Grãos de soja. Foto: Jonas Oliveira/ANPr

FAO completa 40 anos de presença no Brasil

Em comemoração ao aniversário de 40 anos de presença da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, a Câmara dos Deputados sediou, na última quarta-feira (6), um evento solene no Plenário Ulysses Guimarães que rememorou a atuação da agência no país. Juntos, Brasil e FAO têm trabalhado para erradicar a insegurança alimentar e a má nutrição, e para melhorar as condições de vida no meio rural.

O evento, que também marcou o Dia Mundial da Alimentação (16 de outubro), reuniu representantes da ONU; do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Ministério da Cidadania; da Agência Brasileira de Cooperação; do Ministério das Relações Exteriores; da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil; e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura.

“Passados 40 anos da nossa atuação oficial, podemos afirmar com orgulho que a experiência da FAO no Brasil é um dos exemplos mais bem-sucedidos da organização, não só por colaborar com o êxito do país em contornar um cenário grave de insegurança alimentar, mas por contribuir com a expansão de um marco institucional voltado ao combate à fome e à pobreza”, afirmou Rafael Zavala, representante da FAO no Brasil.

Obesidade no Brasil será discutida em conferência da FAO na Jamaica. Foto: Flickr/Tony Alter (CC)

FAO: temos que abordar a obesidade como uma questão pública, não individual

Comer melhor significa apoiar os pequenos agricultores, redistribuir renda, respeitar a natureza e nutrir o mundo com comida de verdade. A declaração foi feita pelo representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Rafael Zavala, durante o segundo dia das comemorações do Dia Mundial da Alimentação 2019, na terça-feira (17), em Brasília (DF).

“Os números globais de desnutrição crescem e mostram que uma alimentação nutritiva ainda está longe de se tornar um bem comum. Enquanto lutamos contra a fome, a obesidade aumenta de forma ainda mais rápida. Hoje, são 672 milhões de adultos obesos em todo o planeta”, disse o representante. “Temos que abordar a obesidade como uma questão pública, não como um problema individual”, declarou.

Experiências sobre a autonomia econômica das mulheres rurais podem estar relacionadas ao desenvolvimento de produtos saudáveis e artesanais, tradicionais e agroecológicos. Foto: ONU Mulheres

Ministério da Agricultura lança concurso para empreendimentos inovadores de mulheres rurais

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) lançou na terça-feira (15) o edital do concurso Inovar para mudar – a autonomia das #MulheresRurais e sua contribuição para reduzir a pobreza e a insegurança alimentar.

A iniciativa integra a 4ª edição da Campanha Regional Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos, coordenada pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo em parceria com ONU Mulheres, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e outras instituições.

Serão selecionadas práticas individuais ou coletivas inovadoras voltadas para a autonomia econômica das mulheres rurais e que tenham contribuído para melhorar a qualidade de vida e o atendimento às necessidades humanas fundamentais das mulheres e de suas comunidades.

Segundo a OPAS/OMS, evidências científicas recentes apontam que medidas regulatórias têm impacto na prevenção e controle da obesidade. Foto: EBC

Obesidade e outras formas de desnutrição afetam 1 em cada 3 pessoas no mundo

A obesidade e outras formas de desnutrição afetam uma em cada três pessoas no mundo. As projeções indicam que essa proporção será de uma em cada duas em 2025, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O relatório mais recente da FAO mostrou que a fome afetava 821 milhões de pessoas no mundo em 2017. Já a obesidade atingia 672 milhões de adultos, 124 milhões de crianças e adolescentes (de 5 a 19 anos) e 40 milhões de crianças com menos de 5 anos, segundo dados referentes a 2016.

No Brasil, enquanto a fome atinge menos de 2,5% da população, a obesidade já afeta quase 20% dos brasileiros. Em algumas regiões, como o Nordeste, outras facetas da má nutrição persistem — a desnutrição infantil, por exemplo, segue acima dos 5%.

Bela Gil participa de Simpósio Internacional sobre o Futuro dos Alimentos, na sede da FAO, em Roma. Foto: FAO/Pier Paolo Cito

Bela Gil defende comida de verdade e proteção ambiental no Dia Mundial da Alimentação

Atualmente, as principais causas de mortes no mundo estão relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis ocasionadas pela dieta de má qualidade, e que poderiam ser evitadas com uma alimentação saudável. O alerta foi feito pela chef de cozinha, nutricionista e apresentadora de TV Bela Gil, que participou em Brasília (DF) do início das comemorações do Dia Mundial da Alimentação.

