O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte. Foto: Presidential Communications Operations Office/Wikimedia Commons

Especialistas da ONU pedem investigação independente sobre violações das Filipinas

Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas pediram na sexta-feira (7) para o Conselho de Direitos Humanos da ONU realizar uma investigação independente sobre violações nas Filipinas, citando uma deterioração acentuada na situação de direitos humanos no país, incluindo ataques contínuos contra pessoas e instituições.

Segundo os especialistas, poucas investigações independentes e eficazes aconteceram, a mídia e jornalistas independentes são ameaçados e a lei foi transformada em arma para minar a liberdade de imprensa. “Registramos um número desconcertante de mortes ilegais e assassinatos cometidos por policiais no contexto da chamada ‘guerra às drogas’, assim como de assassinatos de defensores dos direitos humanos”, disseram.

O ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy trabalha na Amazônia há mais de 50 anos. Foto: Slobodan Randjelovic

Precisamos implementar modelos de desenvolvimento que preservem a Amazônia, diz especialista

A atual taxa de declínio da natureza, sem precedentes na história da humanidade, foi confirmada pelo novo relatório da Plataforma Intergovernamental de Ciência e Política sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES), o documento mais abrangente sobre o assunto, divulgado recentemente.

Em entrevista ao Banco Mundial, o ambientalista e biólogo norte-americano Thomas Lovejoy fala sobre seu trabalho de mais de 50 anos na conservação da Amazônia, região que abriga 40% da floresta tropical remanescente do mundo, 25% da biodiversidade terrestre e mais espécies de peixes do que qualquer outro sistema fluvial do planeta.

“Um dos maiores problemas é o desmatamento motivado por atividades agropecuárias. O desenvolvimento da infraestrutura também é uma grande ameaça, especialmente se alguns projetos continuarem do jeito que estão. Precisamos pensar em alternativas e trabalhar com os governos estaduais para criar modelos de desenvolvimento sustentável que preservem a floresta”, disse. Leia a entrevista completa.

Indígenas venezuelanos em abrigo em Boa Vista, Roraima. Foto: ACNUR/Reynesson Damasceno

Número de refugiados e migrantes da Venezuela ultrapassa 4 milhões, segundo ACNUR e OIM

O número de venezuelanos deixando seu país alcançou 4 milhões, anunciou nesta sexta-feira (7) a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM). Globalmente, os venezuelanos são um dos maiores grupos populacionais deslocados de seu país.

O ritmo do fluxo de saída da Venezuela tem sido impressionante. De cerca de 695 mil no final de 2015, o número de refugiados e migrantes venezuelanos disparou para mais de 4 milhões até meados de 2019, segundo dados de autoridades nacionais de imigração e outras fontes. Em apenas sete meses desde novembro de 2018, o número de refugiados e migrantes aumentou 1 milhão.

Os países latino-americanos estão recebendo a vasta maioria dos venezuelanos, com a Colômbia respondendo por cerca de 1,3 milhão, seguida por Peru, com 768 mil, Chile (288 mil), Brasil (168 mil) e Argentina (130 mil). O México e os países da América Central e do Caribe também recebem um número significativo de refugiados e migrantes da Venezuela.

Cooperação técnica reforça parceria já iniciada entre as duas instituições por meio da adaptação local das Diretrizes sobre Feminicídio, desde 2016, e ações formativas, como cursos de comunicação nos anos de 2018 e 2019. Foto: TJ-MS

TJ-MS adere ao movimento ElesPorElas pela igualdade de gênero

O Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ-MS) aderiu na quarta-feira (5), em Campo Grande, ao movimento ElesPorElas HeForShe, da ONU Mulheres Brasil. Termo de adesão e plano de trabalho foram firmados pelo desembargador Paschoal Carmello Leandro, presidente do TJ-MS, e pela representante interina da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino.

A partir da adesão, o TJ-MS e a ONU Mulheres Brasil passam a colaborar, no período 2019-2020, para as seguintes iniciativas fundamentadas no ordenamento jurídico brasileiro e em normativas internacionais sobre direitos humanos das mulheres: ações de articulação e advocacy para acesso das mulheres à justiça, ações formativas, ações de mobilização social e monitoramento e avaliação.

Casa de Dilma Ferreira Silva, com presença da polícia e de membros do MAB. Foto: Amazônia Real/Pedrosa Neto

ONU e CIDH manifestam preocupação com mortes de defensores de direitos humanos nas Américas

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) alertaram no fim de maio (30) que a região americana continua sendo uma das mais perigosas para exercer o trabalho de defesa de direitos humanos no mundo.

