ONU pede liberação imediata de ativista defensor de direitos humanos detido no Barein

Nabeel Rajab foi preso quando retornava de uma viagem internacional em que participou de discussões acerca da situação humanitária no país com diversos interlocutores.

 Manifestantes em Manama, Barein. Foto: Al Jazeera via ONU

Manifestantes em Manama, Barein. Foto: Al Jazeera via ONU

O Escritório de Direitos Humanos das Nações Unidas expressou alarme nesta sexta-feira (3) por conta da detenção de um proeminente defensor dos direitos humanos pelas autoridades do Barein, clamando para que o governo garanta proteção aos direitos de todos os ativistas dentro de suas fronteiras.

Nabeel Rajab foi preso na última quarta-feira (1), quando retornava de uma viagem internacional em que participou de discussões acerca da situação humanitária no Barein com diversos interlocutores, dentre os quais se incluíam as Nações Unidas.

Este foi o segundo incidente do gênero no último mês, após a detenção de Maryam al-Khawaja em um aeroporto do país, a princípio porque seu passaporte teria expirado. Em seguida, ela foi levada a uma penitenciária feminina sob acusação de ter agredido um policial.

Nabeel Rajab foi inicialmente acusado por insulto público ao governo nas redes sociais e ainda está detido à espera de investigação, enquanto Maryam al-Khawaja já foi liberada.

O porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), Rupert Colville, pediu a liberação imediata de Nabeel e de todos os indivíduos detidos pelo exercício pacífico de seus direitos.

Episódios como estes transmitem mensagens de medo aos ativistas de menor visibilidade, que temem pelas consequências que podem vir a enfrentar por conta de entraves com as autoridades, acrescentou Colville.