ACNUR se prepara para entregar ajuda humanitária a sírios na esperança de uma trégua

Feriado muçulmano de Eid al-Adha, no próximo final de semana, pode ter trégua no conflito que já dura 20 meses, entre o governo sírio e opositores.

Crianças sírias fora de sua tenda em um acampamento para refugiados do ACNUR na Jordânia. Foto: ACNUR/ M. Abu Asaker O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) disse hoje (23) que está com 5 mil kits de suprimentos de ajuda de emergência preposicionados em Aleppo, uma das cidades mais afetadas na crise síria, e mais 5 mil a caminho na expectativa de uma possível trégua durante o feriado muçulmano de Eid al-Adha (ou Festa do Sacrifício), no final de semana.

“Se a trégua acontece, estes materiais poderão ser entregues por parceiros para 10 mil famílias deslocadas em locais que antes seríamos incapazes de atingir próximo a Aleppo e Idlib”, disse a Porta-Voz do ACNUR, Melissa Fleming, acrescentando que a agência também está despachando 1.000 itens de lazer que uma organização não governamental local, a Syria Trust for Development, vai distribuir esta semana para as crianças que vivem em abrigos municipais em Damasco e Aleppo. O ACNUR estima que existam mais de 2,5 milhões de sírios precisando urgentemente de ajuda humanitária.

Apelos para um cessar-fogo

A trégua é um pedido de autoridades da ONU e outras instituições humanitárias para que a ajuda emergencial possa chegar aos necessitados na área de conflito. Os Secretários-Gerais da ONU e da Liga dos Estados Árabes, Ban Ki-moon e Nabil El Araby respectivamente, pediram a todas as partes do conflito que respeitem a trégua no feriado que comemora a disposição do profeta Abraão de sacrificar seu filho Ismael como um ato de obediência a Deus.

O Representante Especial Conjunto das Nações Unidas e da Liga dos Estados Árabes para a crise síria, Lakhdar Brahimi, chegou a pedir o auxílio de autoridade iranianas na obtenção de um cessar-fogo do conflito que já matou mais de 20.000 sírios, a maioria civis, e fez com que mais de 340.000 se refugiassem em países vizinhos.