ACNUR implementa código de barras e reduz em 60% tempo de distribuição de alimentos no Sudão do Sul

Agência da ONU para Refugiados afirma que sistema diminui risco de fraude e possibilita acesso a informações de registro, incluindo fotos de todos os membros das famílias cadastradas.

ONU distribui comida mensalmente a refugiados no Sudão do Sul. Foto: ACNUR/S. Cansizoglu

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) informou na sexta-feira (2) que está usando a tecnologia de código de barras, vista em supermercados e lojas, para acelerar a distribuição mensal de comida e itens emergenciais nos campos de refugiados do Sudão do Sul.

Durante a distribuição, representantes de cada família refugiada mostram seus cartões aos funcionários do ACNUR, que fazem a leitura dos dados, obtendo informações de registro e as fotografias de todos os indivíduos associados a um cartão. Anteriormente, a distribuição era feita por meio de uma lista com o cadastro das famílias vivendo no campo, um lento processo que, inevitavelmente, cometia erros.

No campo de Yida, norte do país, onde residem mais de 70 mil refugiados, a utilização do sistema de código de barras tem permitido ao ACNUR reduzir o tempo de distribuição de comida de dez para quatro dias. A ferramenta também foi implementada no campo de Ajuong Thok, que abriga 3 mil refugiados e fica a 90 quilômetros de Yida.

Segundo o ACNUR, a tecnologia diminui ainda o risco de fraude. Possibilita o acesso a informações de registro e fotografias de todos os membros das famílias refugiadas ligadas a cada cartão. A agência da ONU assegura que as porções de comida sejam entregues às pessoas corretas, tornando muito mais difícil que pessoas não registradas utilizem os cartões.

A tecnologia também organiza rapidamente dados valiosos sobre o total de pessoas recebendo comida, idade, informações de gênero e biométricas. Se um cartão é lido como inválido, seu titular tem a oportunidade de argumentar seu caso e resolver arbitrariedades no centro de distribuição.