Afeganistão: Missão da ONU lamenta atentado terrorista que matou 17 trabalhadores do judiciário

Representante especial e chefe da Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (UNAMA), Jan Kubis. Foto: ONU

A missão das Nações Unidas no Afeganistão condenou fortemente o ataque ocorrido nesta terça-feira (11) contra funcionários do governo na capital, Cabul, que matou pelo menos 17 civis e feriu 40 – o mais recente incidente em meio a um ambiente de insegurança no país.

Os relatos iniciais indicam que um suicida detonou um veículo carregado de explosivos no estacionamento do prédio da Suprema Corte da cidade, ao lado de três ônibus que transportavam funcionários civis dos tribunais para suas casas no período da tarde. O grupo extremista Talibã teria reivindicado a responsabilidade do atentado.

“O ataque terrorista deplorável de hoje em uma área densamente povoada com funcionários afegãos teve claramente a intenção de matar e prejudicar tantos civis quanto fosse possível”, disse o representante especial do secretário-geral da ONU e chefe da Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (UNAMA), Jan Kubis, em um comunicado de imprensa.

Kubis alertou para aumento da insegurança no país. “Eu tenho que observar, com pesar, que a situação dos civis no país, e das vítimas civis de conflitos relacionados, não está indo na verdade na direção certa. Pelo contrário, a situação piorou.”

“Este ataque brutal contra o povo afegão é inaceitável e destaca o preço terrível que o conflito no Afeganistão exige de civis. Eu chamo pelo fim imediato a tais ataques premeditados.”

O incidente de hoje segue uma série de ataques contra funcionários afegãos do judiciário em outras partes do país, principalmente o ataque do Talibã contra o tribunal na província ocidental de Farah, em abril, no qual 33 civis foram mortos e 105 ficaram feridos.