Gianluigi Buffon, goleiro da Juventus, em foto de 2016. Foto: Wikimeadia Commons/Doha Stadium Plus Qatar (CC)

UNESCO e Juventus lançam concurso de fotografia sobre futebol

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o clube italiano Juventus lançaram nesta semana um concurso de fotografias com o objetivo de retratar formas com as quais o futebol promove a inclusão, supera estereótipos e reverte discriminações.

Para participar do concurso, é necessário enviar uma fotografia retratando esse potencial do esporte, com uma mensagem de paz e tolerância. Os vencedores receberão prêmios e participarão de uma campanha em vídeo. As inscrições vão até 6 de maio.

Crianças de Cidade do Cabo, na África do Sul na década de 1980, quando o casamento inter-racial era ilegal no país. Foto: ONU

Em data contra discriminação racial, ONU pede promoção da tolerância e respeito à diversidade

Pessoas em todo o mundo estão sendo encorajadas pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a pensar em como podem promover melhor a tolerância, a inclusão e o respeito pela diversidade.

Apesar dos avanços, Guterres listou questões urgentes pendentes, como a desigualdade de gênero; o “aumento alarmante” da xenofobia, do racismo e da intolerância; e um ressurgimento dos partidos políticos de extrema-direita e dos pontos de vista neonazistas.

“De insultos e humilhações a crimes de ódio e massacres, das dificuldades de se obter acesso ao mercado de trabalho às práticas racistas institucionalizadas, a discriminação racial assume muitas formas, que às vezes são extremamente brutais, enquanto em outras são ocultas e dissimuladas”, acrescentou a chefe da UNESCO, Audrey Azoulay.

O jogador da Juventus Blaise Matuidi. Foto: Flickr/Xavier NALTCHAYAN (CC)

UNESCO e Ministério dos Esportes da França condenam racismo contra jogador francês na Itália

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, e a ministra dos Esportes da França, Laura Flessel, condenaram na segunda-feira (8) os insultos racistas proferidos durante partidas de futebol na Europa no último fim de semana.

“O racismo não tem lugar nos campos nem fora deles. Condenamos sem reservas os insultos racistas direcionados (ao jogador francês) Blaise Matuidi, que joga na Juventus de Turim e na seleção francesa. Denunciamos todos os atos racistas que regularmente estragam os eventos esportivos no mundo todo. O esporte precisa permanecer como um vetor de excelência, entendimento mútuo e tolerância. Nada pode justificar o uso do esporte para impulsionar ódio, discriminação e rejeição”, declararam.