Agência alimentar da ONU pede acesso ‘irrestrito’ na Síria; chefe de agência visitou região

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), David Beasley, apelou por acesso humanitário “regular, irrestrito e sustentável” às pessoas vulneráveis em regiões sitiadas e de difícil alcance na Síria.

Diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA), David Beasley (centro), e a diretora regional do Programa, Muhannad Hadi (à esquerda), falando com Nagwan, uma mulher de 73 anos deslocada de sua casa na Síria. Ela depende da ajuda alimentar da agência da ONU para sobreviver. Foto: PMA / Abeer Etefa

Diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA), David Beasley (centro), e a diretora regional do Programa, Muhannad Hadi (à esquerda), falando com Nagwan, uma mulher de 73 anos deslocada de sua casa na Síria. Ela depende da ajuda alimentar da agência da ONU para sobreviver. Foto: PMA / Abeer Etefa

O diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), David Beasley, apelou na semana passada (3) por acesso humanitário “regular, irrestrito e sustentável” às pessoas vulneráveis em regiões sitiadas e de difícil alcance na Síria.

O apelo foi feito durante viagem de três dias ao país e ao Líbano, onde o representante da ONU se encontrou com autoridades e parceiros libaneses e sírios.

Durante a viagem, Beasley conversou também com famílias de refugiados sírios em Bekaa Valley e Beirute, e se encontrou com mulheres deslocadas e crianças refugiadas em um centro de distribuição do PMA na capital Damasco.

“Estou emocionado com as histórias de luta e de resistência de muitos sírios que estão vivendo longe de casa e de entes queridos”, frisou Beasley.

A agência da ONU fornece, por meio de entregas mensais, assistência alimentar a mais de quatro milhões de pessoas vulneráveis dentro da Síria, além de entregas transfronteiriças e aéreas em regiões não acessíveis por meios regulares.

O diretor-executivo também elogiou o Líbano por acolher mais de 1 milhão de refugiados sírios. Quase 700 mil refugiados sírios vulneráveis recebem assistência alimentar no país através de um sistema eletrônico de voucher.

Os cartões eletrônicos são reabastecidos mensalmente com uma quantia equivalente a 27 dólares por pessoa, que pode ser usada para comprar comida em uma das 48 estabelecimentos conveniados pelo PMA em todo Líbano.


Mais notícias de:

Comente

comentários