UNFPA participa de Semana Acadêmica em comemoração aos 25 anos da Conferência do Cairo

A Universidade Federal de Roraima (UFFR) sediará, entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro, a 5ª Semana Acadêmica de Relações Internacionais. O evento é fruto da parceria entre o Curso de Relações Internacionais da UFFR e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O encontro deste ano vai lembrar os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada no Cairo, Egito, em 1994.

O debate se concentrará nos temas: desenvolvimento sustentável com equidade para todas e todos por meio da promoção dos direitos humanos e da dignidade; igualdade de gênero e empoderamento; juventudes e direitos humanos na agenda global de desenvolvimento; e saúde sexual e reprodutiva.

Os assuntos serão analisados à luz do contexto migratório atual observado no norte do país, sobretudo no estado de Roraima.

A Missão das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH) trabalha com membros do Conselho Eleitoral Provisional do Haiti para transportar as urnas de votação de todo o país para a capital, Porto Princípe, para contagem – Foto: Logan Abassi/ UN Photo

Haiti: secretário-geral da ONU promete compromisso contínuo para a paz

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, prometeu compromisso contínuo para apoiar os haitianos no caminho para a paz e o desenvolvimento. Este compromisso seria uma nova parceria, afirmou, ao reconhecer a substancial contribuição dada ao país caribenho ao longo dos 15 anos da Missão de Estabilização das Nações Unidas, MINUSTAH, e a Missão das Nações Unidas para Apoio à Justiça no Haiti (MINUJUSTH).

Guterres afirmou que o novo Escritório Integrado das Nações Unidas no Haiti (BINUH), que iniciou suas atividades na última quarta-feira (16), trabalhará ao lado da equipe de país da ONU em atividades integradas “para apoiar os esforços nacionais para assegurar estabilidade duradoura e a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.”

Denise Chevanne-Vogel, especialista para o setor privado da ONU Mulheres Jamaica, participa do Fórum Weps em São Paulo. Foto: Gustavo Dantas/ONU Mulheres

Evento promovido por agências da ONU discute ações para ambiente de trabalho seguro para mulheres

Necessidade de implementar ações para promover um ambiente seguro de assédio sexual, atenção às vítimas e promoção da educação. Estas foram as principais propostas de empresas para melhorar as condições de trabalho das mulheres no último dia do Fórum Weps 2019.

O evento foi promovido pela ONU Mulheres, Organização Internacional do trabalho (OIT) e União Europeia nos dias 8 e 9 de outubro, em São Paulo, e faz parte do programa “Ganha-Ganha: Igualdade de Gênero Significa Bons Negócios”.

“Me ensinaram muito sobre os direitos das pessoas LGBTI+ no Brasil. Eu não tinha ideia porque no meu país isso não existe”, Riri, 22 anos. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Espaço Amigável do UNFPA oferece apoio a migrantes LGBTI+ em Roraima

Depois de ter mantido uma luta constante contra a LGBTIfobia e a discriminação na Venezuela, Riri, de 22 anos, migrou pela segunda vez para o Brasil. Riri relata ter vivido com medo e sofrido “abuso e agressão por ser diferente” em seu país de origem.

“Muitas vezes me perguntam se sou uma mulher transexual, e não sou. Sou uma pessoa que não se identifica com nenhum gênero, e é isso que inquieta as pessoas”, explicou.

Hoje, depois de passar por aquilo que chamou “um turbulento caminho”, fruto da crise econômica da Venezuela, Riri encontrou um lar em Roraima. Logo após ter cruzado a fronteira, conheceu o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que o forneceu apoio e orientação sobre os direitos das pessoas LGBTI+ vivendo no Brasil.

Câmara do Conselho de Direitos Humanos em Genebra. Foto: ONU/Elma Okic

Venezuela, Polônia e Sudão estão entre 14 novos membros do Conselho de Direitos Humanos

Quatorze novos membros foram eleitos para o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas nesta quinta-feira (17), após votação realizada na Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque. Entre os novos membros, estão Venezuela, Polônia e Sudão. O Brasil foi reeleito para um segundo mandato consecutivo.

