Governo brasileiro prorrogou campanha de vacinação contra a pólio e o sarampo. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

Brasil registra 2º maior número de casos de sarampo nas Américas

A região das Américas confirmou 2.927 casos de sarampo neste ano. Os dados são da mais recente atualização epidemiológica da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que reuniu dados disponíveis até 7 de agosto.

A doença foi identificada em 14 países, de 1º de janeiro a 27 de julho. O maior número de episódios da infecção foi registrado nos Estados Unidos (1.172), seguido pelo Brasil (1.045) e Venezuela (417).

Mosquitos Aedes aegypti transmitem dengue, chikungunya e zika. Foto: AIEA

OMS recebe contribuições para roteiro de controle a 20 doenças tropicais neglicenciadas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) apresentou no domingo (28), em Belo Horizonte (MG), um panorama do novo roteiro 2021-2030 de controle, eliminação ou erradicação de 20 doenças tropicais negligenciadas. A palestra foi dada na abertura do MEDTROP-PARASITO 2019, evento que deve reunir 3 mil pessoas até 31 de julho, entre pesquisadores, cientistas, profissionais de saúde e estudantes.

Pedro Albajar Viñas, oficial técnico de Doenças Negligenciadas Tropicais da OMS, lembrou aos participantes da cerimônia de abertura que, neste momento, a OMS está recebendo contribuições para o roteiro, que será posteriormente finalizado e submetido à aprovação pelos países.

Foto: Prefeitura de Olinda / Fernanda Mafra

OMS: 1 milhão de novos casos de ISTs curáveis são registrados diariamente no mundo

Mais de 1 milhão de novos casos de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) curáveis são registrados diariamente entre pessoas de 15 a 49 anos no mundo, segundo dados divulgados na quinta-feira (6) pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso equivale a mais de 376 milhões de novos casos anuais de quatro infecções – clamídia, gonorreia, tricomoníase e sífilis.

“Há uma relativa falta de progresso em parar a propagação de infecções sexualmente transmissíveis no mundo”, disse Peter Salama, diretor-executivo para Cobertura Universal de Saúde e Curso de Vida da OMS. “Este é um alerta para um esforço conjunto, a fim de garantir que todos, em todos os lugares, possam acessar os serviços de que necessitam para prevenir e tratar essas doenças debilitantes”.

Na Ucrânia, Vasyl, de oito anos, Roman, de sete, Valentyna, de nove, Ivan, de sete, e Misha, de 17, aguardam para receber vacinas contra o sarampo. Foto: UNICEF/Zmey

Casos de sarampo têm aumento de 300% no mundo, diz OMS

Dados preliminares mostram que os casos de sarampo no mundo tiveram aumento de 300% no primeiro trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado, afirmou na segunda-feira (15) a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo o organismo da ONU, todas as regiões do planeta têm registrado um crescimento prolongado no número de episódios da doença, que avançou mesmo em países com elevada cobertura de vacinação, como os EUA.

Dana, de um ano e meio, é segurada por sua mãe Inna, enquanto recebe uma dose de vacina contra caxumba, sarampo e rubéola em Kyiv, Ucrânia. Foto: UNICEF

OMS estima que casos de sarampo tenham dobrado no mundo em um ano

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que as infecções por sarampo tenham dobrado em um ano no mundo, em meio a severos e prolongados surtos em países pobres e ricos, afirmou a agência da ONU na quinta-feira (14).

Além de ser possivelmente fatal, sintomas do sarampo incluem erupções cutâneas, cegueira e inflamação do cérebro. O vírus pode ser transmitido facilmente através de espirros e tosses, além de sobreviver horas em uma gota d’água.

Campanha de vacinação contra o sarampo no Paraguai. Foto: OPAS

OPAS: sobe para 8 mil número de casos confirmados de sarampo nas Américas

O número de casos confirmados de sarampo na região das Américas cresceu 22% em um mês, conforme a mais recente atualização epidemiológica da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), com dados fechados no dia 24 de outubro. Os números são motivo de preocupação, uma vez que o vírus causador do sarampo se espalha muito rapidamente. Por isso, a organização afirma ser importante manter e fortalecer as atividades de resposta na região.

Para controlar a propagação da doença nas Américas, a OPAS recomenda aos países que mantenham a cobertura vacinal em ao menos 95% e fortaleçam a vigilância epidemiológica, a fim de aumentar a imunidade da população e detectar/responder rapidamente a casos suspeitos de sarampo.

Governo brasileiro prorrogou campanha de vacinação contra a pólio e o sarampo. Foto: Agência Brasil/Tomaz Silva

Agência da ONU elogia prorrogação da vacinação contra sarampo e pólio no Brasil

O Brasil prorrogou até o dia 14 de setembro a campanha nacional de vacinação contra pólio e sarampo.

Segundo dados do Ministério da Saúde, até segunda-feira (3), 88% das crianças brasileiras com menos de cinco anos haviam sido imunizadas. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), agência regional das Nações Unidas, elogiou a decisão do governo por considerar que o ideal é alcançar um índice de mais de 95% de cobertura vacinal.

