O FMI prevê crescimento de 2,3% para a economia brasileira este ano. Foto: EBC

FMI prevê crescimento de 2,3% para economia brasileira em 2018

A economia brasileira deve crescer 2,3% este ano e 2,5% em 2019, segundo projeções divulgadas na terça-feira (17) pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). O avanço do país ficará pouco acima da média regional latino-americana e caribenha, cuja alta prevista para 2018 é de 2%. No ano que vem, os países da região devem crescer em média 2,8%, de acordo com relatório do organismo internacional.

Enquanto a economia mundial continua a mostrar recuperação, o documento alertou para a possibilidade de turbulências adiante, causadas pelo aumento do protecionismo ou por guerras comerciais.

O processo de urbanização na América Latina e no Caribe melhorou os indicadores de desenvolvimento, no entanto, as cidades ainda são espaços de desigualdades, segundo a CEPAL. Foto: ONU-Habitat/Lucille Kanzawa

Participação da sociedade civil latino-americana é indispensável para conquista da Agenda 2030

A ativa participação da sociedade civil é indispensável para a tomada de decisões, o planejamento e a aplicação de políticas que fomentem o cumprimento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável na América Latina e no Caribe.

A opinião é de representantes de mais de 200 organizações não governamentais (ONG) de diversos países, autoridades e funcionários de organismos internacionais que se reuniram nesta terça-feira (17) na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) em Santiago, no Chile, antes do Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre o Desenvolvimento Sustentável, que ocorre este mês na cidade.

Setor têxtil é um dos que registra casos de trabalho análogo à escravidão no Brasil. Foto: EBC

Empresas brasileiras e OIT debatem medidas para combater trabalho forçado e infantil

Cerca de 40 representantes do setor privado reuniram-se em São Paulo, no Consulado Britânico, com o objetivo de debater o que empresas podem fazer para combater o trabalho forçado e infantil. Realizado pela Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas, a missão diplomática do Reino Unido e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), evento discutiu políticas de prevenção e estratégias de reparação para as vítimas de abusos.

Relatório aborda relação entre crescimento econômico e confiança nas instituições. Foto: Agência Brasil

ONU sugere que países latino-americanos reconquistem confiança nas instituições públicas para crescer

Três em cada quatro latino-americanos hoje mostram pouca ou nenhuma confiança em seus governos nacionais. A falta de confiança está aumentando na maior parte das regiões do mundo, e arrisca aprofundar a desconexão entre a população e as instituições públicas, prejudicando a coesão social e enfraquecendo o contrato social.

Reconectar as instituições públicas aos cidadãos ao responder melhor às suas demandas é, portanto, essencial para fortalecer o crescimento e o desenvolvimento sustentável na América Latina e no Caribe e para o bem-estar da população da região, de acordo com relatório elaborado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) e outros organismos internacionais.

Um funcionário do ACNUR registra uma mulher e suas duas filhas. Para evitar múltiplas inscrições, o sistema identifica os refugiados através das suas impressões digitais. Foto: ACNUR/Frederic Noy (novembro de 2012)

ONU elogia esforços de Uganda para impedir corrupção nos programas de refugiados

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) elogiou as medidas tomadas pelo governo de Uganda para investigar alegações de irregularidades nos programas de refugiados do governo.

O primeiro-ministro de Uganda iniciou investigação após relatórios recebidos pelo ACNUR e o Programa Mundial de Alimentos (PMA) denunciarem funcionários envolvidos em assistência aos refugiados por corrupção e má conduta.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, se encontra com pessoas internamente deslocados em Bangassou, República Centro-Africana, em outubro de 2017. Foto: ONU/Eskinder Debebe

ONU amplia parceria com a União Africana; líderes discutem paz, segurança e combate à corrupção

Parceria com a União Africana vai envolver diálogo com Conselho de Segurança e países que contribuem com fundos e forças de paz. Secretário-geral da ONU, António Guterres, participou de Cúpula dos líderes africanos em Adis Abeba, onde assinou acordo ampliando a cooperação com a organização regional.