O Conselho, que se reúne durante o ano no escritório da ONU em Genebra, é um organismo internacional, dentro do Sistema Nações Unidas, composto por 47 Estados, e é responsável por promover e proteger os direitos humanos no mundo. Tem o poder de lançar missões de investigação e estabelecer comissões de inquérito em situações específicas.

O projeto segue o calendário de festas e festivais de rua tradicionais, especialmente aqueles que atraem grande concentração de jovens. Foto: UNICEF

Projeto liderado pelo UNICEF capacita jovens para conversar sobre HIV

As novas infecções por HIV no Brasil aumentaram mais de 20% entre 2010 e 2018. Por isso, é essencial que os jovens brasileiros comecem a falar sobre o HIV e aprendam a se proteger. Esse é o objetivo de um projeto liderado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Mais de 30 jovens foram treinados para trabalhar como voluntários no projeto Viva Melhor Sabendo Jovem (VMSJ) em Salvador (BA). O objetivo é aumentar a conscientização sobre a importância do teste e prevenção do HIV.

O projeto tem o apoio do escritório do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil.

Reunião entre UNFPA, FIOCRUZ e instituições de saúde de países africanos. Foto: FIOCRUZ/Peter Ilicciev

FIOCRUZ e UNFPA reúnem-se para definir prioridades de parceria em direitos da mulher

Representantes da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e de ministérios e institutos de saúde de países africanos reuniram-se na semana passada na sede da fundação, no Rio de Janeiro (RJ), para definir prioridades de temas e estratégias para os próximos cinco anos da parceria.

Na primeira oficina, realizada em agosto, já havia sido definida como prioridade da parceria a redução das mortes maternas evitáveis a zero até 2030 nos países participantes.

Para isso, a estratégia pretende criar um Centro de Referência em Saúde Materna. O propósito é fazer análises e aumentar a capacidade dos países, através da troca de experiências proporcionada pela cooperação triangular entre FIOCRUZ, países de América Latina e Caribe e africanos e UNFPA.

Lucas Rocha, assistente de campo do UNFPA em Paracaima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

UNFPA completa dois anos de atuação na resposta humanitária em Roraima

Em setembro de 2019, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) completou dois anos atuando em Roraima, onde presta assistência a grupos com necessidades específicas de proteção.

Neste período, por meio de seu programa de Assistência Humanitária, a agência já atendeu mulheres, gestantes, lactantes, jovens, mães com crianças, população LGBTI, pessoas vivendo com HIV, indígenas, pessoas idosas, com deficiência, entre outros grupos que chegam diariamente ao Brasil, vindos da Venezuela.

O Fundo de População conta, hoje, com uma equipe de 26 pessoas que fazem parte do trabalho humanitário em Brasília, Roraima e, desde setembro de 2019, também em Manaus, capital do Amazonas.

Mercados, empresas, empreendimentos, associações, cooperativas e entidades produtivas são determinantes para a inclusão do enfoque de gênero no desenvolvimento sustentável. Foto: ONU Mulheres

ONU Mulheres e UNOPS assinam acordo para fortalecer atuação conjunta no Brasil

A ONU Mulheres e o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) assinaram um acordo para fortalecer a colaboração em suas atividades a favor da igualdade de gênero e do empoderamento das mulheres no Brasil.

Um dos focos de atuação das duas agências será a igualdade e paridade de gênero no setor de infraestrutura.

Segundo a representante do UNOPS no Brasil, Claudia Valenzuela, muitas vezes as necessidades de mulheres e meninas não são incorporadas nos projetos de desenvolvimento e infraestrutura, o que afeta seu pleno exercício de direitos, bem como sua capacidade de contribuir igualmente para a sociedade.