Evento em São Paulo teve a participação do chef David Hertz, que salvou alimentos esquecidos nas geladeiras de consumidores e formadores de opinião. Foto: Centro de Excelência contra a Fome

ONU e marca de maionese mobilizam formadores de opinião contra o desperdício de alimentos

O Centro de Excelência contra a Fome da ONU e a marca Hellmann’s realizaram em agosto o evento “Restaurante Sem Comida”. Em São Paulo, jornalistas, consumidores e influenciadores digitais levaram ingredientes esquecidos em suas geladeiras e viram o chef David Hertz transformar os alimentos em pratos incríveis. Uma pesquisa global da Unilever revelou recentemente que 61% dos brasileiros jogam fora alimentos em perfeito estado.

No Brasil, de agosto a setembro de 2018, o governo realizou uma campanha contra pólio e sarampo alcançando mais de 11 milhões de crianças com menos de 5 anos (97,89% de cobertura). Foto: EBC

Casos de sarampo nas Américas chegam a 5 mil e OPAS amplia recomendações aos países

O número de casos confirmados de sarampo na Região das Américas mais que dobrou em um mês, conforme a mais recente atualização epidemiológica da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), publicada na terça-feira (21).

Ao todo, 11 países do continente notificaram 5.004 casos confirmados de sarampo em 2018: Antígua e Barbuda (1), Argentina (8), Brasil (1.237, incluindo seis mortes), Canadá (19), Colômbia (60), Equador (17), Estados Unidos (107), Guatemala (1), México (5), Peru (4) e Venezuela (3.545, incluindo 62 óbitos). Em 20 de julho, esses mesmos países haviam confirmado 2.472 casos.

Tendo em vista a velocidade de propagação da doença pela região, a OPAS ampliou as recomendações que já vinham sendo feitas aos países. Entre elas, aumentar a cobertura vacinal e fortalecer a vigilância epidemiológica, a fim de aumentar a imunidade da população e detectar/responder rapidamente a casos suspeitos de sarampo.

Onze países das Américas notificaram 2.472 casos confirmados de sarampo neste ano, segundo a OPAS/OMS. Foto: Wilson Dias/ABr

Após 2 mil casos de sarampo nas Américas, OPAS destaca necessidade de vacinação e vigilância

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) destacou nesta terça-feira (24) a necessidade de os países das Américas intensificarem as atividades de vacinação e vigilância para prevenir e combater a propagação do sarampo.

No Brasil, o organismo internacional está colaborando com as ações para controle do surto de sarampo em dois estados: Amazonas (444 casos confirmados, a maioria em Manaus) e Roraima (216 casos confirmados).

Delegações participam de reunião da 71ª Assembleia Mundial da Saúde, realizada no ano passado. Foto: OMS

Países da ONU firmam compromisso para melhorar saúde de 3 bilhões de pessoas até 2023

Metas firmadas junto à Organização Mundial da Saúde (OMS) visam garantir que nos próximos cinco anos, 1 bilhão de pessoas sejam incluídas em sistemas de cobertura universal, 1 bilhão de indivíduos estejam mais bem protegidos contra emergências e 1 bilhão de cidadãos tenham saúde e bem-estar melhores. Países também adotaram resoluções específicas sobre atividade física, nutrição, picadas de cobra e doença cardíaca reumática.

No Brasil, de agosto a setembro de 2018, o governo realizou uma campanha contra pólio e sarampo alcançando mais de 11 milhões de crianças com menos de 5 anos (97,89% de cobertura). Foto: EBC

OMS recomenda fortalecimento de vacinação e vigilância após mais de 1 mil casos de sarampo nas Américas

No Brasil, há um surto em andamento nos estados de Roraima (81 casos confirmados, dos quais 55 venezuelanos, 24 brasileiros, um guianense e um argentino) e do Amazonas (22 casos confirmados, todos brasileiros). Além disso, foi confirmado um caso no estado do Rio Grande do Sul, em uma brasileira que havia visitado vários países na Europa.

Para enfrentar o surto, o Ministério da Saúde do país, em coordenação com os governos estaduais e municipais, está conduzindo atividades de vacinação, vigilância epidemiológica, fortalecimento da rede de laboratórios, comunicação de risco e capacitação de profissionais em manejo de casos de sarampo. O relato é da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

No Brasil, de agosto a setembro de 2018, o governo realizou uma campanha contra pólio e sarampo alcançando mais de 11 milhões de crianças com menos de 5 anos (97,89% de cobertura). Foto: EBC

Onze países das Américas notificaram 385 casos de sarampo este ano, diz OPAS/OMS

Onze países das Américas notificaram 385 casos confirmados de sarampo neste ano: Antígua e Barbuda (1 caso), Argentina (1), Brasil (46), Canadá (4), Colômbia (5), Equador (1), Estados Unidos (41), Guatemala (1), México (4), Peru (2) e Venezuela (279). Os dados são da mais recente atualização epidemiológica da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), publicada na sexta-feira (6).