As situações urgentes são Sudão do Sul, República Democrática do Congo, República Centro-Africana e Mali. De acordo com a ONU, os respectivos mandatos devem ser mais específicos, além de apoiar soluções políticas e a proteção dos civis.

Daniel Canabrava é um dos brasileiros que participarão do Fórum da Juventude do ECOSOC. Foto: UNODC

Jovens brasileiros participam do Fórum da Juventude da ONU em Nova Iorque

Dois jovens brasileiros participarão do Fórum da Juventude do Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), que será realizado em Nova Iorque nos dias 30 e 31 de janeiro. Lorenna Vilas Boas, de Salvador (BA), e Daniel Canabrava, do Gama (DF), são ex-alunos do Programa Embaixadores da Juventude, uma iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). A dupla vai liderar uma atividade sobre mobilidade urbana organizada pela representação da agência da ONU no Brasil, que também comparecerá ao encontro.

Criança passa em frente a casa atingida por artilharia, em Bonetsk Oblast, no leste da Ucrânia. Foto: UNICEF/Gilbertson VII

ONU alerta para deterioração dos direitos humanos no leste da Ucrânia

No leste da Ucrânia, o recrudescimento das hostilidades provocou novas mortes e danos à infraestrutura local, incluindo instalações de armazenamento de água contendo substâncias tóxicas. Outro problema é a presença de minas e armamentos não explodidos, que ameaçam as vidas de 220 mil crianças.

Números são do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e do Fundo da ONU para a Infância (UNICEF).

Alfred Zayas, relator especial independente para a Promoção de uma Ordem Internacional Democrática e Justa. Foto: ONU/Amanda Voisard

Em visita a Equador e Venezuela, especialista recomenda maior cooperação com a ONU

De acordo com especialista das Nações Unidas, as iniciativas adotadas por Equador e Venezuela em áreas fundamentais como educação gratuita, serviços de saúde, habitação a preços acessíveis e combate à discriminação devem ser elogiadas pela comunidade internacional.

Por outro lado, o relator da ONU se mostrou preocupado com “problemas endêmicos que persistem”, incluindo pobreza, corrupção, desigualdade social, irregularidades eleitorais, repressão a opositores, entre outros.

Um menino caminha em um banco de areia em torno de um campo de refugiados em M'bera, na Mauritânia. Foto: UNICEF / Dragaj

UNESCO: Declaração dos Direitos Humanos chega aos 70 anos em meio a desafios crescentes

A Declaração Universal dos Direitos Humanos completará 70 anos no ano que vem em tempos de desafios crescentes, quando o ódio, a discriminação e a violência permanecem vivos, disse a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay.

“Centenas de milhões de mulheres e homens são destituídos e privados de condições básicas de subsistência e de oportunidades. Movimentos populacionais forçados geram violações aos direitos em uma escala sem precedentes. A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável promete não deixar ninguém para trás — e os direitos humanos devem ser o alicerce para todo o progresso.”

Anastasia Chairet, de sete anos, atravessa uma ponte improvisada após a passagem do furacão Irma pelas ilhas Turks e Cacos, no Caribe. Foto: UNICEF/Manuel Moreno Gonzalez

Desastres naturais podem levar população latino-americana à pobreza, diz Banco Mundial

No Caribe, pelo menos um país por ano é atingido por um ciclone ou furacão. Quando considerados todos os terremotos do mundo, mais de 25% deles com magnitude 8.0 ou maior ocorrem no oeste da América do Sul. Os números detalham um cenário mais amplo e alarmante — de 1970 a 2014, a incidência de desastres naturais na América Latina triplicou. Fenômenos extremos, segundo relatório do Banco Mundial divulgado nesta semana (29), podem levar a aumento da pobreza.

A população carcerária brasileira é a quarta maior do mundo em termos absolutos e já chegou a mais de 622 mil detentos, segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça. Foto: EBC

ONU e PGR lembram importância de diferenciar usuários de traficantes de drogas

Reunião realizada na semana passada (13) entre a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o representante regional do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Rafael Franzini, discutiu a importância de assegurar tratamento diferenciado para usuários e traficantes de drogas.