Em 11 de outubro de 2019. na Síria, mulher e criança sentam debaixo de caminhão enquanto população deslocada de Ras al-Ain chega a Tal Tamer, fugindo da violência. Foto: UNICEF/Delil Souleiman

Operação militar turca no nordeste da Síria pode libertar membros do Estado Islâmico

A incursão militar turca em andamento no nordeste da Síria pode, involuntariamente, levar à libertação de dezenas de pessoas associadas ao grupo terrorista Estado Islâmico, afirmou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Guterres pediu uma redução imediata dos combates, que deixaram muitas vítimas civis e deslocaram até 160 mil pessoas em menos de uma semana.

“Ele também observa com séria preocupação o fato de que as operações militares atuais possam levar à libertação não intencional de indivíduos associados ao Estado Islâmico, com todas as conseqüências que isso pode acarretar”, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira (14) por seu porta-voz.

Na 6ª Conferência de Reabastecimento, realizada em Lyon, na França, nos dias 9 e 10 de outubro, o Fundo Global captou US$ 14,02 bilhões, o valor mais alto de toda a parceria, que trabalha pelo fim das três doenças. Foto: UNAIDS

UNAIDS agradece doações ao Fundo Global de Combate à AIDS, Tuberculose e Malária

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) anunciou estar “fortemente motivado” pelo compromisso que os doadores demonstraram com o Fundo Global de Combate à AIDS, Tuberculose e Malária (Fundo Global). Na 6ª Conferência de Reabastecimento, realizada em Lyon, na França, nos dias 9 e 10 de outubro, a ferramenta captou 14,02 bilhões de dólares, valor mais alto de toda a parceria que trabalha pelo fim das três doenças.

“Eu realmente cumprimento todos os países e parceiros que se comprometeram a investir no Fundo Global de Combate à AIDS, Tuberculose e Malária”, disse Gunilla Carlsson, diretora-executiva interina do UNAIDS. “Esses investimentos são uma salvação essencial para milhões de pessoas em todo o mundo. No futuro, colocar as pessoas no centro será fundamental para fazer com que o dinheiro seja utilizado com mais eficiência.”

Secretário-geral da ONU, António Guterres, ressaltou que violência de gênero é pandemia global. Foto: ONU/Loey Felipe

ONU diz estar disposta a apoiar diálogo em meio às manifestações no Equador

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na quinta-feira (10) estar preocupado com os recentes acontecimentos no Equador e instou todas as partes a reduzir as tensões, evitar atos de violência e exercer a máxima moderação.

A ONU confirmou ter recebido solicitação por parte do governo equatoriano para facilitar o diálogo com os diferentes setores da sociedade civil, após os protestos iniciados na semana passada por conta da alta dos preços dos combustíveis anunciada pelo presidente Lenín Moreno.

A atriz mexicana Yalitza Aparicio recebeu o título de Embaixadora da Boa Vontade da Unesco para Povos Indígenas. Foto: Unesco | Christelle Alix.

Protagonista do filme Roma recebe título de Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO

Primeira indígena mexicana indicada ao prêmio Oscar, Yalitza Aparicio, quer apoiar indígenas e promover os direitos da mulher. Roma foi o primeiro trabalho da jovem atriz, considerada pela revista norte-americana Time uma das 100 pessoas mais influentes do mundo em 2019.

Yalitza Aparicio recebeu na sexta-feira (4) o título de Embaixadora da Boa Vontade da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) para Povos Indígenas.

Com o título, a atriz ajudará a garantir a integração dos povos indígenas em todo o mundo, a concretização de seus direitos, e a proteção e a celebração do patrimônio cultural.

O diretor do documentário "Carta para Além dos Muros", André Canto. Foto: UNAIDS

Documentário ‘Carta para Além dos Muros’ aborda o estigma sobre HIV no Brasil

Um apanhado de três décadas de história do HIV e da AIDS no Brasil estará nos cinemas de todas as capitais do país entre os meses de setembro e outubro. O documentário “Carta para Além dos Muros”, dirigido por André Canto, teve sua estreia nacional em 26 de setembro.

O filme mostra a cronologia da epidemia de HIV no país por meio de relatos de especialistas e ativistas de diversas gerações, e é conduzido por uma narrativa inspirada nas crônicas do escritor Caio Fernando de Abreu que dão nome ao filme.