No Brasil, há um surto em andamento nos estados de Roraima (42 casos confirmados, dos quais 34 cidadãos venezuelanos e oito brasileiros) e do Amazonas (quatros casos confirmados, todos cidadãos brasileiros). Para enfrentar o surto, o Ministério da Saúde do país, em coordenação com os governos estaduais e municipais, está realizando campanhas de vacinação nos dois estados (tanto para residentes quanto imigrantes venezuelanos de 6 meses a 49 anos de idade).

Vacinação na Venezuela em janeiro de 2018. Foto: OPAS/OMS

Sarampo: vacinação é essencial para que países mantenham eliminação da doença nas Américas

Alerta é da Organização Pan-Americana da Saúde(OPAS/OMS), que alertou que, diante dos surtos de sarampo nas Américas, os países devem redobrar esforços para vacinar suas populações, fortalecer a vigilância a fim de detectar possíveis pacientes e implementar medidas para responder rapidamente a qualquer caso suspeito.

A avaliação foi publicada na última atualização epidemiológica da organização, na sexta-feira (16). Nos primeiros meses de 2018, Brasil relatou 14 casos da doença.

Com decisão do STF, Brasil avança no combate ao tabagismo, avalia OMS. Foto: PEXELS

ONU elogia decisão do STF de proibir aditivos que mudam sabor e cheiro de cigarros

O Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil manteve na quinta-feira (1) a validade da resolução 14/2012, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que impede o uso de aditivos em produtos derivados do tabaco. Com isso, volta a ficar proibido o uso desses agentes para, por exemplo, modificar o sabor e o cheiro de cigarros, tornando-os mais atrativos, principalmente para os jovens. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OPAS), comemorou a sentença.

Foto: Anvisa

Brasil avança ao atualizar imagens de advertência nos rótulos dos cigarros, avalia OPAS/OMS

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) tem recomendado uma série de iniciativas, baseadas nas melhores evidências científicas disponíveis, para auxiliar os países das Américas na redução do número de fumantes. Recentemente, o Brasil fortaleceu uma delas ao atualizar as imagens de advertência nos rótulos dos cigarros e demais produtos derivados do tabaco.

O controle do tabagismo é um poderoso instrumento para melhorar a saúde da população. Globalmente, mais de 7 milhões de pessoas perdem a vida a cada ano, vitimadas por doenças causadas pelo consumo do tabaco – como câncer e diabetes. Esse produto é responsável por mais de 1,4 trilhão de dólares (4,3 trilhões de reais) em custos de saúde e perda de produtividade no mundo.

Obesidade no Brasil será discutida em conferência da FAO na Jamaica. Foto: Flickr/Tony Alter (CC)

Américas têm duas vez mais obesos que a média mundial, alerta OMS

A obesidade é um dos principais desencadeadores da diabetes, e as Américas têm mais que o dobro de adultos obesos que a média mundial, com as mulheres sendo o grupo mais afetado pelo excesso de peso.

A dieta saudável e a vida ativa podem colocar um freio no avanço da obesidade e prevenir a aparição da diabetes, assim como ajudar a controlá-la, alertou a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

No Brasil, de agosto a setembro de 2018, o governo realizou uma campanha contra pólio e sarampo alcançando mais de 11 milhões de crianças com menos de 5 anos (97,89% de cobertura). Foto: EBC

Mortes por sarampo diminuem no mundo, mas doença ainda mata 90 mil pessoas por ano

Em 2016, cerca de 90 mil pessoas morreram por sarampo — o que representa uma queda de 84% em relação às mais de 550 mil mortes registradas em 2000. As informações são de um novo relatório publicado na quinta-feira (26) pelas principais organizações globais de saúde. É a primeira vez que as mortes pela doença em todo o mundo caem para menos de 100 mil em um ano.

“Salvar uma média de 1,3 milhão de vidas por ano, por meio da vacina contra o sarampo, é uma conquista incrível e faz com que um mundo livre da doença pareça possível e até provável em nossas vidas”, afirma Robert Linkins, da Iniciativa contra o Sarampo e a Rubéola (MR&I, sigla em inglês). A MR&I é uma iniciativa da qual fazem parte a Fundação das Nações Unidas, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Agentes de saúde vacinam uma criança em um centro médico na aldeia de Al-Radwanieh, área rural de Alepo, Síria. Foto: UNICEF / Al-Issa

Uma em cada dez crianças não recebeu nenhuma vacina no ano passado, alerta ONU

Agências da ONU pedem maior cobertura de vacinação para crianças em situação de vulnerabilidade. Globalmente, cerca de 13 milhões de crianças – quase uma em cada dez – não receberam nenhuma vacina no último ano, ficando em sério risco de contraírem doenças potencialmente fatais.

As informações são do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que pediram mais esforços para estender o alcance dos serviços de saúde.

Foto: inefekt69/Flickr/CC

ONU alerta para resultados distorcidos de pesquisas sobre nutrição financiadas pela indústria

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) tem alertado a população global para o perigo dos conflitos de interesse relacionados às pesquisas científicas de nutrição financiadas por indústrias alimentícias.

“Por meio de diversos estudos, a indústria tenta causar uma cegueira na população. Um deles atrasou em mais de 30 anos nossa noção sobre os males causados pelo açúcar”, disse assessor regional da agência da ONU.