Ação digital no dia da ONU chega a 10 milhões de pessoas

O Sistema das Nações Unidas no Brasil marcou o Dia da ONU – 24 de outubro – com uma inédita ação conjunta.

Ao longo do dia, os perfis de 20 agências, fundos e programas das Nações Unidas publicaram e compartilharam mais de 20 vídeos e 60 cards com mensagens curtas explicando o trabalho feito no Brasil.

Modelo de post da ação digital

Modelo de post da ação digital

O Sistema das Nações Unidas no Brasil marcou o Dia da ONU – 24 de outubro – com uma inédita ação conjunta. Ao longo do dia, os perfis de 20 agências, fundos e programas da Organização das Nações Unidas publicaram e compartilharam mais de 20 vídeos e 60 cards com mensagens curtas explicando o trabalho feito no Brasil.

Os vídeos incluíram frases de personalidades como Juliana Paes, Glória Maria, Elisa Lucinda, Família Schurmann, Lelezinha (Dream Team do Passinho), Erico Brás, Camila Pitanga, Criolo, Paloma Bernardi, Dani Suzuki, Wanessa Camargo, Kenia Maria e Fe Cortez, entre outros.

Para compartilhar as mensagens, os perfis oficiais do Sistema ONU no Brasil replicaram as mensagens das personalidades ao longo de todo dia. De acordo com a ferramenta Keyhole, apenas no Twitter e Instagram foram mais de 600 posts publicados ou compartilhados com a hashtag #DiaDaONU, que tiveram um alcance superior a 10 milhões de usuários das duas plataformas.

A ação aconteceu também no Facebook, onde a ONU Brasil também compartilhou a mensagem do secretário-geral António Guterres para a data.

Em setembro, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) já havia lançado uma campanha digital para marcar o Dia Internacional da Paz (21 de setembro). Ao longo de 21 dias, o perfil ONU Brasil publicou um trecho de história de uma família fictícia fugindo da guerra, gerando mais de 150 mil visualizações.

“Isso demostra que a través das tecnologias modernas, podemos alcançar uma quantidade de pessoas que nunca poderíamos alcançar presencialmente ou pelos meios tradicionais”, disse o diretor do UNIC Rio, Maurizio Giuliano.

“Pessoas em qualquer parte do pais e possivelmente em outros países lusófonos, pessoas de qualquer raça e etnia, de qualquer idade, de qualquer meio social. Isso também nos lembra da importância, no mundo, de apoiar a sociedade e as instituições para que todos possam ter acesso a estas novas tecnologias que estão assim transformando o nosso planeta”, afirmou.