ACNUR entrega suprimentos de emergência em áreas devastadas pelas inundações no Paquistão

Material enviado ao sul do país inclui 10 mil tendas, 20 mil lonas plásticas para uso em abrigos temporários e 10 mil kits de utensílios de cozinha.


Em resposta ao pedido do Paquistão de ajuda humanitária internacional devido às graves inundações, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) está enviando milhares de tendas e outros suprimentos essenciais para as comunidades afetadas nas províncias de Sindh e Baluchistão.

A maior parte do material de socorro, que inclui 10 mil tendas, 20 mil lonas plásticas para uso em abrigos temporários e 10 mil kits de utensílios de cozinha, está sendo enviada para comunidades no sul da província de Sindh.

As estimativas mais recentes do governo apontam um número de 5,3 milhões de pessoas afetadas pelas inundações em Sidh, das quais 1,7 milhão necessitam de assistência urgente. A inundação já provocous mais 200 mortes e destruiu ou danificou 1 milhão de casas. Cerca de 280 mil pessoas deslocadas pelas cheias estão vivendo atualmente em campos criados pelo governo.

As tendas e outros suprimentos que serão distribuídos nos próximos dias em Sindh ajudarão cerca de 140 mil pessoas. No Baluchistão, o ACNUR respondeu a um pedido da Autoridade Provincial de Gestão de Desastres, fornecendo 800 tendas e 900 lonas, bem como centenas de outros artigos de socorro.

“Muitos dos atingidos por estas enchentes ainda se recuperavam das inundações catastróficas do ano passado. O povo do Paquistão já mostrou sua coragem em situação de crise. O ACNUR e o restante da comunidade humanitária farão o possível para ajuda-los agora,” disse o representante do ACNUR no Paquistão, Mengesha Kebede.

Uma rápida avaliação feita com 6 mil mulheres, crianças, jovens e líderes comunitários revelou a existência de muitas áreas onde iniciativas de proteção são urgentemente necessárias. Crianças que foram separadas de suas famílias precisam ser encontradas e reunificadas. Pessoas vulneráveis, como portadores de deficiências, mulheres chefes de família e grupos minoritários, precisam ter total acesso à assistência, sem discriminação.

O ACNUR está liderando os esforços da comunidade humanitária no apoio ao governo em sua responsabilidade de garantir proteção aos mais vulneráveis durante a crise e o período de recuperação que está por vir.