No Brasil, foram denunciados em março de 2019 os homicídios de Dilma Ferreira Silva, coordenadora em Tucuruí do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), de seu marido, Claudionor Costa da Silva, e de um amigo, Milton Lopes, no município de Baião, no estado do Pará. Dilma era uma destacada defensora e reconhecida liderança da luta pelos direitos das pessoas atingidas pela empresa hidrelétrica de Tucuruí. Adicionalmente, foi denunciada a morte da ativista ambiental Rosane Santiago, torturada e assassinada na cidade de Nova Viçosa, na Bahia, em 29 de janeiro.

Em 18 de janeiro, a CIDH também fez referência a fatos violentos cometidos contra trabalhadores rurais na Fazenda Agropecuária Bauru, no município de Colniza, no Mato Grosso. Além disso, em 8 de março, concedeu medidas cautelares em benefício de Julio Lancellotti, defensor de direitos humanos de pessoas em situação de rua e responsável pela “Pastoral da População de Rua”, em São Paulo, em virtude de ter sido vítima de diversos atos de violência e ameaças, inclusive por autoridades da força pública. Adicionalmente, em janeiro de 2019, o deputado federal Jean Wyllys anunciou o abandono de seu cargo e a saída do país, devido ao nível de ameaças de morte contra ele e sua família.

Deputada foi a primeira mulher indígena eleita para o Congresso Nacional. Foto: Agência Câmara/Luis Macedo

Deputada indígena brasileira participa de encontro de parlamentares no Peru

A primeira deputada indígena eleita no Brasil, Joênia Wapichana, viaja na quinta-feira (30) para o Peru, onde participa do 1º Encontro Internacional de Parlamentares Indígenas da América, que será realizado pelo Congresso Nacional peruano.

Durante dois dias, o evento terá debates sobre o papel do legislativo na promoção dos direitos dos povos indígenas, principalmente dos direitos das mulheres, de forma a construir uma agenda comum com incidência internacional. O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) apoia a iniciativa.

Os agricultores familiares produzem 80% dos alimentos do mundo e são importantes impulsionadores do desenvolvimento sustentável. Foto: MDA

Agricultores familiares são essenciais para subsistência global, diz oficial da ONU

Em um mundo onde um terço da comida produzida é perdido ou desperdiçado e um terço da terra é usado para a produção pecuária, os agricultores familiares são atores socioeconômicos vitais para apoiar melhores meios de subsistência, criação de empregos, coesão comunitária e desenvolvimento rural.

A declaração foi feita esta semana pela presidente da Assembleia Geral da ONU, Maria Fernanda Espinosa, durante evento em Roma com mais de 300 participantes, reunidos em um diálogo internacional organizado por Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) para discutir desafios e oportunidades para a agricultura familiar.

Delegados se reúnem para o início da primeira Assembleia do ONU-HABITAT. Foto: ONU-HABITAT

Primeira Assembleia do ONU-HABITAT começa em Nairóbi e elege presidente

O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, abriu formalmente a primeira Assembleia do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT) na segunda-feira (28) no escritório da agência da ONU em Nairóbi, no Quênia.

Na ocasião, Kenyatta enfatizou a necessidade de ação coletiva internacional para enfrentar os desafios de uma rápida urbanização, lembrando que muitas sociedades não estão preparadas para planejá-la adequadamente.

Ele disse que, diante desses desafios, o tema da Assembleia é “Inovação para uma melhor qualidade de vida nas cidades e comunidades”, o que segundo ele era apropriado e oportuno.

Euligio Baez, um líder Warao da Venezuela, com sua família em Boa Vista, no Brasil. Foto: ACNUR

Venezuelanos fogem devido a ameaças de morte e doenças; leia relatos

Atualmente, existem cerca de 3,7 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos em todo o mundo, a maioria na América Latina e no Caribe.

Devido à piora na situação política, econômica, de direitos humanos e humanitária na Venezuela, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) considera agora que a maioria dos que fogem do país precisam de proteção internacional como refugiados. Leia relatos de venezuelanos ouvidos pela agência das Nações Unidas.

Participante do Fórum Permanente sobre Assuntos Indígenas, na sede da ONU, em Nova Iorque. Foto: ONU/Loey Felipe

UNESCO: diversidade cultural contribui para mundo mais pacífico e próspero

Em mensagem para o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, 21 de maio, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, disse que um mundo diversificado não é apenas mais pacífico, mas também mais próspero e mais equitativo.

