75% das pessoas em todo o mundo não têm acesso a drogas contra a dor, diz novo relatório

De acordo com a JIFE, também houve um aumento de 66% no consumo mundial de metilfenidato, um estimulante usado principalmente no tratamento de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

INCB_Report2014_web_bannerCerca de 5,5 bilhões de pessoas ainda têm pouco ou nenhum acesso a medicamentos contendo drogas como como codeína e morfina, deixando 75% da população mundial sem acesso a tratamento adequado para aliviar a dor, afirmou, nesta terça-feira (03), a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (JIFE), sediada em Viena (Áustria), no seu Relatório Anual de 2014, lançado hoje.  O relatório diz ainda que cerca de 92% da morfina utilizada em todo o mundo é consumida por apenas 17% da população mundial, que vive principalmente nos Estados Unidos, Canadá, Europa Ocidental, Austrália e Nova Zelândia.

O documento lembra também que no último ano houve um aumento de 11% no número de novas substâncias psicoativas, com 388 substâncias únicas identificadas em 2014, em comparação com 348 no ano anterior. A extensão do uso de NPS em nível mundial ilustra a natureza dinâmica do problema destas drogas.

De acordo com a a JIFE, também houve um aumento de 66% no consumo mundial de metilfenidato, um estimulante usado principalmente no tratamento de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Isto pode ser atribuído a vários fatores como o aumento do número de pacientes com ADHD; uma ampliação da faixa etária da população susceptível de receber o tratamento e falta de diretrizes de prescrição adequados adicionado à práticas de marketing fortes e influentes. Somente nos Estados Unidos, 11% dos jovens entre 4 e 17 anos tinham sido diagnosticados com TDAH. Na Alemanha, o número de diagnósticos de TDAH aumentou 42% em crianças e adolescentes com menos de 19 anos de idade, entre 2006 e 2011.

Saiba mais sobre esta publicação neste link: www.unis.unvienna.org/unis/en/events/2015/incb_2015.html