A obra investiga e expõe o estigma e a discriminação como produtos de uma sociedade que insiste em manter marginalizadas as pessoas que vivem com HIV, mesmo 30 anos depois do início da epidemia. O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) é parceiro institucional da produção.

Criança caminha no campo de Al Hol, nordeste da Síria. O campo abriga mais de 70 mil pessoas, das quais mais de 90% são mulheres e crianças. Foto: OCHA/Hedinn Halldorsson

Civis ‘não podem ser um alvo’, diz ACNUR após escalada militar no norte da Síria

O aumento das operações militares no nordeste da Síria obrigou dezenas de milhares de civis a procurar abrigo, disse a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) nesta quinta-feira (10), um dia depois de a Turquia ter lançado ataques aéreos e uma ofensiva terrestre na fronteira entre os dois países.

A chefe do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) também manifestou preocupação com os últimos desenvolvimentos no país devastado pela guerra, decorrentes da decisão anunciada no domingo (6) pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de retirar as tropas norte-americanas da região.

Mercados, empresas, empreendimentos, associações, cooperativas e entidades produtivas são determinantes para a inclusão do enfoque de gênero no desenvolvimento sustentável. Foto: ONU Mulheres

Evento em SP discute papel das empresas na promoção da igualdade de gênero

ONU Mulheres, Organização Internacional do Trabalho (OIT), União Europeia (UE) e empresas de diferentes setores reúnem-se na terça (8) e quarta-feira (9) em São Paulo (SP) no Fórum WEPs 2019, cujo objetivo é promover debates sobre empoderamento econômico das mulheres e o papel das empresas na promoção da igualdade de gênero.

O encontro abordará temas como igualdade salarial; licença parental; acesso a crédito; eliminação de estereótipos de gênero na publicidade; entre outros.

Alto-comissário da ONU para refugiados enfatiza importância da luta contra apatridia

O alto-comissariado da ONU para refugiados, Filippo Grandi, alertou nesta segunda-feira (7) que os recentes avanços na luta pelo fim da apatridia — uma das principais causas de privação de direitos humanos para milhões de pessoas em todo o mundo — estão sendo ameaçados pelo aumento de formas prejudiciais de nacionalismo.

“Há cinco anos, a conscientização pública sobre apatridia e os danos que ela causa ainda eram insignificantes. Isso está mudando, e hoje a perspectiva de acabar com a apatridia nunca esteve tão próxima”, disse Grandi.

“E, no entanto, o progresso está longe de ser garantido: formas prejudiciais de nacionalismo e manipulação do sentimento anti-refugiados e migrantes – essas são tendências poderosas internacionalmente que correm o risco de reverter o progresso.”

O alto-comissário reforçou o apoio do ACNUR ao México na abordagem das causas dos movimentos de migração e refugiados da América Central. Foto: ACNUR

Em visita ao México, alto-comissário da ONU pede mais apoio à resposta aos refugiados

Durante visita de quatro dias ao México, o alto-comissário da ONU para refugiados, Fillipo Grandi, reuniu-se com refugiados e requerentes de refúgio no norte e sul do país.

Na ocasião, eles falaram sobre atos de violência, abuso e perseguição promovidos por quadrilhas criminosas que os forçaram a abandonar seus países de origem.

“O México enfrenta desafios e preocupações crescentes como resultado de mudanças nas políticas dos Estados Unidos, que levaram a um aumento significativo no número de indivíduos que decidem solicitar asilo no México, colocando uma pressão adicional a um sistema de asilo já sobrecarregado”, explicou Grandi.

Órgãos do Judiciário brasileiro participam de oficina em Genebra sobre Direito das migrações

Desde segunda-feira (30), 15 representantes de diferentes setores de Ministério Público, Defensoria Pública da União, Ministério da Justiça e Segurança Pública e Ministério das Relações Exteriores do Brasil participam do Curso de Direito Internacional das Migrações, realizado pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), em Genebra, Suíça.

“Apoiar atividades que possibilitem o aprimoramento do sistema de Justiça em relação às migrações é para a OIM um passo fundamental para avançarmos cada vez mais em direção a uma migração ordenada, segura e digna”, disse o chefe de missão da OIM no Brasil, Stéphane Rostiaux.

O UNFPA lidera a ação de prevenção e resposta à violência baseada em gênero e atua na promoção do acesso à saúde sexual e reprodutiva. Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues

UNFPA lembra 25 anos de Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento

Alunos e professores do curso de Relações Internacionais da Universidade Salvador (UNIFACS) tiveram a oportunidade de discutir os avanços e conhecer um pouco mais sobre a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), que neste ano celebra 25 anos.

A conversa contou com a participação da oficial de projetos do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Salvador (BA), Michele Dantas, que explicou que a conferência ocorrida no Cairo em 1994 representou uma mudança de paradigma na forma como os assuntos de população e desenvolvimento passaram a ser abordados no mundo.

O Brasil do século 21, onde existem 108 celulares para cada 100 habitantes, convive com um Brasil ainda no século 19, onde 45 a cada 100 habitantes não têm solução adequada de esgotos. Foto: EBC

Rede Brasil do Pacto Global premia boas práticas em água e saneamento

A Rede Brasil do Pacto Global recebe até 18 de outubro inscrições para prêmio no setor de água e saneamento (Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6). A iniciativa tem o objetivo de reconhecer melhores projetos desenvolvidos por membros da rede que privilegiem práticas de sustentabilidade.

É permitido inscrever projetos em andamento ou já finalizados nas categorias água, saneamento, higiene e direitos humanos; eficiência hídrica em cadeias diretas de operações e suprimentos; proteção e restauração de ecossistemas; ação coletiva.

Ashurov é o vencedor do Prêmio Nansen da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) em 2019. A iniciativa homenageia aqueles que se esforçaram para apoiar refugiados e pessoas deslocadas. Foto: ACNUR/Chris de Bode

Prêmio da ONU homenageia advogado que ajudou Quirguistão a acabar com apatridia

O advogado quirguiz Azizbek Ashurov explica que não garante cidadania para as pessoas que não a possuem, mas que simplesmente devolve o que sempre foi delas. Com fala mansa e sorriso caloroso, ele passou os últimos 15 anos defendendo os direitos de mais de 10 mil apátridas no Quirguistão.

Vencedor da edição deste ano do Prêmio Nansen da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Ashurov ajudou o país da Ásia Central a alcançar um feito histórico — é o primeiro a acabar com a apatridia dentro de suas fronteiras.

Selo da ONU em homenagem a Mahatma Gandhi feito em 2009 para o Dia Internacional da Não Violência. Foto: ONU/Ryan Brown

ONU lembra aniversário do nascimento de Gandhi em Dia Internacional da Não Violência

A comunidade internacional lembra nesta quarta-feira (2) o Dia Internacional da Não Violência, que este ano coincidiu com o 150º aniversário de nascimento do ícone da paz global que levou a Índia à independência, Mahatma Gandhi.

Em 2007, a Assembleia Geral estabeleceu a data, marcada anualmente em 2 de outubro, para “disseminar a mensagem de não violência, inclusive através da educação e da conscientização pública” e reafirmar o desejo “de garantir uma cultura de paz, tolerância, compreensão e não violência “.

As três principais categorias de ação não violenta são protestos e persuasão, incluindo marchas e vigílias; não cooperação; e intervenção não violenta, como bloqueios e ocupações, de acordo com as Nações Unidas.

De acordo com a PNAD de 2016, 14,4% da população brasileira têm 60 anos ou mais de idade, correspondendo a 29,6 milhões de pessoas. Foto: PNUD

Número de pessoas idosas com necessidade de cuidados prolongados triplicará nas Américas até 2050

O número de pessoas com 60 anos ou mais que necessitam de cuidados prolongados mais que triplicará nas Américas nas próximas três décadas, passando dos 8 milhões atuais para 27 a 30 milhões até 2050. No Dia Internacional das Pessoas Idosas, celebrado na terça-feira (1), especialistas em envelhecimento da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) pedem aos países que fortaleçam seus sistemas de saúde para poder responder a essa mudança.

Campanha Fé pelas Florestas visa unir pessoas de todas as religiões para acabar com o desmatamento tropical. Foto: IRI/CreativeCommons.

Campanha da ONU Meio Ambiente visa unir religiões em prol da conservação

A campanha Fé pelas Florestas foi lançada durante a Cúpula de Ação Climática 2019, iniciando um movimento global de mobilização, educação e ativismo de organizações religiosas em prol da justiça climática.

O anúncio foi feito pela diretora executiva da ONU Meio Ambiente, Inger Andersen, e por Sonia Guajajara, coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, em 22 de setembro, na sede da ONU em Nova Iorque.

Fé pelas Florestas visa unir pessoas de todas as religiões para acabar com o desmatamento tropical.

Australiana é nova alta-comissária assistente do ACNUR para proteção internacional

A australiana Gillian Triggs assumiu na segunda-feira (30), em Genebra, o cargo de alta-comissária assistente de proteção da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Triggs, que até recentemente era professora emérita e vice-reitora da Universidade de Melbourne e presidente da Comissão Australiana de Direitos Humanos, sucede Volker Türk no cargo — que deixou o ACNUR em julho para assumir o posto de secretário-geral adjunto de coordenação estratégica na sede da ONU, em Nova Iorque.

Idoso conversa com crianças seguindo a tradição oral da língua caribenha mapoyo. Foto: Centro da Diversidade Cultural

Número de pessoas com mais de 60 anos deve subir 46% até 2030

Na próxima década, projeta-se que o número de pessoas com 60 anos ou mais no mundo cresça 46%, tornando o aumento daqueles oficialmente classificados como idosos uma das “transformações mais significativas deste século”, disse a ONU nesta terça-feira (1), Dia Internacional dos Idosos.

Os países em desenvolvimento estão registrando os maiores aumentos. No sudeste da Ásia, os idosos representam quase 10% da população desde 2017, em comparação com 8% em 2010. Esse número continuará a subir, com as pessoas idosas representando 13,7% da população até 2030, de acordo com dados regionais da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Rede Brasileira de População e Desenvolvimento percorre o Brasil em consultas sobre avanços e desafios do tema desde a Conferência Internacional de 1994. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

UNFPA apoia consulta em Roraima sobre o cenário da imigração no Brasil

Como parte de um amplo processo de consulta em várias partes do país sobre os avanços desde a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), realizada no Cairo em 1994, a Rede Brasileira de População e Desenvolvimento visitou Roraima no final de setembro.

O objetivo foi colher demandas, experiências e proposições de imigrantes, profissionais que atuam na resposta ao fluxo migratório e a comunidade acadêmica sobre os desafios atuais da imigração no Brasil, no contexto dos 25 anos da Conferência Internacional no Cairo.

O encontro foi realizado em parceria com o Fundo de População da ONU (UNFPA) e contou com a participação de professores e estudantes da Universidade Federal de Roraima; profissionais do Exército da Salvação; da Associação Voluntários para o Serviço Internacional (AVISI Brasil); do Núcleo de Mulheres de Roraima e pessoas refugiadas e migrantes de diferentes gerações e gêneros.

Ministra Damares visitou o Espaço Amigável do UNFPA em Paracaima, Roraima. Foto: UNFPA Brasil | Yareidy Perdomo.

Espaço Amigável, do UNFPA, recebe visita de comitiva do governo federal

Como parte da agenda em Roraima, a ministra do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, visitou o Posto de Triagem da Operação Acolhida em Pacaraima.

Durante a passagem, ela conheceu o Espaço Amigável do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) onde se encontravam 19 mulheres gestantes que participavam de uma sessão informativa sobre saúde sexual e reprodutiva.

A comitiva contou também com a presença do governador do estado de Roraima, Antônio Denarium e do prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato.

Escola em Rio Branco, no Acre. Foto: UNICEF/Ratão Diniz

Acre adere a projeto do UNICEF que busca reduzir evasão escolar no estado

A Secretaria de Educação do Acre realiza em 1º de outubro a solenidade de adesão à iniciativa Busca Ativa Escolar, ação que é parte da campanha Fora da Escola Não Pode!, realizada por Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros.