A procuradora-geral da República lembrou que o Ministério da Justiça trabalha na elaboração de uma resolução que trará parâmetros objetivos para assegurar a diferenciação entre usuários e traficantes, em cumprimento a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Oficina reuniu cerca de 70 executivos do Ceará e de outros estados do Nordeste. Foto: UNIMED Fortaleza

Pacto Global da ONU discute corrupção no setor privado em seminário no Ceará

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU levou ao Nordeste, pela primeira vez, uma capacitação sobre combate à corrupção no setor privado. O workshop “Avaliação de riscos de corrupção” reuniu em Fortaleza, em outubro (25), cerca de 70 empresários do Ceará e de outros estados da região. Durante o encontro, especialistas da área de compliance frisaram que a integridade das companhias interessa a clientes e consumidores.

Jornalistas em serviço. Foto: EBC

Secretário-geral da ONU pede justiça a casos de assassinatos de jornalistas no mundo

No Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas (2 de novembro), o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu justiça em memória de todos os profissionais assassinados, e em reconhecimento da importância de uma mídia livre e independente para avançar rumo ao desenvolvimento e à paz.

“Quando os jornalistas são o alvo, a sociedade como um todo paga o preço. O tipo de notícia que é silenciada — corrupção, conflitos de interesse, tráfico ilegal — é exatamente o tipo de informação que o público precisa saber”, completou.

Foto: Arquivo/Seed/Sergipe

Relatório da UNESCO destaca responsabilidade dos governos em oferecer educação universal de qualidade

Relatório de monitoramento global divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) nesta terça-feira (24) destaca a responsabilidade dos governos em fornecer uma educação universal de qualidade, enfatizando que a responsabilização é indispensável para alcançar esse objetivo.

Globalmente, menos de 20% dos países garantem legalmente 12 anos de educação gratuita e obrigatória. Atualmente, há 264 milhões de crianças e jovens fora da escola no mundo, e 100 milhões de jovens são incapazes de ler, de acordo com a agência das Nações Unidas.

Xangai, China. Foto: ONU-Habitat/Julius Mwelu

China e América Latina devem avançar juntos na revolução digital, diz CEPAL

É necessário trabalhar para que a América Latina e o Caribe avancem junto com a China rumo à revolução digital e à economia verde, disse a secretária-executiva da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, em evento realizado esta semana no Chile.

Bárcena lembrou que a China se tornou o segundo parceiro comercial da América Latina e do Caribe, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, e é também um importante investidor estrangeiro na região.

Relator da ONU criticou políticas de empréstimos do FMI, que segundo ele vão de encontro às prioridades das Nações Unidas. Foto: Peter Clark/Flickr (CC)

Políticas do FMI impedem que países cumpram obrigações de direitos humanos, diz relator da ONU

As políticas de empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) estão prejudicando algumas das prioridades de direitos humanos e de desenvolvimento das Nações Unidas, assim como promovendo políticas “fracassadas” de privatização e austeridade, alertou o relator da ONU Alfred de Zayas, em Nova Iorque.

“O FMI atualmente impõe condições que desencorajam o gasto social e, portanto, impedem que os Estados cumpram suas obrigações de direitos humanos”, disse ele. “Frequentemente, essas condições aumentam o desemprego, reduzem os padrões que regem trabalho, saúde e meio ambiente, e diminuem o acesso à educação gratuita de qualidade”, completou.

Pena de morte afeta desproporcionalmente os mais pobres, dizem relatores da ONU

Especialistas da ONU pediram medidas urgentes para acabar com o impacto desproporcional da pena de morte sobre os mais pobres. Eles afirmaram que impor a pena capital como resultado de discriminação constitui execução arbitrária, e os governos não devem ser passíveis a isso. Os comentários foram feitos para o Dia Mundial contra a Pena de Morte, lembrado em 10 de outubro.

Segundo os especialistas, pessoas que vivem na pobreza são mais afetadas pela pena de morte por serem alvos fáceis para a polícia, não poderem pagar advogados, terem acesso somente a assistência jurídica gratuita de baixa qualidade, entre outros fatores.