“Por meio da pluralidade de suas vozes, acredita-se que a diversidade cultural é um dos recursos renováveis originais da humanidade, ao oferecer uma fonte constante de inovação e criatividade”, declarou.

No Senegal, UNESCO apoia programas de alfabetização que usam tecnologia para promover o aprendizado. Foto: UNESCO/Always

UNESCO recebe inscrições para prêmio global de alfabetização e multilinguismo

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) recebe inscrições e indicações para os Prêmios Internacionais de Alfabetização que, neste ano, reconhecerão programas e indivíduos que promovam de maneira excepcional a alfabetização no mundo todo sob o tema “Alfabetização e Multilinguismo”.

Desde 1967, os Prêmios Internacionais da UNESCO reconhecem iniciativas de excelência e inovação no campo da alfabetização. Mais de 490 projetos e programas realizados por governos, organizações não governamentais e indivíduos do mundo todo já foram premiados por seus trabalhos.

O prazo para encaminhar as candidaturas para as entidades de indicação vai até 16 de junho, à meia noite do horário de Paris (19h do dia 15 de junho, no horário de Brasília).

Vista de La Paz, Bolívia. Foto: Carakan/Flickr/CC

Bolívia precisa garantir que modelo de inclusão social seja economicamente sustentável, diz especialista

A Bolívia precisa garantir que seu modelo de inclusão social seja economicamente sustentável e defenda os direitos humanos, disse na quarta-feira (15) o especialista independente das Nações Unidas sobre dívida externa e direitos humanos, Juan Pablo Bohoslavsky.

“Mesmo que o governo tenha começado a fazer esforços em direção à diversificação econômica, isto foi adiado por muito tempo e prolongou a vulnerabilidade das receitas fiscais a fatores externos, como preços internacionais do petróleo”, disse o especialista em comunicado após visita de dez dias ao país. “O imposto base precisa ser ampliado para aumentar seu efeito redistributivo. A grande economia informal implica não só em receita perdida para o Estado, mas também uma falta de proteção social para todos aqueles que trabalham informalmente”.

Chefe da ONU destaca quatro ações climáticas que devem ser tomadas pelos países

Em conversa nesta segunda-feira (13) com jovens das Ilhas do Pacífico na Nova Zelândia, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que a “natureza não negocia” e enfatizou quatro medidas essenciais que governos devem priorizar para alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

Reconhecendo o papel dos jovens para avançar ações climáticas no mundo todo, Guterres relembrou os presentes de que o “objetivo central é não ter mais de 1,5°C de aumento de temperatura no final do século”.

Mural, no qual se lê "Reconciliação com as vítimas", simboliza a manifestação cultural da reintegração de ex-membros das FARC em Caquetá, na Colômbia. Foto: Missão da ONU na Colômbia/Bibiana Moreno

ONU alerta para aumento dos ataques contra defensores dos direitos humanos na Colômbia

Alarmados com o “número surpreendentemente alto” de defensores dos direitos humanos sendo mortos, assediados e ameaçados na Colômbia, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) pediu nesta sexta-feira (10) às autoridades que “façam um esforço significativo” para “enfrentar a impunidade endêmica” em torno desses casos.

O ACNUDH descreveu as dezenas de mortes desde o começo do ano no país como uma “tendência terrível” que parece estar piorando.

A jogadora brasileira Marta. Foto: ONU Mulheres/Ryan Brown

Secretário-geral da ONU nomeia jogadora Marta como defensora dos objetivos globais

O secretário-geral da ONU, António Guterres, anunciou na quinta-feira (9) a nomeação da jogadora de futebol Marta Vieira da Silva como uma das novas defensoras dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2019-2020.

A jogadora brasileira está entre as 17 personalidades públicas encarregadas pelo secretário-geral das Nações Unidas de promover os ODS, aumentar a conscientização com novos públicos, manter o compromisso global e pedir maior ambição e ação em escala para alcançar os objetivos globais até 2030.

Relatora especial das Nações Unidas sobre os direitos dos povos indígenas, Victoria Tauli-Corpuz. Foto: ONU/Jean-Marc Ferré

Filipinas devem pôr fim a ‘ataques inaceitáveis’ contra especialista indígena da ONU, dizem relatores

Relatores especiais das Nações Unidas afirmaram no início de maio (1) que acusações falsas sobre a especialista da ONU sobre direitos de povos indígenas, feitas por seu próprio governo – as Filipinas –, “não têm base em fatos ou na lei” e devem ser cessadas imediatamente.

