Nações Unidas sobre HIV/AIDS – o GT/UNAIDS. Foto: Site do UNAIDS

Reunião do Grupo Temático Ampliado das Nações Unidas sobre HIV/AIDS – o GT/UNAIDS. Foto: Site do UNAIDS

O diretor executivo adjunto do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS), o brasileiro Luiz Loures, e a coordenadora do UNAIDS no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, participaram na última quinta-feira (31) da reunião do Grupo Temático Ampliado das Nações Unidas sobre HIV/AIDS – o GT/UNAIDS.

O encontro contou com a presença de representantes da sociedade civil, das agências da ONU, de agências de cooperação e do governo brasileiro. A reunião do GT/UNAIDS foi marcada pela apresentação da nova estrutura do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Viras do Ministério da Saúde.

A reconfiguração da estrutura busca atender as demandas das novas diretrizes, baseadas na implementação de abordagens inovadoras, acompanhamento das evidências científicas – nacionais e internacionais – e na busca de maior diálogo entre atores que trabalham com o enfrentamento da epidemia.

A agenda de reuniões foi concluída com uma conferência sobre a situação atual da epidemia global da aids. Nela, Loures destacou a acentuada redução mundial de mortes relacionadas à aids, entre 2005 e 2011, como grande indicativo da proximidade do fim da epidemia.

Loures ressaltou a importância histórica do pioneirismo brasileiro no combate à aids. “Estamos num momento importante em que podemos acabar com a epidemia global. O papel histórico de vanguarda que o Brasil sempre teve no combate à doença faz do país uma peça-chave neste momento, como exemplo de enfrentamento da epidemia no cenário global”, disse.

“As discussões que tivemos durante a visita (de Loures) demonstram que temos que voltar às bases e focar em direitos humanos e principalmente, nos direitos das populações LGBT”, acrescentou a coordenadora do UNAIDS no país, Georgiana Braga-Orillard.

No mesmo dia, Loures se encontrou com o ministro brasileiro da Saúde, Alexandre Padilha.