Agência da ONU conscientiza jornalistas de Manaus sobre direitos dos refugiados

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Profissionais de veículos de comunicação de Manaus participaram nesta semana (17) da oficina ‘Imprensa no combate à xenofobia contra refugiados e migrantes’, ministrada pela Conectas Direitos Humanos e pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). De fevereiro a junho de 2018, a Caritas localizada na capital amazonense atendeu cerca de 1,7 mil venezuelanos.

Em Manaus, ACNUR e Conectas promoveram oficinas sobre imprensa e direitos dos refugiados e migrantes. Foto: ACNUR

Em Manaus, ACNUR e Conectas promoveram oficinas sobre imprensa e direitos dos refugiados e migrantes. Foto: ACNUR

Profissionais de veículos de comunicação de Manaus (AM) participaram nesta semana (17) da oficina “Imprensa no combate à xenofobia contra refugiados e migrantes”, ministrada pelos jornalistas Leonardo Medeiros, da Conectas Direitos Humanos, e Victoria Hugueney, da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). De fevereiro a junho de 2018, a Caritas localizada na capital amazonense atendeu cerca de 1,7 mil venezuelanos.

“A imprensa precisa estar sempre fazendo uma autocrítica. Na questão dos migrantes, muitas vezes, encontramos matérias com fatos distorcidos sobre o fenômeno. É necessário nos informarmos para evitamos a xenofobia”, avaliou um dos participantes do evento, o repórter Valmir Lima, do Site Amazonas.

A jornalista da TV A Crítica, Adyam Litaiff, elogiou a iniciativa do ACNUR. “Às vezes, por falta de conhecimento do assunto, não nos informamos adequadamente. Por isso, esse encontro é importante para trazer esclarecimentos sobre o movimento migratório, cuja expansão é relativamente nova em Manaus.”

Durante a atividade, foram discutidos temas como direitos humanos, perfil da migração venezuelana no Brasil e no mundo, combate à xenofobia e a nova Lei de Migração (Lei 13.445/2017). A legislação garante a proteção dos migrantes no país e resguarda seu direito a trabalho, acesso a serviços básicos e não-discriminação.

Dos quase 2 mil venezuelanos atendidos pela Caritas de Manaus na primeira metade do ano, 405 chegaram à capital pelo programa de interiorização do Governo Federal.

A oficina com o ACNUR e Conectas fez parte do evento “Refugiados e Migrantes no Amazonas: como acolher e integrar?”.

Media training

Também na segunda-feira (17), porta-vozes de órgãos públicos e da sociedade civil organizada participaram de um media training, para aprender a se relacionar com a imprensa. Capacitação foi voltada para instituições que trabalham com o acolhimento e integração de refugiados e migrantes.

“Não nos comunicamos apenas por comunicar, mas sim por querermos gerar informação de interesse público”, ressaltou o responsável pelo treinamento, Leonardo Medeiros. A iniciativa abordou a comunicação como uma ferramenta estratégia para as atividades de cada organização.

As duas oficinas foram realizadas pela Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes, com o apoio da Embaixada do Canadá no Brasil.


Mais notícias de:

Comente

comentários