Em comunicado conjunto, três relatores especiais afirmaram que as “novas acusações” contra a colega relatora Victoria Tauli-Corpuz foram feitas por autoridades do governo do presidente Rodrigo Duterte, “claramente em retaliação a seu trabalho inestimável defendendo os direitos humanos de povos indígenas em todo o mundo”.

Sapo folha esplêndido, no Equador. Foro: PNUD

Relatório da ONU mostra que 1 milhão de espécies de animais e plantas enfrentam risco de extinção

Um duro relatório acerca do impacto humano sobre a natureza mostra que quase 1 milhão de espécies de animais e plantas correm risco de extinção dentro de décadas. Os atuais esforços para conservar os recursos da Terra devem falhar caso não sejam tomadas ações radicais, disseram especialistas das Nações Unidas na segunda-feira (6).

Sobre os riscos à fauna e à flora, o estudo afirmou que atividades humanas “ameaçam mais espécies atualmente do que nunca”. A conclusão foi baseada no fato de que em torno de 25% das espécies de plantas e de animais estão vulneráveis. Em torno de 1 milhão de espécies “já enfrentam risco de extinção, muitas delas dentro de décadas, a não ser que ações sejam tomadas para reduzir a intensidade de impulsionadores de perdas à biodiversidade”.

Indígenas venezuelanos da etnia warao e eñepas em abrigo em Boa Vista, Roraima. Foto: OIM

OIM lança versão em inglês de relatório sobre migração indígena da Venezuela para o Brasil

O fluxo de venezuelanos para o Brasil ocorrido nesta década continua sendo um dos eventos migratórios mais importantes da América Latina e uma das histórias de mobilidade humana mais impactantes de todos os tempos na região. Cerca de 3,7 milhões de venezuelanos abandonaram seu país nos últimos quatro anos, incluindo centenas de indígenas.

Essa população — suas características e necessidades específicas — é foco de uma publicação da Organização Internacional para as Migrações (OIM), cuja versão em inglês foi publicada esta semana.

A mãe de Nelwin, Silviane Garcia, teve papel fundamental na melhora do menino e comemora a boa saúde do filho. Foto: UNICEF/Inaê Brandão

UNICEF garante assistência médica e nutricional para crianças venezuelanas em Roraima

Com um ano e nove meses, Nelwin Torres vive correndo e brincando com os primos e tios pelo abrigo Janokoida, para venezuelanos indígenas, em Pacaraima (RR). Mas nem sempre foi assim.

Quando ao chegou ao Brasil, em setembro último, o menino estava doente, desidratado, com perda de peso e indícios de desnutrição. Sem forças, parou de comer e de engatinhar. O relato é do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Foto: UNIC Rio/Paulo Portilho

Papel da inovação e do direito à propriedade intelectual nos esportes é tema de debate no Rio

O papel da inovação e do direito à propriedade intelectual (PI) no estímulo, proteção e suporte às práticas esportivas foi tema do ciclo de debates que a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) realizou em parceria com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O evento, que aconteceu no final de abril no Rio de Janeiro, marcou o Dia Mundial da Propriedade Intelectual (26 de abril). O encontro teve como objetivo dar visibilidade às estratégias de PI no benefício às práticas de esportes com fins lucrativos, promovendo o desenvolvimento.

Distribuição de contraceptivos e materiais de informação sobre HIV e Aids. Foto: UNFPA/UNFPA Brasil/Solange Souza

Agenda traça estratégia para ampliar acesso de populações-chave a tratamento para HIV

O Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde lançou a “Agenda estratégica para ampliação do acesso e cuidado integral das populações-chave em HIV, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis”.

A agenda reúne um conjunto de estratégias para ampliar e qualificar as ações de saúde destinadas às populações consideradas chave e centrais para o enfrentamento das epidemias de HIV, hepatites virais e sífilis no Brasil — pessoas que usam álcool e outras drogas, travestis e pessoas trans, gays e outros homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo e pessoas privadas de liberdade. Tais grupos ainda enfrentam grandes obstáculos para obter acesso a cuidado integral e aos programas e serviços de prevenção, diagnóstico e tratamento em HIV e outras ISTs.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) apoia a iniciativa.

