Afeganistão: Missão das Nações Unidas condena ataque a ônibus que matou 18 pessoas

Uso de artefato explosivo improvisado foi o responsável por mais de um terço de todas as mortes de civis em 2013. Entre os mortos deste domingo (27) estavam 16 mulheres e crianças.

Representante especial da ONU, Jan Kubis. Foto: ONU/Amanda Voisard

Representante especial da ONU, Jan Kubis. Foto: ONU/Amanda Voisard

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) condenou, por meio de um comunicado, o ataque ocorrido na província de Ghazni que matou 18 civis que viajavam em um mini-ônibus nesse domingo (27).

A tragédia foi ocasionada pela detonação de um artefato explosivo improvisado no distrito de Andar. Entre os mortos estavam 16 mulheres e crianças. Outras quatro mulheres sofreram ferimentos graves, de acordo com o comunicado.

“O trágico acontecimento de ontem (27) destaca mais uma vez o aumento do número de vítimas civis por artefatos explosivos improvisados no Afeganistão”, disse o representante especial do secretário-geral e chefe da UNAMA, Jan Kubis. “O uso indiscriminado dessas armas deve parar.”

A missão prestou condolências às famílias dos mortos no ataque e desejou uma rápida recuperação aos feridos.

Segundo a missão, artefatos explosivos improvisados matam e ferem civis afegãos mais do que qualquer outra tática usada no conflito armado no país.

Entre 1° de janeiro e 27 de outubro de 2013, eles mataram 828 civis e feriram 1.627 – mais de um terço de todas as mortes de civis este ano.

A UNAMA enfatizou que o uso indiscriminado e desproporcional desse tipo de artefato pode constituir um crime de guerra.