Relator da ONU pediu que Suíça intensifique medidas contra fluxos financeiros ilícitos de evasão fiscal e corrupção. Foto: Keith Laverack/Flickr (CC)

Relator da ONU pede que Suíça combata fluxos financeiros ilícitos; cita escândalo da Petrobras

O governo suíço adotou medidas para combater os fluxos financeiros ilícitos nos últimos anos, mas é necessário fazer mais para enfrentar questões incluindo o contínuo risco de lavagem de dinheiro, disse um especialista da ONU ao final de sua primeira visita oficial ao país.

“Isso fica particularmente evidente com o envolvimento de diversos bancos suíços no escândalo de corrupção da Petrobras e nos fluxos suspeitos ligados ao fundo soberano malaio 1MDB. É especialmente preocupante que esses eventos não tenham ocorrido anos atrás — o dinheiro estava sendo aceito até bem recentemente”, declarou o especialista.

Família vivendo numa favela urbana em Sonagachi, Kolkata, na Índia. ONU/Kibae Park

População mais pobre é a que mais sofre consequências das crises globais, diz especialista

“A população dos países em desenvolvimento está pagando um preço muito alto pelas ações globais que estão foram do seu controle”, disse Said Alfarargi, relator especial da ONU para o direito ao desenvolvimento, em seu relatório ao Conselho de Direitos Humanos. Segundo ele, há uma politização crescente sobre temas relacionados ao direito ao desenvolvimento que tem levado a uma baixa promoção, proteção e cumprimento deste direito.

Foto: Mídia Ninja

Citando Brasil, comissário da ONU alerta para vínculo entre corrupção e perda de direitos

Falando na abertura da sessão do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, em Genebra nesta segunda-feira (11), alto-comissário da ONU para o tema, Zeid Ra’ad Al Hussein, alertou que a corrupção viola os direitos de milhões de pessoas em todo o mundo, “roubando-as do que deveriam ser bens comuns e privando-as de direitos fundamentais, como saúde, educação ou acesso igualitário à justiça”.

“Os escândalos recentes, incluindo alegações muito graves sobre funcionários de alto nível no Brasil e em Honduras, revelaram o quão profundamente a corrupção está inserida em todos os níveis de governança em muitos países das Américas, muitas vezes ligados ao crime organizado e ao tráfico de drogas”, disse Zeid.

Evento com Alicia Bárcena, secretária executiva da CEPAL. Foto: Cepal

CEPAL pede integração regional para garantir inclusão social

A secretária-executiva da Comissão Econômica da ONU para América Latina e Caribe (CEPAL), Alicia Bárcena, afirmou que, para alcançar uma maior coesão e inclusão social, é necessário recuperar a cooperação internacional e o multilateralismo, com um novo e revigorado papel da integração regional.

A alta funcionária das Nações Unidas participou, na semana passada, do seminário internacional “Os novos desafios da coesão social na Ibero-América”, organizado pela Secretaria-Geral Ibero-Americana e o Ministério das Relações Exteriores do Chile.

Foto: Logan Abassi/ONU/MINUSTAH

Brasil encerra atividade militar no Haiti nesta quinta-feira (31)

Nesta semana, as tropas brasileiras se despedem oficialmente da missão da Organização das Nações Unidas no Haiti depois de mais de uma década. Será realizada na próxima quinta-feira (31), às 19h de Porto Príncipe (20h em Brasília), a cerimônia que marca o encerramento das atividades militares do Brasil na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH). Nos últimos 13 anos, 37.500 militares brasileiros atuaram no país.

Ivan Velásquez, chefe da comissão anticorrupção apoiada pela ONU na Guatemala. Foto: CICIG

Secretário-geral da ONU critica decisão da Guatemala de expulsar chefe de comissão anticorrupção

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse no domingo (27) estar chocado com a decisão do presidente da Guatemala, Jimmy Morales, de declarar o chefe da comissão anticorrupção apoiada pelas Nações Unidas no país como “persona non grata”, de acordo com seu porta-voz.

A decisão do presidente guatemalteco também foi criticada pelo alto-comissário da ONU para os direitos humanos, segundo o qual o chefe da comissão e a procuradora-geral do país têm papel-chave na luta contra a impunidade e a corrupção na Guatemala.

Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global reúne executivos em SP para discutir combate à corrupção

A Rede Brasil do Pacto Global promoveu na semana passada (16) o workshop “Collaboration Lab – Ações coletivas de combate à corrupção”, na sede do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), em São Paulo.

O secretário-executivo da Rede Brasil, Carlo Pereira, ressaltou a urgência de discutir a questão no país. “Por razões óbvias, é um tema que está entre as nossas principais ações. E procuramos trabalhar com a prevenção, pois é assim que podemos gerar maior impacto”, disse.

Planejamento da carreira e empreendedorismo são alguns dos temas abordados no projeto Empoderando Refugiadas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Pacto Global da ONU no Brasil lança documentário sobre projeto Empoderando Refugiadas

A Rede Brasil do Pacto Global da ONU, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a ONU Mulheres e outros parceiros do projeto Empoderando Refugiadas promovem na semana que vem (29) em São Paulo evento de encerramento de sua segunda edição. A atividade será gratuita.

Na ocasião, os resultados do projeto serão compartilhados e será lançado um minidocumentário com as histórias de algumas de suas participantes. O filme apresenta as diversas trajetórias, estratégias e desafios de dez mulheres em busca de uma oportunidade de recomeçar a vida em outro país.

Publicações em inglês darão visibilidade internacional para as atividades da Rede Brasil do Pacto Global. Imagem: Rede Brasil do Pacto Global

Pacto Global da ONU no Brasil lança publicações em diferentes idiomas para divulgar boas práticas

Para disseminar internacionalmente as experiências de empresas brasileiras na promoção dos direitos humanos e do desenvolvimento sustentável, a Rede Brasil do Pacto Global lançou neste mês (1º) traduções para o inglês de quatro publicações. Documentos contemplam temas diversos — a integração da Agenda 2030 da ONU a estratégias corporativas, diretrizes para o setor de alimentação, entre outros assuntos.

Publicação sobre imigração e corrupção no mercado internacional ganhou versões em inglês, espanhol, francês, alemão e mandarim.

Rayanne Cristine Maximo Franca. Foto: ONU Mulheres

‘É hora de o mundo ouvir nossa voz’, diz ativista indígena brasileira

Rayanne França, de 25 anos, é uma ativista brasileira da juventude indígena. Desde que deixou sua casa aos 17 anos, embarcou na luta por direitos e reconhecimento. Ela faz parte da Rede de Juventude Indígena (REJUIND) e participou recentemente da 61ª sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher e da 16ª sessão do Fórum Permanente da ONU para Questões Indígenas, realizados em Nova Iorque.

Às vésperas do Dia Internacional dos Povos Indígenas (9 de agosto), Rayanne conversou com a ONU Mulheres sobre as principais preocupações das jovens mulheres indígenas no Brasil. Leia o depoimento.

Grupo de Trabalho de Direitos Humanos promove treinamento de due dilligence para empresas. Foto: Rede Brasil do Pacto Global/Fellipe Abreu

Rede Brasil do Pacto Global promove treinamento em direitos humanos para empresas

Os direitos humanos são uma agenda cada vez mais presente nas empresas brasileiras. Nesse cenário, o Grupo Temático de Direitos Humanos e Trabalho da Rede Brasil do Pacto Global promoveu em meados de julho (19) a segunda edição do treinamento de due dilligence em direitos humanos na sede do Conselho Regional de Administração, em São Paulo. O evento reuniu representantes de 56 empresas e instituições para explicar, discutir e viabilizar a implantação da devida diligência nesse tema dentro das companhias.

Impunidade contra crimes de tortura no México preocupa especilistas da ONU. Foto: WikiCommons / Flickr / schlaeger

Relatores pedem investigações sobre vigilância ilegal de ativistas e jornalistas no México

Apelo de relatores independentes da ONU foi feito um mês após organizações da sociedade civil e a mídia internacional relatarem que autoridades mexicanas implantaram um ‘spyware’ para monitorar os celulares de pessoas envolvidas na denúncia e na investigação de casos de corrupção de 2015 e 2016. Ativistas e repórteres também trabalhavam na apuração de sérias violações dos direitos humanos.