Durante a palestra, que reuniu cerca de 200 pessoas, Bela Gil lembrou os problemas de saúde causados pela má alimentação e complementou: “precisamos mudar a maneira como nos alimentamos por uma questão de sobrevivência”. Ela afirmou que há atualmente uma epidemia de má nutrição, o que inclui a desnutrição e a obesidade.

Em dezembro de 2017, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou resolução criando a Década da ONU para a Agricultura Familiar (2019-2028). Foto: MDA

FIDA: investimento em agricultura familiar é maneira mais eficaz de reduzir pobreza rural

O Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas lança em Brasília (DF) na terça-feira (15) a publicação “Estudo comparativo dos efeitos diretos da agricultura e do agronegócio na redução da pobreza rural”.

O estudo destaca o potencial da agricultura familiar e suas vantagens comparativas no combate à pobreza rural, analisando a geração de renda de dois sistemas produtivos em cadeias como ovinos/caprinos, aves, produção de mandioca e apicultura.

A análise trabalha com dados do semiárido nordestino, considerado o maior bolsão de pobreza da América Latina.

Neste ano, o evento da ONU em celebração ao Dia Mundial da Alimentação traz como convidada a chef de cozinha e ativista da alimentação natural Bela Gil. Foto: Jill Wellington/CC.

Bela Gil participa de evento da ONU na semana do Dia Mundial da Alimentação

Para marcar o Dia Mundial da Alimentação (DMA), lembrado anualmente em 16 de outubro, agências das Nações Unidas que trabalham com o tema promovem em conjunto um evento aberto ao público na segunda-feira (14), no Museu Nacional da Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Neste ano, o evento traz como convidada a chef de cozinha e ativista da alimentação natural Bela Gil, que irá falar sobre a importância de dietas saudáveis e suas consequências para a sociedade e para o futuro do planeta. Após a palestra, o público é convidado a uma aula de yoga a céu aberto com a instrutora Andrea Hughes.

As atividades são gratuitas e, para participar, os interessados devem preencher previamente um formulário de inscrição.

Segurança alimentar é um dos destaques da cooperação entre Brasil e países da África. Foto: Centro de Excelência contra a Fome

Conferência em Roma pede compromisso global com o fim da fome no mundo

Os participantes da 45ª Comissão de Segurança Alimentar Mundial (CFS, na sigla em inglês), que ocorre nesta semana em Roma, na Itália, pediram esforços globais para erradicar a fome. De acordo com os principais oradores da reunião, ainda há tempo para alcançar a Fome Zero até 2030, mas medidas urgentes são necessárias.

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, disse na abertura da reunião que o fracasso na erradicação da fome prejudicará todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Isso significa que “a pobreza não será erradicada, os recursos naturais continuarão a se degradar e a migração forçada continuará”.

“Temos que levar mais a sério a intenção de colocar fim aos conflitos”, enfatizou, por sua vez, David Beasley, diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Criadora do site Panelinha e apresentadora do programa Cozinha Prática, do canal GNT, a chef Rita Lobo defende um retorno ao hábito de cozinhar a própria comida, em vez de recorrer a alimentos processados. Foto: GNT

Chef Rita Lobo diz que famílias precisam rever ‘consumo desenfreado’ de alimentos processados

Em evento da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), em Brasília, a chef de cozinha Rita Lobo alertou na quarta-feira (17) para o avanço da obesidade, que assim como a fome, é uma forma de má nutrição.

Para a apresentadora do programa Cozinha Prática, do canal GNT, a alimentação deve “ser pauta dentro da rotina das famílias, que precisam rever o consumo desenfreado dos alimentos ultraprocessados”.

Cerca de 420 mil pessoas estão sob cerco na Síria – sem alimentos e remédios, famílias com fome e crianças malnutridas e definhando. Elas precisam de ajuda agora, precisam de paz agora. O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) precisa de financiamento e acesso para ajudar.

ARTIGO: No Dia Mundial da Alimentação, nossas ações são o nosso futuro

Em artigo, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), brasileiro José Graziano da Silva, lembra que em 2015 a comunidade internacional se comprometeu a erradicar a fome e todas as formas de desnutrição globalmente até 2030 como medida para um mundo mais seguro, mais justo e mais pacífico.

“Paradoxalmente, a fome não parou de crescer desde então. Segundo as últimas estimativas, o número de pessoas subnutridas aumentou em 2017 pelo terceiro ano consecutivo”, disse Graziano. Leia o artigo completo.

