Agência da ONU anuncia acordo que regula o uso de satélites para o rastreamento de aeronaves civis

Decisão da Conferência Mundial da ONU de Radiocomunicação quer prevenir tragédias como o desaparecimento do voo MH370, da Malaysian Airlines, em março de 2014. A aeronave levava 239 pessoas a bordo.

Decisão vai permitir rastreamento global de voos da aviação civil. Foto: ICAO

Decisão vai permitir rastreamento global de voos da aviação civil. Foto: ICAO

A União Internacional de Telecomunicações (UIT) anunciou nesta quarta-feira (11) um acordo que regulamenta o uso de satélites para o rastreamento em tempo real de voos da aviação civil pelo mundo todo. A inciativa vai ajudar a prevenir tragédias como o desaparecimento do voo MH370, da Malaysian Airlines, em março de 2014. A aeronave levava 239 pessoas a bordo.

A agência da ONU fixou uma faixa do espectro de radiocomunicação para serviços aeronáuticos de rastreamento por satélites móveis. Tais serviços vão permitir que aviões transmitam sinais específicos, conhecidos como emissões de Vigilância Automática Dependente (ADS-B), para estações espaciais.

Os sinais ADS-B já são utilizados na aviação, mas sua transmissão é direcionada principalmente a estações de controle no solo. Com a decisão, aeronaves terão uma faixa do espectro eletromagnético (a de frequência 1087.7-1092.3 MHz) disponível para que os sinais sejam enviados também a satélites, possibilitando sua localização precisa mesmo em áreas oceânicas, polares e em outras regiões remotas.

Durante a Conferência Mundial de Radiocomunicação, onde a UIT anunciou a nova medida, foram discutidas também questões relativas à qualidade da recepção dos sinais ADS-B pelos satélites. Atualmente, os padrões para os sistemas de posicionamento das aeronaves são desenvolvidos pela Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO).