ACNUR e Pacto Global lançam em Belo Horizonte plataforma para integração laboral de refugiados

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Rede Brasil do Pacto Global lançam na próxima quarta-feira (11), em Belo Horizonte (MG), a plataforma Empresas com Refugiados. A iniciativa, que será apresentada durante a 3ª edição do Fórum Empresarial de Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes, visa auxiliar as empresas no processo de contratação e ampliar a inserção de refugiados no mercado de trabalho brasileiro.

Refugiados que vivem no Brasil podem se inscrever em vestibular específico para graduações da Universidade Federal de São Carlos. Foto: Cáritas Arquidiocesana de São Paulo

A plataforma Empresas com Refugiados visa auxiliar empresas no processo de contratação e ampliar a inserção de refugiados no mercado de trabalho brasileiro. Foto: Cáritas Arquidiocesana de São Paulo

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Rede Brasil do Pacto Global lançam na próxima quarta-feira (11), em Belo Horizonte (MG), a plataforma Empresas com Refugiados. A iniciativa, que será apresentada durante a 3ª edição do Fórum Empresarial de Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes, visa auxiliar as empresas no processo de contratação e ampliar a inserção de refugiados no mercado de trabalho brasileiro.

O evento, que já teve edições em Manaus (AM) e Curitiba (PR), reúne empresários, pessoas em situação de refúgio, representantes de ONGs, do setor público e demais atores que lidam com o tema. O objetivo é alinhar desenvolvimento econômico sustentável ao crescimento da população de refugiados e migrantes. A edição mineira será realizada na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link: http://bit.ly/forumsesiacnur

A programação conta com uma apresentação do ACNUR sobre suas atividades de empregabilidade e empreendedorismo para refugiados; seguida por uma exposição da Organização Internacional de Migração (OIM) sobre inserção laboral de migrantes e alternativas para geração de renda. O Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR) falará sobre a empregabilidade de venezuelanos. Ao final do evento, haverá um painel de boas práticas empresariais na inclusão de refugiados e migrantes.

Segundo dados divulgados pelo Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), o Brasil reconheceu em 2018 cerca de 1 mil refugiados de diversas nacionalidades. No total, o país abriga uma população de 11,2 mil pessoas reconhecidas como refugiadas. Os sírios representam o maior grupo (com 36% dos reconhecimentos), seguidos por congoleses (15%) e angolanos (9%). Ao final do ano passado, segundo o CONARE, havia um total de mais 80 mil solicitações de refúgio pendentes de análise pelo governo federal – a maioria composta por pessoas venezuelanas.

Desde o fim de 2018, Minas Gerais acolhe refugiados e migrantes venezuelanos por meio da estratégia de interiorização, que é um dos eixos da Operação Acolhida – liderada pelo governo federal e apoiada por agências da ONU, setor privado e organizações da sociedade civil. Até agora, cerca de 500 venezuelanos já foram interiorizados para Minas Gerais, em 17 cidades. No estado, a SJRM é parceira do ACNUR no acolhimento de pessoas venezuelanas. Em todo o Brasil, as autoridades estimam em cerca de 180 mil a população de venezuelanos no país, sendo aproximadamente 103 mil solicitantes de refúgio.

Serviço

Fórum Empresarial de Empregabilidade e Empreendedorismo para Refugiados e Migrantes
Local: FIEMG – Edifício Albano Franco – Auditório do Térreo – Belo Horizonte, MG
Data e horário: 11 de setembro de 2019, 08h30-12h45
Inscrições: http://bit.ly/forumsesiacnur

Sobre o Pacto Global

Lançado em 2000 pelo então secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o Pacto Global é um chamado para que as empresas alinhem suas estratégias e operações a 10 princípios universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e desenvolvam ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade. É hoje a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 13 mil membros em quase 80 redes locais, que abrangem 160 países.

A Rede Brasil do Pacto Global foi criada em 2003, e hoje é a terceira maior do mundo, com mais de 800 membros. Os mais de 30 projetos conduzidos no país abrangem, principalmente, os temas Água e Saneamento, Alimentos e Agricultura, Energia e Clima, Direitos Humanos e Trabalho, Anticorrupção e ODS (esta última para engajar as empresas em relação à Agenda 2030).

Sobre o ACNUR

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) foi criada em dezembro de 1950 por resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas com o objetivo de proteger e ajudar refugiados e populações apátridas em todo o mundo. Por seu trabalho humanitário, recebeu duas vezes o Prêmio Nobel da Paz (1954 e 1981). Atualmente, a agência conta com quase 12 mil funcionários e está presente em cerca de 130 países com mais de 460 escritórios. Por meio de parcerias com centenas de organizações não governamentais, o ACNUR presta assistência e proteção a mais de 67 milhões de homens, mulheres e crianças.

A Agência da ONU para Refugiados no Brasil tem seu escritório central em Brasília (DF) e unidades descentralizadas em São Paulo (SP), Manaus (AM), Belém (PA) e Boa Vista (RR). O ACNUR atua em cooperação com o CONARE e em coordenação com os governos federal, estaduais e municipais, além de outras instâncias do poder público.

Sobre a FIEMG

O Sistema FIEMG é signatário do Pacto Global da ONU e busca engajar as indústrias mineiras para que desenvolvam ações que contribuam para o alcance dos ODS. Por meio de capacitações, assessorias e conteúdos especiais, as empresas são preparadas para compreender a Agenda 2030 como uma grande oportunidade para desenvolver negócios perenes e sociedades mais saudáveis.