Morte de crianças por fome é ‘intolerável’, diz ONU em dia mundial

Em mensagem para o Dia Mundial da Alimentação, lembrado nesta terça-feira (16), o secretário-geral da ONU, António Guterres, uma em cada nove pessoas no mundo não tem comida suficiente para se alimentar de forma adequada.

“Cerca de 155 milhões de crianças estão cronicamente malnutridas e poderão sofrer os efeitos do nanismo ao longo de toda a sua vida. A fome causa quase metade de todas as mortes de crianças em todo o mundo. Isso é intolerável”, enfatizou o chefe das Nações Unidas.

Crianças na escola San Miguel Arcangel, no município de Yhu, no Paraguai. Foto: FAO

FAO premia projetos de alimentação escolar do Paraguai, El Salvador e República Dominicana

Promovido pela FAO e pelo governo do Brasil, o Concurso de Boas Práticas da Alimentação Escolar na América Latina e no Caribe anunciou nesta segunda-feira (24) as iniciativas vencedoras.

No primeiro lugar, está um projeto do Paraguai que compra produtos de 70 agricultores familiares para oferecer refeições em centros de ensino. Na avaliação da agência da ONU, o programa mostrou que pequenos produtores conseguem atender à demanda de governos municipais.

De acordo com o último relatório publicado por FAO e OPAS, a fome aumentou na América Latina e no Caribe pela primeira vez em mais de duas décadas. Foto: EBC

FAO lança concurso de cartazes para Dia Mundial da Alimentação 2018

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) convoca crianças e adolescentes do mundo inteiro a expressar, em forma de desenho, como o mundo pode alcançar a meta de erradicar a fome até 2030.

O concurso tem o objetivo de propor a criação de um cartaz para a campanha mundial Fome Zero e, por meio desta atividade, conscientizar a nova geração para o fato de que existem 815 milhões de pessoas passando fome no mundo. Além delas, 1,9 milhão estão acima do peso.

Os participantes devem ter entre 5 a 19 anos. Os desenhos podem ser fotografados ou escaneados e enviados pelo site do concurso após preenchimento de cadastro. As inscrições vão até 9 de novembro.

Abastecimento de caminhões agrícolas em Bangladesh. Práticas não sustentáveis de agricultura estão tendo impactos incalculáveis na biodiversidade. Foto: FAO/Mohammad Rakibul Hasan

Promover a biodiversidade em todos os setores agrícolas é ‘fundamental’, diz chefe da FAO

Transformar a forma como os países produzem alimentos é “fundamental” para proteger o futuro dos ecossistemas, disse o chefe da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva.

Graziano destacou que o mundo ainda mantém uma produção de alimentos baseada sobretudo em princípios de 50 anos atrás, frequentemente fazendo uso de produtos químicos hostis ao meio ambiente.

A FAO e o governo brasileiro recebem até 13 de abril inscrições para curso semipresencial sobre programas sustentáveis de alimentação escolar. Foto: PMA / Ana Claudia Costa

ONU recebe inscrições para concurso sobre alimentação escolar na América Latina e Caribe

Competição da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) visa dar visibilidade a projetos que melhoram o fornecimento de refeições em centros de ensino. Podem participar governos municipais e nacionais, universidades e associações de pais, mães ou agricultores. Inscrições vão até 15 de junho. Premiação inclui verba em dinheiro para a compra de equipamentos usados no preparo de alimentos em escolas.

Na foto, mulher participa do 1º Circuito de Feiras e Mostras Culturais da Reforma Agrária do Distrito Federal e Entorno que acontece em Planaltina (DF), em dezembro de 2016. Foto: Mídia NINJA

Clima em mudança amplia desigualdade para mulheres rurais, alerta agência da ONU

As mulheres rurais representam mais de um quarto da população mundial, enquanto as mulheres representam 43% da força de trabalho agrícola em todo o mundo e nos países em desenvolvimento, lembrou a ONU Mulheres marcando neste domingo (15) o Dia Internacional das Mulheres Rurais.

No entanto, quando se trata de possuir terras, bem como acessar insumos agrícolas, financiamento e tecnologias para a resiliência climática, elas ainda ficam muito atrás dos homens. E isso pode piorar em meio às mudanças climáticas.

O coordenador-residente das Nações Unidas e representante-residente do PNUD no Brasil, Niky Fabiancic, também esteve presente no evento. Foto: FAO

Garantir segurança alimentar requer desenvolvimento rural sustentável e gestão das migrações

Evento em Brasília realizado na terça-feira (10) pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) em conjunto com o governo do Distrito Federal reuniu 300 pessoas, entre autoridades locais, nacionais e do corpo diplomático, para celebrar o Dia Mundial da Alimentação e debater a crescente onda de deslocamentos no mundo.