Menina em Guaribas, no sul do Piauí, cidade escolhida para lançar o programa Fome Zero em 2003 no Brasil. Foto: Agência Brasil

FAO participa de debate na Câmara dos Deputados sobre extinção do CONSEA

O direito humano à alimentação adequada e os impactos da medida provisória que extinguiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) foram tema de audiências públicas promovidas em abril pelo Congresso Nacional.

No dia 25, no plenário da Câmara dos Deputados, o representante da FAO no Brasil, Rafael Zavala, considerou necessário um diálogo com diferentes setores para que sejam definidas as estratégias de promoção de uma alimentação saudável no país.

“Existe a necessidade urgente de analisar os eventuais impactos da extinção do CONSEA no combate à fome e, especialmente, frente aos desafios impostos pela obesidade. Globalmente, essa nova epidemia tem custado cerca de 2,5 trilhões de dólares aos cofres dos sistemas nacionais de saúde pública”, alertou.

Sessão de encerramento do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável 2019. Foto: Carlos Vera/CEPAL

Na ONU, países da América Latina e Caribe debatem promoção da Agenda 2030 na região

Mais de 1 mil representantes de governos, da sociedade civil e de organismos internacionais participaram do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, ocorrido no final de abril. Encontro foi realizado na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), em Santiago.

A secretária-executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, expressou sua satisfação com os debates realizados durante esses cinco dias. “Foi uma semana riquíssima, cheia de compromissos. Sabemos que temos desafios, como ampliar os espaços de participação. Hoje, mais do que nunca, estamos comprometidos em trabalhar nessa agenda civilizatória e indivisível que é a Agenda 2030”, considerou.

Livros são veículos da educação, ciência e cultura, lembra UNESCO em dia mundial. Foto: PEXELS (CC)/mentatdgt

Livros abrem caminho para a compreensão mútua entre as pessoas, diz UNESCO em dia mundial

Em mensagem para o Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais, lembrado em 23 de abril, a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, afirmou que os livros “são aliados na difusão da educação, das ciências, da cultura e da informação para todas as partes do mundo”. Para a dirigente, a palavra escrita consegue abrir caminho “para o respeito e a compreensão mútua entre as pessoas, independentemente das fronteiras e das diferenças”.

Projeto leva capacitação em artesanato local e empoderamento feminino para indígenas do Mato Grosso do Sul. Foto: Acervo pessoal/Janir Gonçalves Leite

Projeto voluntário fortalece artesanato e cultura local entre indígenas do Mato Grosso do Sul

Um projeto de confecção de joias sustentáveis com mulheres indígenas do Mato Grosso do Sul não para de crescer. Idealizada pela servidora pública Janir Gonçalves Leite, a iniciativa foi uma das vencedoras do Prêmio Viva Voluntário 2018, promovido pelo governo federal em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O reconhecimento injetou 50 mil reais nas atividades, que puderam ser ampliadas em 2019.

Vacinação contra HPV para alunos da rede pública de São Paulo (SP), em 2014. Foto: OPAS

ONU e países promovem campanha de vacinação para proteger 70 milhões de pessoas nas Américas

Com a meta de imunizar cerca de 70 milhões de pessoas contra doenças evitáveis, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) promove a Semana de Vacinação nas Américas. A agência da ONU promove o lançamento regional da campanha nesta segunda-feira (22), em Cuiabá (MT). Iniciativa terá como foco a prevenção do sarampo — em 22 países do continente americano, governos planejam vacinar 2,25 milhões de crianças e adultos contra a doença.

Painel na Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente discutiu o problema do lixo marinho. Foto: Flickr (CC)/Bo Elde

Painel em Nairóbi discute formas de combater o lixo marinho e a poluição por microplásticos

O painel de discussão sobre Lixo Marinho — Impactos, Desigualdade e Injustiça Ambiental, realizado durante a Quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, em Nairóbi, no Quênia, no início de março, abordou o papel da justiça ambiental nas comunidades afetadas pela poluição por resíduos marinhos e microplásticos.

“A menos que o Estado de Direito ambiental seja fortalecido, mesmo regras aparentemente rigorosas são destinadas a falhar, e o direito humano fundamental a um meio ambiente saudável não será realizado”, disse na ocasião David Boyd, relator especial da ONU para os direitos humanos e o meio ambiente. O relato é da ONU Meio Ambiente.

