ACNUR e EMDOC lançam projeto para facilitar contratação de refugiados no Brasil

Banco de dados virtual disponibilizará currículos de refugiados e solicitantes de refúgio para empresas privadas interessadas em mão de obra estrangeira.

Um projeto inovador para facilitar a inserção de refugiados e solicitantes de refúgio no mercado de trabalho brasileiro será lançado hoje (6/10), em Brasília, com a presença do Ministro do Trabalho, Carlos Luppi, e do representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) no Brasil, Andrés Ramirez.

O Projeto de Apoio para Recolocação de Refugiados (PARR) foi desenvolvido pela empresa de consultoria jurídica de imigração EMDOC. Trata-se de um banco de dados virtual pelo qual os refugiados e solicitantes de refúgio oferecem seus currículos a empresas privadas interessadas em avaliar os candidatos e preencher vagas com mão de obra estrangeira.

O PARR será lançado na cerimônia de abertura do seminário “Mão de Obra Estrangeira no Brasil e Brasileira no Exterior”, promovido pela Câmara Brasil-Alemanha, às 14h, no Hotel Kubitschek Plaza.

A geração de renda é um dos principais desafios para a integração de refugiados no Brasil, e o PARR facilitará a busca pelo emprego e a acomodação desta mão de obra no mercado de trabalho. O país possui cerca de 4,5 mil refugiados (de 77 nacionalidades diferentes), e sua legislação garante a emissão de Carteira de Trabalho, CPF e documento de identidade para esta população – e mesmo para solicitantes de refúgio.

Para saber mais, clique aqui.