Ação coletiva é única maneira de enfrentar desafios globais, diz Guterres

Os desafios globais de nosso tempo demandam soluções globais, e devemos demonstrar continuamente os méritos da cooperação multilateral, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta segunda-feira (23), ao lançar o relatório anual de 2019 das Nações Unidas.

O relatório de 120 páginas documenta o progresso da Organização no ano passado no que se refere a desenvolvimento sustentável, paz e segurança; desenvolvimento da África, direitos humanos, assistência humanitária, direito internacional, desarmamento e prevenção ao crime, juntamente à luta contra o terrorismo.

O secretário-geral da ONU visita o assentamento de Mandruzi, em Moçambique. Foto: ONU/Eskinder Debebe

O secretário-geral da ONU visita o assentamento de Mandruzi, em Moçambique. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Os desafios globais de nosso tempo demandam soluções globais, e devemos demonstrar continuamente os méritos da cooperação multilateral, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres, nesta segunda-feira (23), ao lançar o relatório anual de 2019 das Nações Unidas.

O relatório de 120 páginas documenta o progresso da Organização no ano passado no que se refere a desenvolvimento sustentável, paz e segurança; desenvolvimento da África, direitos humanos, assistência humanitária, direito internacional, desarmamento e prevenção ao crime, juntamente à luta contra o terrorismo.

“Os desafios globais exigem soluções globais”, afirmou o secretário-geral da ONU na introdução do relatório. “Não basta proclamar a virtude do multilateralismo; precisamos provar seu valor agregado”, enfatizou, destacando que os graves desafios do mundo exigem atenção que nenhum Estado-membro ou organização pode resolver sozinho, especialmente no que se refere aos riscos decorrentes das mudanças climáticas.

O Relatório de 2019 sobre o Trabalho da Organização tem como objetivo estabelecer um novo padrão de transparência e responsabilidade na ONU, oferecendo aos leitores uma nova perspectiva sobre o estado do mundo e como a ONU está alcançando seus objetivos, através de resultados concretos.

O secretário-geral afirmou que o ano passado ilustra o que o Sistema ONU “pode ​​realizar quando trabalhamos juntos e o que precisamos fazer para gerar mais progresso”.

Com a ajuda da ONU, foram mobilizados no ano passado 15 bilhões de dólares para assistência humanitária a 133 milhões de pessoas necessitadas, e mais de 40 missões e escritórios políticos e de manutenção da paz trabalharam para promover a paz e evitar conflitos.

Além disso, a Organização reformulou todo seu sistema de desenvolvimento para que 33 bilhões de dólares em ajuda, a 165 países, pudessem ser mais bem entregues. No ano passado, o chefe da ONU lançou uma nova agenda para o desarmamento, e pelo menos 600 milhões de pessoas foram alcançadas através de uma campanha comemorativa do 70º aniversário da histórica Declaração Universal dos Direitos Humanos.

No entanto, o aumento da desigualdade, eventos climáticos extremos, perda de biodiversidade, aumento da violência contra mulheres e meninas e pobreza generalizada continuam a tornar a assistência humanitária essencial, disse o secretário-geral.

Quando a Organização se aproxima do seu 75º aniversário no próximo ano, Guterres disse que “através dessas diversas circunstâncias” ele viu “um fio comum: uma profunda convicção de pessoas de todo o mundo, de que as Nações Unidas devem cumprir seus ideais”.

Guterres declarou que o ano passado apenas reforçou sua convicção de que “não há outra maneira de enfrentar os desafios globais, além de agir coletivamente”.

“O compromisso com essa visão é necessário agora mais do que nunca”, ele insistiu. Mais de 100 colegas da ONU contribuíram para o relatório, disponível em todos os seis idiomas oficiais.