Com a adesão, o Acre apoiará as redes municipais de ensino, fortalecendo a aprendizagem do estudante desde a educação infantil para que ele chegue ao ensino médio com as habilidades necessárias à sua formação.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/2015), mais de 26.103 crianças encontravam-se fora da escola no Acre (11,3%) e, de acordo com o Censo Escolar, 49.970 (26,9%) estavam em situação de distorção idade-série.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi estabelecida pelos países-membros da ONU no fim de 2015. Foto: ONU

Apenas 32% das empresas do mundo têm planos ambiciosos para atingir objetivos globais

De uma forma geral, um alto índice de empresas no mundo mantém políticas corporativas que atravessam as áreas-chave dos Dez Princípios do Pacto Global das Nações Unidas. Pelo menos 67% dessas companhias responderam que tais estratégias são desenvolvidas ou avaliadas no mais alto nível de governança, designada a CEOs, diretoras e diretores de empresas.

Apesar do progresso, os dados ainda são motivo de preocupação do Pacto Global. De acordo com a iniciativa das Nações Unidas, eles ainda não são o suficiente, em escala ou tempo, para alcançar os 17 ODS ou mesmo o Acordo de Paris para o clima.

Apenas 32% dos CEOs indicam que suas empresas têm planos para estabelecer objetivos suficientemente ambiciosos, baseados na ciência e alinhados à necessidade da sociedade. Enquanto isso, ações de apoio aos ODS ainda parecem estar separadas das estratégias mais centrais das empresas, e não influenciam de forma profunda produtos, serviços ou modelos de negócios.

Acampamento 'Juventude Já', promovido pelo UNFPA e parceiros, oferece espaço para que os jovens incidem sobre as políticas públicas que os afetam. Foto: UNFPA.

Acampamento do UNFPA reúne jovens da América Latina a fim de impulsionar lideranças

Entre 20 e 23 de setembro de 2019 ocorreu o segundo Acampamento Regional ‘Juventudes Já’, uma iniciativa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) para impulsionar a participação e a liderança juvenil na América Latina e no Caribe.

Durante os quatro dias, 50 jovens ativistas de diferentes países da região se reuniram no México para compartilhar experiências, construir alianças e fortalecer suas capacidades de incidência política, participação e reconhecimento.

Conheça o perfil de alguns desses jovens que já estão produzindo mudanças em seus contextos.

O movimento começou depois que Thunberg protestou em frente ao parlamento sueco por três semanas em 2018 para chamar a atenção para a emergência climática. Foto: ONU Meio Ambiente

Fridays for Future recebe prêmio Campeões da Terra da ONU por demandar ação climática

O Fridays for Future, um movimento dinâmico de estudantes do mundo todo inspirado pela ativista sueca Greta Thunberg, recebeu o prêmio Campeões da Terra 2019, a maior homenagem ambiental das Nações Unidas. A ONU Meio Ambiente reconheceu a iniciativa na categoria “Inspiração e Ação”.

O movimento começou depois que Greta Thunberg protestou em frente ao parlamento sueco por três semanas em 2018 para chamar a atenção para a emergência climática. Inspirados por seu exemplo, outros estudantes de todo o mundo começaram a organizar seus próprios protestos.

O envolvimento da sociedade civil e das comunidades, em todo o mundo, será fundamental para garantir o sucesso geral da cobertura universal de saúde até 2030, disse o UNAIDS. Foto: OMS

UNAIDS defende envolvimento da sociedade civil nas políticas de saúde dos países

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) elogiou na terça-feira (24) o compromisso assumido pelos Estados-membros da ONU durante encontro em Nova Iorque esta semana (23) para alcançar a cobertura universal de saúde até 2030.

Segundo o UNAIDS, a declaração política encoraja os países a envolver a sociedade civil na governança do sistema de saúde, nas políticas de saúde e no processo de revisão da saúde universal. O envolvimento da sociedade civil e das comunidades, em todo o mundo, será fundamental para garantir o sucesso geral da universalização, disse a organização.

