Agência da ONU apoia evento em São Paulo sobre saúde da população trans

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) promove no início de novembro (1 a 4) na capital paulista o I Encontro Brasileiro de Saúde Trans, que reunirá pessoas trans, profissionais de saúde, gestores públicos e especialistas nacionais e internacionais.

O evento é realizado em parceria com o Programa das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil. “A população trans é, sem dúvida, uma das mais desprovidas de direitos, principalmente quando constatamos que até mesmo o próprio direito de existir lhe é negado na maioria das vezes”, disse Georgiana Braga-Orillard, diretora do UNAIDS no Brasil.

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) promove no início de novembro (1 a 4) na capital paulista o I Encontro Brasileiro de Saúde Trans, que reunirá pessoas trans, profissionais de saúde, gestores públicos e especialistas nacionais e internacionais.

Na ocasião, coletivos trans discutirão o contexto e as demandas da população trans no Brasil, assim como o papel da militância, questões de empregabilidade e sua relação com o direito à saúde física, mental, e de reconhecimento da identidade autodeclarada (nome/gênero/sexo). O evento é realizado pela UNIFESP e parceiros, entre eles o Programa das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil.

“A população trans é, sem dúvidas, uma das mais desprovidas de direitos, principalmente quando constatamos que até mesmo o próprio direito de existir lhe é negado na maioria das vezes”, destacou Georgiana Braga-Orillard, diretora do UNAIDS no Brasil. “Falar de saúde da população trans é um passo fundamental para promover a inclusão e a zero discriminação.”

O seminário tem como objetivo ir além das discussões em torno das boas práticas de cuidado em saúde, debatendo também a criação da Associação Brasileira de Saúde Trans, que seria vinculada à Associação Profissional Mundial para Saúde de Pessoas Trans, explicaram Denise Vieira, vice-coordenadora do Ambulatório do Núcleo Trans da UNIFESP, e Ricardo Martins, coordenador do Ambulatório de Saúde Integral para Travestir e Transexuais do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP.

“Durante o evento, esperamos debater temas de interesse da pessoa trans com a própria população e representações trans, profissionais de saúde e pesquisadores, como políticas públicas específicas, aportes teóricos e conceituais sobre identidade de gênero, despatologização das vivências trans e seu impacto sobre o acesso e avanço das tecnologias de modificação corporal”, disse o professor da UNIFESP Magnus Dias da Silva. Segundo ele, outras questões de saúde e de direito das pessoas intersexo, gênero queer e gênero não binário serão também abordadas.

Para Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/AIDS-SP, espera-se durante o encontro consolidar, fortalecer e promover os vínculos entre pessoas trans, ativistas, gestores e profissionais da saúde para reduzir agravos decorrentes do estigma, preconceito e exclusão em torno desta população.

A coordenadora adjunta do Programa Estadual DST/AIDS-SP, Rosa Alencar, ressaltou que o evento visa a atualizar e discutir boas práticas em saúde voltadas à população de homens trans, mulheres transexuais e travestis, dentro de um amplo ambiente de discussão multiprofissional de promoção de cuidados em saúde e enfrentamento da transfobia.

“É fundamental aproximar e discutir com pessoas interessadas na promoção de políticas públicas de saúde que garantam os direitos de acesso e qualificação dos serviços prestados para a população trans, no sentido de promover bem-estar de travestis, mulheres transexuais e homens trans”, observou a pró-reitora de Extensão e Cultura da UNIFESP, Raiane Assumpção.

Para os organizadores do encontro, a união das representações das comunidades trans, profissionais da saúde e gestores fortalecerá os vínculos de representações e contribuirá para a promoção de políticas mais efetivas, facilitando o acesso à informação frente ao desafio de promover autonomia, cidadania e saúde integral para população trans.

Outros parceiros do evento são Coordenação Estadual de IST/AIDS e apoio do Programa Municipal de DST-AIDS da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo; Departamento de IST-AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde; Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo; Núcleo de Estudos de Gênero Pagu da UNICAMP; Aids Healthcare Foundation (AHF);Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo; ONG Ecos Comunicação em Sexualidade; fóruns e redes de movimentos sociais de Travestis e Transexuais.

Serviço

I​ ​Encontro​ ​Brasileiro​ ​de​ ​Saúde​ ​Trans
Data: De 1 a 4 de novembro de 2017
Local: Teatro Marcos Lindemberg, UNIFESP
Rua Pedro de Toledo, 697 – Vila Clementino, São Paulo – SP


Mais notícias de:

Comente

comentários