773 milhões de jovens e adultos de todo mundo não conseguem ler, diz Ban Ki-moon

Mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para o Dia Internacional da Alfabetização, lembrado no dia 8 de setembro. Jovens e adultos que ainda não se alfabetizaram por completo não são capazes de preencher uma candidatura de trabalho, decifrar o horário de um ônibus ou ler uma história às suas crianças, diz o secretário-geral.

Mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para o Dia Internacional da Alfabetização, lembrado no dia 8 de setembro.

Mulheres participam de um curso de alfabetização de adultos em uma aldeia perto de Bauchi, na Nigéria. Foto: ONU / Sean Sprague

Mais de 773 milhões de jovens e adultos de todo o mundo não conseguem ler esta mensagem. Eles estão entre os grupos de concidadãos que ainda não se alfabetizaram por completo. Eles podem não ser capazes de preencher uma candidatura de trabalho, decifrar o horário de um ônibus ou ler uma história às suas crianças. Duas em cada três destas pessoas são mulheres, a quem é negado este ingrediente essencial para uma participação plena na sociedade.

Nesta era do conhecimento, a alfabetização é a fundação para um mundo mais justo, inclusivo e sustentável. Ela pode fazer avançar a concretização de todos os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Permite às pessoas terem acesso à informação, podendo assim, melhorar a sua saúde e nutrição, ampliar as suas opções de vida, lidar com as mudanças ambientais e fazer escolhas de forma informada.

Quando investimos em aprender e na alfabetização investimos na dignidade humana, no desenvolvimento e na paz. Foi por isso que lancei a iniciativa da Educação em Primeiro Lugar, que se concentra em garantir que todas as crianças frequentem a escola. Em todo o mundo, pelo menos 250 milhões de crianças em idade escolar primária não sabem ler, escrever ou contar. Metade destes meninos e meninas nem sequer chegam a ir à escola, ou são obrigados a deixá-la antes do seu quarto ano. Outros 200 milhões de adolescentes, incluindo os que completaram educação secundária, não possuem capacidades literárias básicas – e dessa forma a nossa iniciativa também se concentra em melhorar a qualidade de educação e a promover a cidadania global.

Apelo a todos os países que assumam a educação e a alfabetização como prioridades nacionais e que trabalhem conjuntamente com os seus parceiros na sociedade para alcançar estes objetivos.  Ao promover a alfabetização, podemos ajudar milhões de pessoas a escreverem o seu próprio capítulo de oportunidades nas suas vidas e o nosso futuro comum.

Saiba mais sobre o Dia: http://goo.gl/nyhQFt