ACNUR e Pacto Global lançam no Rio plataforma para contratação de refugiados

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Rede Brasil do Pacto Global lançam na sexta-feira (1) no Rio de Janeiro (RJ) a plataforma “Empresas com Refugiados”, que visa ampliar a inserção de refugiados no mercado de trabalho brasileiro.

A iniciativa será apresentada durante a 4ª edição do Fórum Empresarial de Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes.

A congolesa Lucia vive atualmente em São Paulo e, com ajuda do ACNUR e parceiros, está construindo um futuro melhor por meio de estudos e trabalho. Foto: ACNUR/Fellipe Abreu

A congolesa Lucia vive atualmente em São Paulo e, com ajuda do ACNUR e parceiros, está construindo um futuro melhor por meio de estudos e trabalho. Foto: ACNUR/Fellipe Abreu

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Rede Brasil do Pacto Global lançam na sexta-feira (1) no Rio de Janeiro (RJ) a plataforma “Empresas com Refugiados”, que visa ampliar a inserção de refugiados no mercado de trabalho brasileiro.

A iniciativa será apresentada durante a 4ª edição do Fórum Empresarial de Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes.

O evento, que já teve edições em São Paulo (SP), Manaus (AM), Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG), reúne empresários, pessoas em situação de refúgio, representantes de ONGs, do setor público e demais atores que lidam com o tema.

O objetivo é alinhar desenvolvimento econômico sustentável ao aumento do fluxo de refugiados e migrantes. A edição fluminense será realizada na WeWork de Botafogo, e as inscrições podem ser feitas pelo link: http://bit.ly/2PbI2vQ.

A programação contará com apresentações de representantes do ACNUR, Rede Brasil do Pacto Global, WeWork e da administração municipal e estadual do Rio de Janeiro. Também participam organizações que trabalham pela inserção de refugiados na sociedade brasileira. Ao final do evento, haverá uma discussão sobre boas práticas empresariais na inclusão de refugiados e migrantes, e um painel da Operação Acolhida.

“Quando comecei a procura por novos talentos, necessitava de um garçom bilíngue e um cozinheiro”, afirmou a dona de restaurante Debora Shornik, que compartilhou sua experiência na contratação de refugiados durante a edição do Fórum em Manaus. “Hoje, a garçonete venezuelana é a única que fala inglês no restaurante, além dos ótimos três cozinheiros.”

Para Luis, um dos cozinheiros contratados, sua adaptação cultural ao novo ambiente de trabalho aconteceu de forma rápida. “Debora acolheu muito bem nossas sugestões e incluiu um pouco da Venezuela no cardápio.”

Segundo dados do Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), o Brasil reconheceu, apenas em 2018, um total de 1.086 refugiados de diversas nacionalidades. No mesmo ano, foram apresentadas 752 solicitações de refúgio no Rio de Janeiro. O estado também faz parte da iniciativa de interiorização, e recebeu 585 venezuelanos entre janeiro e agosto de 2019.

Serviço

Fórum Empresarial de Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes
Local: WeWork – Av. Pasteur, 154 – Botafogo, Rio de Janeiro
Data e horário: 1º de novembro de 2019, 9h-12h30
Inscrições: http://bit.ly/2PbI2vQ

Sobre o Pacto Global

Lançado em 2000 pelo então secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o Pacto Global é um chamado para as empresas alinharem suas estratégias e operações a 10 princípios universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e desenvolverem ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade. É hoje a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 13 mil membros em quase 80 redes locais, que abrangem 160 países.

A Rede Brasil do Pacto Global foi criada em 2003, e hoje é a terceira maior do mundo, com mais de 800 membros. Os mais de 30 projetos conduzidos no país abrangem, principalmente, os temas: Água e Saneamento, Alimentos e Agricultura, Energia e Clima, Direitos Humanos e Trabalho, Anticorrupção e ODS (esta última para engajar as empresas em relação à Agenda 2030).

Sobre o ACNUR

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) foi criada em dezembro de 1950 por resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas com o objetivo de proteger e ajudar refugiados e populações apátridas em todo o mundo. Por seu trabalho humanitário, recebeu duas vezes o Prêmio Nobel da Paz (1954 e 1981).

Atualmente, a agência conta com quase 12 mil funcionários e está presente em cerca de 130 países com mais de 460 escritórios. Por meio de parcerias com centenas de organizações não governamentais, o ACNUR presta assistência e proteção a mais de 67 milhões de homens, mulheres e crianças.

No Brasil, o ACNUR tem seu escritório central em Brasília e unidades descentralizadas em São Paulo (SP), Manaus (AM), Belém (PA) e Boa Vista (RR). O ACNUR atua em cooperação com o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE) e em coordenação com os governos federal, estaduais e municipais, além de outras instâncias do Poder Público.