A declaração política sobre saúde universal reconhece que a ação atual é inadequada, tendo em vista que pelo menos metade da população mundial não tem acesso a serviços essenciais de saúde. Atualmente, mais de 800 milhões de pessoas no mundo precisam gastar pelo menos 10% de sua renda familiar em cuidados com a saúde, e cerca de 100 milhões de pessoas são conduzidas à pobreza, a cada ano, por despesas relacionadas à saúde.

O tema do Dia Internacional do Acesso Universal à Informação deste ano é "não deixar ninguém para trás", missão na qual a tecnologia digital é recurso inestimável, segundo a UNESCO. Foto: ITU/V. Martin

Acesso universal à informação é direito humano fundamental, lembra UNESCO

O acesso universal à informação é um direito humano fundamental que desempenha papel central no empoderamento dos cidadãos, facilitando o debate justo e dando oportunidades iguais a todos. A avaliação é da diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, em mensagem para o Dia Internacional do Acesso Universal à Informação, lembrado em 28 de setembro.

“Em tempos de crescente desinformação e discurso de ódio, o direito de acessar informações de interesse público mantidas por governos e atores privados é mais importante do que nunca. Neste dia, portanto, vamos promover esse direito que é essencial para o nosso progresso no desenvolvimento sustentável”, declarou.

Crianças numa escola do Bronx, em Nova Iorque. Foto: ONU/Marcia Weistein

Encontro de Alto Nível marca 30 anos da Convenção dos Direitos da Criança

Desde a adoção da Convenção dos Direitos da Criança, há 30 anos, criou-se solidariedade “internacional sem precedentes”, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em evento comemorando o aniversário do documento na sede da ONU em Nova Iorque nesta quarta-feira (25).

A Convenção é o acordo internacional de direitos humanos mais vastamente ratificado em toda a história e uma conquista emblemática.

O encontro de alto nível durante a 74ª sessão da Assembleia Geral da ONU foi organizado para celebrar o 30º aniversário dos Direitos da Criança, destacando o progresso feito em avançar para vidas saudáveis e sustentáveis e pedindo que os Estados-membros reforcem seus compromissos com a causa, ao mesmo tempo em que reconheçam novos desafios.

Agatha Félix, de 8 anos, morava no Complexo do Alemão. Foto: Acervo Pessoal

Declaração do UNICEF sobre a morte de Ágatha Félix

A morte da menina Ágatha Félix, assassinada por um tiro nas costas durante uma ação da Polícia Militar no Rio de Janeiro (RJ), nos revela a dor profunda das famílias, os sorrisos e os sonhos interrompidos de 32 crianças e adolescentes assassinados por dia no Brasil, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em comunicado.

“Continuamente, a violência armada afeta a vida de centenas de milhares de crianças e adolescentes, famílias, professores, policiais e toda a comunidade. Todos somos afetados. Mas é possível prevenir novas mortes e romper o ciclo da violência. É urgente desnaturalizar essas mortes e investir em políticas e ações que protejam e permitam o desenvolvimento pleno de cada pessoa.” Leia o texto completo.

Embaixador Tijjani Mohammad Bande foi eleito presidente da 74ª sessão da Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Evan Schneider

Presidente eleito da Assembleia Geral da ONU defende paz e prosperidade para mais vulneráveis

O alcance global da ONU a torna a principal esperança para um mundo de paz e segurança, desenvolvimento sustentável e promoção e proteção dos direitos humanos e do progresso social, disse nesta terça-feira (24) o nigeriano Tijjani Muhammad-Bande, presidente eleito da Assembleia Geral das Nações Unidas, durante abertura do debate de alto nível, em Nova Iorque.

Na abertura dos debates da 74ª sessão da Assembleia Geral, ele se comprometeu a “promover parcerias necessárias com todos os atores para atingir nossos objetivos, e em última análise garantir que estejamos fazendo o melhor para garantir paz e prosperidade, particularmente, para os mais vulneráveis”.