“Há poucos dias, a FAO constatou que a fome no mundo voltou a crescer depois de anos em constante queda. São 38 milhões de pessoas a mais e um total de 815 milhões. O crescimento desse índice pode estar associado às migrações que muitas vezes obrigam as pessoas a fugirem de seus países. Não podemos aceitar que os deslocamentos forçados gerem insegurança alimentar”, ressaltou o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic.

Evento da FAO em Brasília abordará vínculos entre alimentação e migração. Imagem: FAO

Em Brasília, FAO celebra Dia Mundial da Alimentação com debate sobre migrações

Para marcar o Dia Mundial da Alimentação, lembrado em 16 de outubro, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil promoverá na próxima terça-feira (10), em Brasília, o evento “Mudar o futuro da migração: investir em segurança alimentar e desenvolvimento rural”. Encontro contará com a participação de especialistas e do chefe Alex Atala. Celebração acontece no Palácio do Buriti, das 9h às 12h.

Seca na Etiópia em 2015 foi a pior em 30 anos, levando o país a uma crise alimentar que deixou milhares passando fome. Foto: UNICEF Etiópia / Tanya Bindra

Mudanças climáticas ameaçam produção de alimentos e exigem adaptação da agricultura, diz ONU

Em mensagem para o Dia Mundial da Alimentação, celebrado no último domingo (16), o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, destacou que os mais vulneráveis às mudanças climáticas são os que vivem na miséria. Cerca de 70% dos mais pobres dependem da agricultura de subsistência, pesca ou pastoreio para obter renda ou comida. Quase 800 milhões de pessoas passam fome no mundo, lembrou a FAO.

Dia Mundial da Alimentação 2016

Dia Mundial da Alimentação: futuro exige produção sustentável para garantia da segurança alimentar

Nesta terça-feira, 18 de outubro o escritório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) no Brasil, em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, vão realizar um evento em celebração ao Dia Mundial da Alimentação.

A cada ano a FAO estabelece um tema a ser discutido em todo o mundo. Para este ano, a Organização chama a atenção para as mudanças necessárias diante dos impactos gerados pelas mudanças climáticas – “O clima está mudando. A alimentação e a agricultura também devem mudar”.

Aplicativo ‘Share The Meal’ ganha novas funções para fortalecer luta contra a fome em dia mundial

Aplicativo do Programa Mundial de Alimentos (PMA) permite aos usuários fazer doações que financiam a alimentação escolar de milhares de crianças. Mais de 620 mil pessoas já fizeram contribuições, compartilhando cerca de 8,2 milhões de refeições com jovens de diferentes partes do mundo. Às vésperas do Dia Mundial da Alimentação (16), software foi atualizado para permitir criação de equipes entre usuários que podem se unir para bater metas de donativos.

Centro de Excelência contra a Fome busca replicar experiência positiva do Brasil, que investiu em alimentação escolar para combater a desnutrição. Foto: Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA)

No Dia Mundial da Alimentação, programa da ONU destaca importância do Centro de Excelência contra a Fome

Com uma pequena estrutura, o Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o Programa Mundial de Alimentos (PMA) e o governo brasileiro — apoia mais de 30 países em desenvolvimento simultaneamente por meio de Cooperação Sul-Sul e triangular. Em parceria com governos, facilita intercâmbio de conhecimentos e apoia o desenho de soluções inovadoras para a fome e a pobreza.

As duas maiores instituições da América Latina e do Caribe na área de abastecimento de alimentos, a mexicana Aserca e a brasileira Conab, buscam fortalecer suas capacidades técnicas. Foto: EBC

FAO e ministro do Desenvolvimento Social debatem políticas de segurança alimentar

O representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, reuniu-se em setembro com o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, para tratar de temas relacionados à Cooperação Sul-Sul e projetos da FAO no país.

“Nos últimos anos, acompanhamos os avanços do país para garantir a segurança alimentar. A experiência brasileira, sem dúvida, é um modelo internacional que a FAO tem todo o interesse em repassar adiante”, disse o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic.

Pessoas saudáveis dependem de sistemas adequados de alimentação, afirma secretário-geral da ONU

A chave para uma melhor nutrição e, finalmente, para garantir o direito de cada pessoa à alimentação, encontra-se em melhores sistemas alimentares – abordagens políticas e investimentos mais inteligentes, que tenham em conta o meio ambiente, as pessoas, as instituições e os processos pelos quais os produtos agrícolas são produzidos, processados ??e levados para os consumidores em uma forma sustentável.