Acidentes em usinas servem como alerta para melhorar segurança nuclear, diz Secretário-Geral da ONU

Em reunião de alto nível, Ban Ki-moon destacou importância de fortalecer capacidades das organizações internacionais para melhorar padrões de segurança nuclear.

Participando da Reunião de Alto Nível sobre Segurança e Proteção Nuclear, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse hoje (22/09) que os acidentes nas usinas nucleares de Fukushima (Japão) e Chernobyl (Ucrânia) servem como um “chamado de alerta” para a população mundial e ressaltam a necessidade de aumentar os padrões internacionais de segurança.

Ban afirmou que os efeitos dos acidentes nucleares não respeitam fronteiras e disse que todos têm o compromisso de fazer melhorias. Ele lembrou que a ONU lançou um estudo amplo sobre as implicações do acidente de Fukushima, ocorrido em março, que analisa diversas áreas e apresenta visões sobre como melhorar a preparação para os riscos de desastres.

O Secretário-Geral afirmou ainda que fortalecer a segurança nuclear implica fortalecer a capacidade das organizações internacionais relevantes – especialmente a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), devido a seu papel central na proteção e na segurança.

Para o Diretor da AIEA, Yukiya Amano, a confiança pública na energia nuclear foi “profundamente abalada” com o acidente de Fukushima. Ele ressaltou que esta confiança só poderá ser recuperada se os governos, reguladores e operadores das usinas – além da própria AIEA – trabalharem juntos para fortalecer a segurança nuclear e demonstrarem transparência.

Já o Presidente da Assembleia Geral, Nassir Abdulaziz Al-Nasser, afirmou que Fukushima foi um “forte lembrete” de que é preciso manter os mais altos padrões de proteção e segurança nuclear, bem como uma preparação para desastres e cooperação internacional. Ele notou ainda que o uso eficaz e seguro da energia nuclear pode ajudar os Estados a avançar no bem estar de suas populações e alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).