Na atividade, foram discutidos assuntos relacionados ao sistema internacional de direitos humanos. Foto: ACNUDH

ONU realiza oficina de direitos humanos para negras e indígenas em Montevidéu

O Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) realizou esta semana (9 e 10) uma oficina em Montevidéu, no Uruguai, destinada a representantes de organizações de mulheres afrodescendentes e indígenas dos países do Mercosul.

Dirigida a mais de 40 mulheres integrantes e representantes de organizações da sociedade civil, mulheres indígenas e afrodescendentes de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, a oficina teve como objetivo fornecer ferramentas para fortalecer ações de incidência e demandas em direitos humanos.

Lançamento da campanha nacional de vacinação do Brasil contra a gripe em Porto Alegre (RS). Foto: Ministério da Saúde/Erasmo Salomão

Brasil lança campanha de vacinação contra gripe com base em recomendações da ONU

O Ministério da Saúde do Brasil lançou nesta quarta-feira (10), em Porto Alegre (RS), uma campanha nacional de vacinação contra a influenza, também conhecida como gripe. Até 31 de maio, a pasta pretende vacinar 58,6 milhões de pessoas em 5.570 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas.

Os grupos prioritários da iniciativa foram escolhidos conforme as recomendações da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mata fechada na Amazônia peruana. Foto: Flickr (CC)/Joseph King

Oficina sobre redução do desmatamento recebe inscrições de jornalistas até 8 de abril

Oito jornalistas do mundo poderão viajar a Lima e para a Amazônia Peruana com o objetivo de vivenciar a floresta tropical, interagir com produtores de matérias-primas, participar de oficinas técnicas e dialogar sobre sustentabilidade com representantes da ONU e de comunidades tradicionais.

A iniciativa reflete o importante papel da imprensa internacional no destaque dos problemas relacionados ao desmatamento motivado pelas commodities agrícolas. As inscrições vão até 8 de abril.

Os jornalistas selecionados terão direito a passagens aéreas e hospedagem, por meio do suporte dos escritórios nacionais do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Torneira pública abastece mil famílias em El Alto, na Bolívia. Imagem: Frame de vídeo do Banco Mundial/Stephan Bachenheimer

Projeto busca melhorar saúde de mulheres e crianças indígenas de Argentina, Bolívia e Paraguai

Com apoio do Brasil e coordenação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a iniciativa “Rumo à saúde universal da população do Grande Chaco Sul-Americano” foi implementada em 2017 e prioriza 19 municípios de sete províncias de Argentina, Bolívia e Paraguai. Cerca de 400 mil pessoas vivem nesta área; aproximadamente 30% delas fazem parte de comunidades indígenas.

A meta do projeto é reduzir as mortes maternas, neonatais e infantis (crianças com menos de 5 anos). Um dos principais elementos da iniciativa é desenhar e fortalecer serviços de saúde culturalmente apropriados para as populações indígenas e rurais que habitam a região e derrubar as barreiras de acesso à atenção.

Refugiados e migrantes venezuelanos cruzam a ponte Simon Bolívar, um dos sete pontos de entrada legal ao longo da fronteira entre Venezuela e Colômbia. Foto: ACNUR/Siegfried Modola

Chefe de direitos humanos da ONU diz que Venezuela é fator desestabilizador na região

Expressando profunda preocupação com a “magnitude e a gravidade do impacto em direitos humanos” da atual crise na Venezuela, a chefe do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) afirmou na quarta-feira (20) que o país se tornou um “preocupante fator desestabilizador na região”.

Em tom similar, especialistas em direitos humanos das Nações Unidas disseram nesta quinta-feira (21) que as violações relatadas durante manifestações no país são “sistemáticas e difusas”.

Mulheres se manifestam em Brasília na Marcha das Mulheres Negras (2015) pelo fim do racismo e do machismo. Foto: Ministério da Cultura

UNESCO: discriminação racial continua a se manifestar nos esportes, na mídia, nas ruas

A discriminação racial ainda não foi banida dos livros de história. Essa forma perversa de exclusão e intolerância continua a se manifestar nos esportes, na mídia, nas ruas, nos locais de trabalho e até mesmo nos bastidores do poder.

A afirmação é da diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, em comunicado para a ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, lembrado nesta quinta-feira (21).

“Infelizmente, mais uma vez, nós estamos vendo a face horrenda da discriminação sendo apresentada no discurso público. É por isso que, este ano, o tema do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial é ‘Mitigar e combater o populismo nacional e a ideologia supremacista extremista'”, disse Audrey.