ACNUR lança no Brasil campanha para celebrar compromisso do Equador com refugiados

Alto Comissariado da ONU para Refugiados lança campanha internacional para reconhecer envolvimento do Governo e do povo equatoriano com a proteção de refugiados e solicitantes de refúgio.

Filhos de refugiados colombianos no Equador recebem registro civil no país. (ACNUR / S.Aguilar/2010)

Para reconhecer o envolvimento do Governo do Equador e da população equatoriana com a proteção de refugiados e solicitantes de refúgio em seu país, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) lança nesta sexta-feira (10 de agosto), em Brasília, a campanha internacional “Gracias Ecuador”.

O lançamento acontecerá no Museu Nacional da República, durante a cerimônia de abertura da exposição “Guayasamín – Continente Mestiço”, com obras de um dos mais renomados pintores e humanistas equatorianos, Oswaldo Guayasamín.

O Equador abriga atualmente a maior população de refugiados da América Latina. De acordo com o ACNUR, são mais de 55 mil pessoas, principalmente de origem colombiana, que foram forçadas a abandonar seu país de origem devido a conflitos armados, perseguições e violações dos direitos humanos.

“Para muitos desses refugiados, o Equador representa um novo lar e a oportunidade de recomeçar a vida. Por isso devemos reconhecer os esforços humanitários do Equador e de sua população com todos que buscam proteção neste país, que ao longo de muitos anos tem mantido suas fronteiras abertas e atitudes solidárias”, afirma o representante do ACNUR no Brasil, Andrés Ramirez.

O lançamento da campanha “Gracias Ecuador” em Brasília é parte da estratégia de divulgação internacional desta iniciativa, que vem sendo implementada conjuntamente pelo ACNUR e pelo Ministério das Relações Exteriores do Equador. No Brasil, a campanha conta com o apoio do artista e músico baiano Carlinhos Brown, que cedeu sua imagem gratuitamente.

A campanha terá um estande instalado no Museu Nacional para engajar o público da exposição “Guayasamín – Continente Mestiço” com o tema dos refugiados. O público receberá postais temáticos e, durante todo o período da exposição, será exibido um vídeo reunindo as obras do pintor equatoriano e o slogan da campanha.

Os visitantes da exposição poderão participar da campanha tirando uma foto com a mão espalmada, onde será aplicada o slogan “Gracias Ecuador”. As fotos serão disponibilizadas no site oficial da campanha (www.graciasecuador.org).

“Ao tirar uma foto para a campanha, os visitantes da exposição de Guayasamín se solidarizam com a causa dos refugiados e dão uma mão para que essa situação seja conhecida em todo o mundo”, explica o representante do ACNUR no Brasil. “Nossa mensagem se relaciona com a história e a obra do grande artista Oswaldo Guayasamín, que retratou as múltiplas facetas da tragédia humana, sempre com um forte espírito de solidariedade”, completa Ramirez.

O site da campanha disponibiliza ainda diversos documentários sobre a integração dos refugiados colombianos e propõe a participação do público por meio de outras atividades, como compartilhar com amigos depoimentos de celebridades engajadas e mensagens prevendo o futuro dos refugiados no mundo.

Sobre a exposição

Realizada pela Embaixada do Equador no Brasil e pela Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal, a exposição “Guayasamín – Continente Mestiço” traz 379 obras de Oswaldo Guayasamín (1919-2009), grande artista equatoriano que combateu as ditaduras latinoamericanas por meio de sua arte. Para ele, pintar era “uma forma de oração e ao mesmo tempo um grito”.

A obra de Guayasamín exalta sua origem étnica quechua, com influência da arte latino-americana pré-colonial e do barroco espanhol. Além de ser um expressivo inventário dos períodos mais violentos das recentes ditaduras, o trabalho do pintor denuncia os massacres contra as civilizações pré-hispânicas na América Latina.

Guayasamín recebeu diversos prêmios internacionais, entre eles o Grande Prêmio da Bienal da Espanha, sua obra foi exposta em todas as capitais da América e em muitas cidades da Europa, como Barcelona, Madri, Moscou e Praga. Guayasamín tem trabalhos expostos na sede da UNESCO em Paris e do UNICEF no Panamá.

Guayasamín tem uma ligação história com Brasília, pois participou da festa de inauguração da nova capital do Brasil. Ele produziu um retrato do então presidente Juscelino Kubitschek, que também fará parte da exposição. A mostra terá uma réplica da “Capela do Homem”, monumento construído em Quito onde está a maior parte da obra de Guayasamín.

Em ocasião do último Dia Mundial do Refugiado – 20 de junho – o Alto Comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres, agradeceu em vídeo (abaixo) ao povo do Equador por sua generosidade em acolher os refugiados, a maioria colombianos, que residem no país.

Lançamento Campanha “Gracias Ecuador” na exposição “Guayasamín – Continente Mestiço”

Abertura: 10 de agosto de 2012, às 19h
Visitação: de 11 de agosto a 14 de outubro
Local: Museu Nacional do Conjunto Cultural da República
Endereço: Setor Cultural Sul, Lote 2

Mais informações

ACNUR Brasil
Assessoria de Comunicação
Fone: (61) 3044.5744
Fax: (61) 3044.5705
e-mail: informacao@unhcr.org
Visite http://www.acnur.org.br